Infinito Amor

Mensagens de Amor

Para conversar com Deus, não precisamos ser fiéis a uma religião específica. Basta acreditarmos que existe uma Força Maior agindo no universo, força esta que inspira nosso crescimento e nossa transformação para sermos melhores.

Ao nos voltarmos para esta Força Maior, desejamos algo melhor em nossas vidas e pedimos humildemente ajuda.

Nesta área, você pode divulgar uma mensagem que tenha lhe inspirado e te ajudado a se aproximar daquilo que  acredita como divindade.

Compartilhe! A mensagem que inspira você pode inspirar a muitos!

 

As mensagens mais "curtidas" poderão fazer parte de um livro a ser editado no futuro.

Posts

  • Reflexões sobre o PÃO NOSSO : 90 – O trabalhador Divino

    Postado por Heitor Neves | 21 de Outubro, 2014

    Reflexões sobre o PÃO NOSSO : 90 – O trabalhador Divino

    Jesus, o trabalhador, meus amigos.

    Imaginem um Rei, o Rei de todos os Reis, servindo seus súditos como um mero e abnegado trabalhador.

    Que esta imagem sirva de guia a todos aqueles que são pequenos Reis de algum pedaço desse mundo, ou seja, que possuem algum poder investido por Deus ou pela Terra, para cumprir uma missão.

    O poder não é dado a alguém apenas para seu deleite. O poder é uma bênção e uma prova dada àqueles que o universo imagina que podem fazer crescer o mundo ao seu redor.

    Quem se aproveita do poder apenas para si e para se sentir pessoalmente elevado perde a chance que lhe foi dada para elevar-se para mais perto de Jesus e de sua luz.

    O poder não precisa ser de um Monarca com título terreno. Um governante sem dúvida recebe um título e uma missão de poder.

    Mas um pai, mãe, professor, colega mais experiente em determinado tema, um chefe, todos em algum momento podem ser colocados em posição de poder. E todos nós podemos exercer tal função em determinado momento.

    Quando esse momento chegar, alertem seus instintos orgulhosos e talvez vingativos para que não se arvorem a dominá-lo, pois o melhor exemplo que temos para tornar o poder algo verdadeiramente prazeroso e realizador é o de Jesus, que, sendo o Rei dos Reis, apresenta-se como servidor e trabalhador dedicado em prol de seus súditos.

    Amém.









    Inspirado no Texto 90 – O trabalhador Divino, do livro PÃO NOSSO, de Francisco Xavier, ditado pelo espírito EMMANUEL, Editora FEB.

  • Salmo da Semana : Salmo 89 - Tua Verdade de geração em geração.

    Postado por Heitor Neves | 19 de Outubro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 89 - Tua Verdade de geração em geração.

    1 Cantarei para sempre as benignidades do Senhor; com a minha boca proclamarei a todas as gerações a tua fidelidade.

    2 Digo, pois: A tua benignidade será renovada para sempre; tu confirmarás a tua fidelidade até nos céus, dizendo:

    3 Fiz um pacto com o meu escolhido; jurei ao meu servo Davi:

    4 Estabelecerei para sempre a tua descendência, e firmarei o teu trono por todas as gerações.

    5 Os céus louvarão as tuas maravilhas, ó Senhor, e a tua fidelidade na assembléia dos santos.

    6 Pois quem no firmamento se pode igualar ao Senhor? Quem entre os filhos de Deus é semelhante ao Senhor,

    7 um Deus sobremodo tremendo na assembléia dos santos, e temível mais do que todos os que estão ao seu redor?

    8 ó Senhor, Deus dos exércitos, quem é poderoso como tu, Senhor, com a tua fidelidade ao redor de ti?

    9 Tu dominas o ímpio do mar; quando as suas ondas se levantam tu as fazes aquietar.

    10 Tu abateste a Raabe como se fora ferida de morte; com o teu braço poderoso espalhaste os teus inimigos.

    11 São teus os céus, e tua é a terra; o mundo e a sua plenitude, tu os fundaste.

    12 O norte e o sul, tu os criaste; o Tabor e o Hermom regozijam-se em teu nome.

    13 Tu tens um braço poderoso; forte é a tua mão, e elevado a tua destra.

    14 Justiça e juízo são a base do teu trono; benignidade e verdade vão adiante de ti.

    15 Bem-aventurado o povo que conhece o som festivo, que anda, ó Senhor, na luz da tua face,

    16 que se regozija em teu nome todo o dia, e na tua justiça é exaltado.

    17 Pois tu és a glória da sua força; e pelo teu favor será exaltado o nosso poder.

    18 Porque o Senhor é o nosso escudo, e o Santo de Israel é o nosso rei.

    19 Naquele tempo falaste em visão ao teu santo, e disseste: Coloquei a coroa num homem poderoso; exaltei um escolhido dentre o povo.

    20 Achei Davi, meu servo; com o meu santo óleo o ungi.

    21 A minha mão será sempre com ele, e o meu braço o fortalecerá.

    22 O inimigo não o surpreenderá, nem o filho da perversidade o afligirá.

    23 Eu esmagarei diante dele os seus adversários, e aos que o odeiam abaterei.

    24 A minha fidelidade, porém, e a minha benignidade estarão com ele, e em meu nome será exaltado o seu poder.

    25 Porei a sua mão sobre o mar, e a sua destra sobre os rios.

    26 Ele me invocará, dizendo: Tu és meu pai, meu Deus, e a rocha da minha salvação.

    27 Também lhe darei o lugar de primogênito; fá-lo-ei o mais excelso dos reis da terra.

    28 Conservar-lhe-ei para sempre a minha benignidade, e o meu pacto com ele ficará firme.

    29 Farei que subsista para sempre a sua descendência, e o seu trono como os dias dos céus.

    30 Se os seus filhos deixarem a minha lei, e não andarem nas minhas ordenanças,

    31 se profanarem os meus preceitos, e não guardarem os meus mandamentos,

    32 então visitarei com vara a sua transgressão, e com açoites a sua iniqüidade.

    33 Mas não lhe retirarei totalmente a minha benignidade, nem faltarei com a minha fidelidade.

    34 Não violarei o meu pacto, nem alterarei o que saiu dos meus lábios.

    35 Uma vez para sempre jurei por minha santidade; não mentirei a Davi.

    36 A sua descendência subsistirá para sempre, e o seu trono será como o sol diante de mim;

    37 será estabelecido para sempre como a lua, e ficará firme enquanto o céu durar.

    38 Mas tu o repudiaste e rejeitaste, tu estás indignado contra o teu ungido.

    39 Desprezaste o pacto feito com teu servo; profanaste a sua coroa, arrojando-a por terra.

    40 Derribaste todos os seus muros; arruinaste as suas fortificações.

    41 Todos os que passam pelo caminho o despojam; tornou-se objeto de opróbrio para os seus vizinhos.

    42 Exaltaste a destra dos seus adversários; fizeste com que todos os seus inimigos se regozijassem.

    43 Embotaste o fio da sua espada, e não o sustentaste na peleja;

    44 fizeste cessar o seu esplendor, e arrojaste por terra o seu trono;

    45 abreviaste os dias da sua mocidade; cobriste-o de vergonha.

    46 Até quando, Senhor? Esconder-te-ás para sempre? Até quando arderá a tua ira como fogo?

    47 Lembra-te de quão breves são os meus dias; de quão efêmeros criaste todos os filhos dos homens!

    48 Que homem há que viva e não veja a morte? ou que se livre do poder do Seol?

    49 Senhor, onde estão as tuas antigas benignidades, que juraste a Davi na tua fidelidade?

    50 Lembre-te, Senhor, do opróbrio dos teus servos; e de como trago no meu peito os insultos de todos os povos poderosos,

    51 com que os teus inimigos, ó Senhor, têm difamado, com que têm difamado os passos do teu ungido.

    52 Bendito seja o Senhor para sempre. Amém e amém.

  • Reflexões sobre o PÃO NOSSO : 41 – No Futuro

    Postado por Heitor Neves | 14 de Outubro, 2014

    Reflexões sobre o PÃO NOSSO : 41 – No Futuro

    No futuro, meus amigos, o Divino não estará restrito nem confinado às igrejas ou às casas de oração.

    O Divino fluirá de cada um, de um para o outro e para com o mundo todo.

    Todos temos o Divino em nós. Um tanto apagado e oprimido por situações mais ou menos graves, mas ainda justificadas pelas nossas imperfeições.

    Mas um dia, no futuro todos conseguiremos libertar o Divino que nos habita.

    E então, neste dia, quem é que proporá uma guerra? Quem é que verá o irmão passar fome sem se compadecer e atuar, dentro de sua possibilidade, na alimentação de seu irmão?

    Quem desejará o mal ao outro?

    Não importa o quanto cada um esteja distante desse futuro. Não importa o quanto tenhamos que caminhar e aprender para liberar o Divino em nós. O caminho, como já disse, é individual.

    Mas o que, sim, importa é que cada um se coloque em marcha, confiante e cheio de fé, lembrando sempre que, para todas as pedras e intempéries do caminho, como a dor, o medo, a preguiça e tantas outras mais, há uma legião de amigos além do Mestre Jesus, a quem sempre podemos e devemos recorrer, pois sem ajuda o caminho se torna impossível de trilhar.

    Além disso, não é necessário nem inteligente achar-se possuidor de força tão grande que permitisse prescindir dos amigos e, além do que, com Deus ao nosso lado, nos apoiando no caminho, quem poderia nos bloquear?

    Se Deus é por nós, quem será contra?!

    Fiquem com Deus, sempre.



    Amém





    Inspirado no Texto 41 – No futuro, do livro PÃO NOSSO, de Francisco Xavier, ditado pelo espírito EMMANUEL, Editora FEB.

  • Salmo da Semana : Salmo 23 - Diante de mim preparas uma mesa.

    Postado por Heitor Neves | 12 de Outubro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 23 - Diante de mim preparas uma mesa.

    1 O Senhor é o meu pastor; nada me faltará.

    2 Deitar-me faz em pastos verdejantes; guia-me mansamente a águas tranqüilas.

    3 Refrigera a minha alma; guia-me nas veredas da justiça por amor do seu nome.

    4 Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.

    5 Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos; unges com óleo a minha cabeça, o meu cálice transborda.

    6 Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor por longos dias.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal023.htm

  • Reflexões sobre o PAO NOSSO : 163 – Agradecer

    Postado por Heitor Neves | 08 de Outubro, 2014

    Reflexões sobre o PAO NOSSO : 163 – Agradecer

    Meus amigos, meus Irmãos.

    Agradecer por meio do TRABALHO é o que esta leitura nos ensina de forma simples e direta.

    Muitos se perdem em longos textos de agradecimento em repetidas orações, demandando horas e horas do dia em repetições sem fim, enquanto há tanto a ser feito.

    De que adianta agradecer parado?

    O melhor exemplo do texto é o de um pai ou mãe que vê o filho honrar todo seu esforço em dar-lhe o melhor sendo responsável com o que recebe e usando as bênçãos de seus pais para crescer e ajudar o próximo.

    Não é comum ouvir um pai dizer ao filho que não há necessidade de repetidos agradecimentos? Não dizemos aos nossos filhos que é uma alegria e uma satisfação ajudá-los a crescer e produzir dando-lhes um pouco das dádivas que acumulamos?

    Exigimos por acaso que eles se ajoelhem aos nossos pés diariamente em agradecimento ou penitência?

    Se não o fazemos, imaginem se o Senhor Deus, nosso Pai, o faria!

    É claro que não se reprime o agradecimento sincero diante das Dádivas Divinas em nossas vidas.

    Mas a leitura não só nos alerta para o excesso paralisante, compreensível às vezes pela grandeza das dádivas de Deus, como também nos dá um caminho prático para agradecermos de forma mais agradável ao nosso Pai. TRABALHEMOS por nós e pelo mundo à nossa volta.

    Fiquem com Deus.






    Inspirado no Texto 163 – Agradecer, do livro PÃO NOSSO, de Francisco Xavier, ditado pelo espírito EMMANUEL, Editora FEB.

  • Salmo da Semana : Salmo 141 - Não me deixe sem defesa

    Postado por Heitor Neves | 05 de Outubro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 141 - Não me deixe sem defesa

    1 ó Senhor, a ti clamo; dá-te pressa em me acudir! Dá ouvidos à minha voz, quando a ti clamo!

    2 Suba a minha oração, como incenso, diante de ti, e seja o levantar das minhas mãos como o sacrifício da tarde!

    3 Põe, ó Senhor, uma guarda à minha boca; vigia a porta dos meus lábios!

    4 Não inclines o meu coração para o mal, nem para se ocupar de coisas más, com aqueles que praticam a iniqüidade; e não coma eu das suas gulodices!

    5 Fira-me o justo, será isso uma benignidade; e repreenda-me, isso será como óleo sobre a minha cabeça; não o recuse a minha cabeça; mas continuarei a orar contra os feitos dos ímpios.

    6 Quando os seus juízes forem arremessados duma penha abaixo, saberão que as palavras do Senhor são verdadeiras.

    7 Como quando alguém lavra e sulca a terra, são os nossos ossos espalhados à boca do Seol.

    8 Mas os meus olhos te contemplam, ó Senhor, meu Senhor; em ti tenho buscado refúgio; não me deixes sem defesa!

    9 Guarda-me do laço que me armaram, e das armadilhas dos que praticam a iniqüidade.

    10 Caiam os ímpios nas suas próprias redes, até que eu tenha escapado inteiramente.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal141.htm

  • Reflexões sobre o PÃO NOSSO : 56 – Êxitos e Insucessos

    Postado por Heitor Neves | 30 de Setembro, 2014

    Reflexões sobre o PÃO NOSSO : 56 – Êxitos e Insucessos

    Senhor, Deus Pai! Obrigado por mais esta oportunidade de falar e esclarecer que tudo tem dois ou mais lados, tudo tem vários ângulos e pontos de vista.

    Aquele que supera as dificuldades materiais e consegue o êxito das posses nesse mundo prova ser um belo gestor dos recursos Divinos.

    Nunca nos esqueçamos de que a fortuna, como tudo, vem de Deus.
    Se alguns, ou muitos homens e mulheres fazem mau uso dela, a fortuna não se torna menos Divina e, sim, usada erroneamente de forma humana.

    A fortuna é Divina pois é capaz, neste mundo, dentro do seu estágio atual de evolução, de gerar, construir, realizar verdadeiras maravilhas. É capaz de estimular seres humanos a saírem do conforto ou do desconforto para trabalharem por si e pelo mundo.

    Cada vez mais alguns afortunados percebem-se parte de um plano Divino para fazer o Planeta crescer mais justo e amoroso.

    Portanto, aos que venceram a pobreza e alcançaram a fortuna, Deus abençoa com um convite.

    Vocês sabem melhor que muitos a dor dos seus irmãos. Sabem que é possível, com esforço e trabalho, mudar o mundo e sua realidade. Não importa quão desafortunado tenha sido, nem quão afortunado seja agora.
    Você trilhou o caminho de um ponto a outro e pode, sim, trabalhar para ensinar ou criar condições melhores para quem quiser segui-lo.

    Não importa que seu caminho tenha sido mais árduo. Você tem a bênção de já ter chegado e a alegria de poder ajudar os que querem segui-lo nas conquistas por meio do trabalho.
    Não fujam, não desanimem, nem descansem demais nos braços da preguiça nem no colo da ilusão de dever cumprido.

    Há muito a fazer!

    O convite para o banquete de alegrias compartilhadas entre todos os que evoluem e crescem está servido e aguarda aqueles que já se alimentaram trazendo novos irmãos trabalhadores pelas mãos, andando firmes pelos próprios pés.

    Fiquem com Deus.




    Inspirado no Texto 56 – Êxitos e inssucessos, do livro PÃO NOSSO, de Francisco Xavier, ditado pelo espírito EMMANUEL, Editora FEB.

  • Salmo da Semana : Salmo 144 - O homem é como um sopro.

    Postado por Heitor Neves | 28 de Setembro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 144 - O homem é como um sopro.

    1 Bendito seja o Senhor, minha rocha, que adestra as minhas mãos para a peleja e os meus dedos para a guerra;

    2 meu refúgio e minha fortaleza, meu alto retiro e meu e meu libertador, escudo meu, em quem me refugio; ele é quem me sujeita o meu povo.

    3 ó Senhor, que é o homem, para que tomes conhecimento dele, e o filho do homem, para que o consideres?

    4 O homem é semelhante a um sopro; os seus dias são como a sombra que passa.

    5 Abaixa, ó Senhor, o teu céu, e desce! Toca os montes, para que fumeguem!

    6 Arremessa os teus raios, e dissipa-os; envia as tuas flechas, e desbarata-os!

    7 Estende as tuas mãos desde o alto; livra-me, e arrebata-me das poderosas águas e da mão do estrangeiro,

    8 cuja boca fala vaidade, e cuja mão direita é a destra da falsidade.

    9 A ti, ó Deus, cantarei um cântico novo; com a harpa de dez cordas te cantarei louvores,

    10 sim, a ti que dás a vitória aos reis, e que livras da espada maligna a teu servo Davi.

    11 Livra-me, e tira-me da mão do estrangeiro, cuja boca fala mentiras, e cuja mão direita é a destra da falsidade.

    12 Sejam os nossos filhos, na sua mocidade, como plantas bem desenvolvidas, e as nossas filhas como pedras angulares lavradas, como as de um palácio.

    13 Estejam repletos os nossos celeiros, fornecendo toda sorte de provisões; as nossas ovelhas produzam a milhares e a dezenas de milhares em nossos campos;

    14 os nossos bois levem ricas cargas; e não haja assaltos, nem sortidas, nem clamores em nossas ruas!

    15 Bem-aventurado o povo a quem assim sucede! Bem-aventurado o povo cujo Deus é o Senhor.


    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal144.htm

  • Reflexões sobre o PÃO NOSSO : 169 – Olhos

    Postado por Heitor Neves | 23 de Setembro, 2014

    Reflexões sobre o PÃO NOSSO : 169 – Olhos

    Para que usamos nossos olhos, caros e queridos amigos?

    Usamos para tornar o mundo mais duro do que já é?! Existe, sim, uma realidade dura no dia a dia, na vida de todos. Faz parte da condução do Planeta Terra e de todos nós que o habitamos.

    Mas nossos olhos servem para que reconheçamos a realidade, não devemos nos servir deles para piorá-la além do que é real. Muitas vezes, quando fazemos isso, quando usamos a lente do pessimismo, no fundo estamos querendo fugir de ver a verdade. Tanto a verdade do que está fora de nós quanto a verdade do mal que nos habita.

    O pessimismo torna o mal externo tão imenso, tão impossível de ser resolvido, que abala e elimina em quem usa essa lente a força e a percepção de que, sim, existe o que pode ser feito e melhorado.

    Quando retiramos a lente do pessimismo, vemos o mal do tamanho que ele é, e muitas vezes percebemos que não morreremos ao lidar com ele.

    É como colocar um problema de matemática sobre a mesa para ser resolvido. Ele obviamente tem solução, mas se gastamos tempo e nossos olhos verificando todas as manchas no papel, todas as falhas que vivenciamos quando nos ensinaram a fazer contas, relembrando quanto é dificil estudar matemática e assim por diante, mem mesmo começamos a tentar escrever a resolução do problema em si.

    Pensemos nisso, meus amados, e deixemos de lado a lente do pessimismo para vivermos o bom e o ruim verdadeiros.

    É o primeiro passo para sermos capazes, sem desfalecer, de olhar para o bom e o ruim verdadeiros e não aumentados nem diminuídos que temos dentro de nós.

    Fiquem com Deus.

    Inspirado no Texto 169 – Olhos, do livro PÃO NOSSO, de Francisco Xavier, ditado pelo espírito EMMANUEL, Editora FEB.

  • Salmo da Semana : Salmo 106 - Rejeitaram uma terra de deliícias

    Postado por Heitor Neves | 21 de Setembro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 106 - Rejeitaram uma terra de deliícias

    1 Louvai ao Senhor. Louvai ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.

    2 Quem pode referir os poderosos feitos do Senhor, ou anunciar todo o seu louvor?

    3 Bem-aventurados os que observam o direito, que praticam a justiça em todos os tempos.

    4 Lembra-te de mim, Senhor, quando mostrares favor ao teu povo; visita-me com a tua salvação,

    5 para que eu veja a prosperidade dos teus escolhidos, para que me alegre com a alegria da tua nação, e me glorie juntamente com a tua herança.

    6 Nós pecamos, como nossos pais; cometemos a iniqüidade, andamos perversamente.

    7 Nossos pais não atentaram para as tuas maravilhas no Egito, não se lembraram da multidão das tuas benignidades; antes foram rebeldes contra o Altíssimo junto ao Mar Vermelho.

    8 Não obstante, ele os salvou por amor do seu nome, para fazer conhecido o seu poder.

    9 Pois repreendeu o Mar Vermelho e este se secou; e os fez caminhar pelos abismos como pelo deserto.

    10 Salvou-os da mão do adversário, livrou-os do poder do inimigo.

    11 As águas, porém, cobriram os seus adversários; nem um só deles ficou.

    12 Então creram nas palavras dele e cantaram-lhe louvor.

    13 Cedo, porém, se esqueceram das suas obras; não esperaram pelo seu conselho;

    14 mas deixaram-se levar pela cobiça no deserto, e tentaram a Deus no ermo.

    15 E ele lhes deu o que pediram, mas fê-los definhar de doença.

    16 Tiveram inveja de Moisés no acampamento, e de Arão, o santo do Senhor.

    17 Abriu-se a terra, e engoliu a Datã, e cobriu a companhia de Abirão;

    18 ateou-se um fogo no meio da congregação; e chama abrasou os ímpios.

    19 Fizeram um bezerro em Horebe, e adoraram uma imagem de fundição.

    20 Assim trocaram a sua glória pela figura de um boi que come erva.

    21 Esqueceram-se de Deus seu Salvador, que fizera grandes coisas no Egito,

    22 maravilhas na terra de Cão, coisas tremendas junto ao Mar Vermelho.

    23 Pelo que os teria destruído, como dissera, se Moisés, seu escolhido, não se tivesse interposto diante dele, para desviar a sua indignação, a fim de que não os destruísse.

    24 Também desprezaram a terra aprazível; não confiaram na sua promessa;

    25 antes murmuraram em suas tendas e não deram ouvidos à voz do Senhor.

    26 Pelo que levantou a sua mão contra eles, afirmando que os faria cair no deserto;

    27 que dispersaria também a sua descendência entre as nações, e os espalharia pelas terras.

    28 Também se apegaram a Baal-Peor, e comeram sacrifícios oferecidos aos mortos.

    29 Assim o provocaram à ira com as suas ações; e uma praga rebentou entre eles.

    30 Então se levantou Finéias, que executou o juízo; e cessou aquela praga.

    31 E isto lhe foi imputado como justiça, de geração em geração, para sempre.

    32 Indignaram-no também junto às águas de Meribá, de sorte que sucedeu mal a Moisés por causa deles;

    33 porque amarguraram o seu espírito; e ele falou imprudentemente com seus lábios.

    34 Não destruíram os povos, como o Senhor lhes ordenara;

    35 antes se misturaram com as nações, e aprenderam as suas obras.

    36 Serviram aos seus ídolos, que vieram a ser-lhes um laço;

    37 sacrificaram seus filhos e suas filhas aos demônios;

    38 e derramaram sangue inocente, o sangue de seus filhos e de suas filhas, que eles sacrificaram aos ídolos de Canaã; e a terra foi manchada com sangue.

    39 Assim se contaminaram com as suas obras, e se prostituíram pelos seus feitos.

    40 Pelo que se acendeu a ira do Senhor contra o seu povo, de modo que abominou a sua herança;

    41 entregou-os nas mãos das nações, e aqueles que os odiavam dominavam sobre eles.

    42 Os seus inimigos os oprimiram, e debaixo das mãos destes foram eles humilhados.

    43 Muitas vezes os livrou; mas eles foram rebeldes nos seus desígnios, e foram abatidos pela sua iniqüidade.

    44 Contudo, atentou para a sua aflição, quando ouviu o seu clamor;

    45 e a favor deles lembrou-se do seu pacto, e aplacou-se, segundo a abundância da sua benignidade.

    46 Por isso fez com que obtivessem compaixão da parte daqueles que os levaram cativos.

    47 Salva-nos, Senhor, nosso Deus, e congrega-nos dentre as nações, para que louvemos o teu santo nome, e nos gloriemos no teu louvor.

    48 Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, de eternidade em eternidade! E diga todo o povo: Amém. Louvai ao Senhor.

    de:http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal106.htm

  • Reflexões sobre o PÃO NOSSO : 19 – Falsas alegações

    Postado por Heitor Neves | 16 de Setembro, 2014

    Reflexões sobre o PÃO NOSSO : 19 – Falsas alegações

    Quando pode, meus amigos e irmãos, a oração atormentar? Quando se torna obrigação desagradável ao coração.

    Regra simples que pode servir de guia àqueles que não conseguem servir senão por imposição de Lei externa.

    Orar é pedir ajuda, e ninguém é obrigado a pedir ajuda de uma certa forma ou em determinado horário do dia.

    Orar é, e tem sempre de ser, um bálsamo, um prazer, para ser mais explícito.

    É fato também que orar pode revelar nossa distância da Luz, do que há de mais nobre e divino em nosso coração. Mas, para aquele que busca a felicidade, para quem quer sair do aprisionamento do mal e da escuridão em que certas vezes nos envolvemos em busca de uma falsa e ilusória proteção, até a dor de perceber-se aprisionado na escuridão, por meio da luz da oração, seve de bálsamo prazeroso do primeiro passo para fora da prisão e em direção à Luz.

    Deixemos, assim, o Prazer de orar fazer parte de nossas vidas, um Prazer que venha de dentro de nós, nunca por imposição de qualquer forma, nunca por obrigação, mas sempre por perceber a bênção que Jesus nos deixou ao dizer que sempre estará ao lado de quem ora com fé; e que Sua presença iluminada sempre nos aqueça no frio, fortaleça-nos na luta e ilumine-nos no que ainda temos a crescer.

    Tudo isso, ainda que algumas vezes seja doloroso, carrega sempre uma bênção de Luz, a bênção da Libertação da energia divina que carregamos no coração e que a fé e a oração vindos de dentro do peito são capazes de nos ajudar a libertar!!

    Divirtam-se, orem sempre com muito prazer!

    Amém.





    Inspirado pelo Texto 19 – Falsas alegações, do livro PÃO NOSSO, de Francisco Xavier, ditado pelo espírito EMMANUEL, Editora FEB.

  • Salmo da Semana : Salmo 84 - Felizes os que habitam em tua casa

    Postado por Heitor Neves | 14 de Setembro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 84 - Felizes os que habitam em tua casa

    1 Quão amável são os teus tabernáculos, ó Senhor dos exércitos!

    2 A minha alma suspira! sim, desfalece pelos átrios do Senhor; o meu coração e a minha carne clamam pelo Deus vivo.

    3 Até o pardal encontrou casa, e a andorinha ninho para si, onde crie os seus filhotes, junto aos teus altares, ó Senhor dos exércitos, rei meu e Deus meu.

    4 Bem-aventurados os que habitam em tua casa; louvar-te-ão continuamente.

    5 Bem-aventurados os homens cuja força está em ti, em cujo coração os caminhos altos.

    6 Passando pelo vale (seco) de Baca, fazem dele um lugar de fontes; e a primeira chuva o cobre de bênçãos.

    7 Vão sempre aumentando de força; cada um deles aparece perante Deus em Sião.

    8 Senhor Deus dos exércitos, escuta a minha oração; inclina os ouvidos, ó Deus de Jacó!

    9 Olha, ó Deus, escudo nosso, e contempla o rosto do teu ungido.

    10 Porque vale mais um dia nos teus átrios do que em outra parte mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas da perversidade.

    11 Porquanto o Senhor Deus é sol e escudo; o Senhor dará graça e glória; não negará bem algum aos que andam na retidão.

    12 ó Senhor dos exércitos, bem-aventurado o homem que em ti põe a sua confiança.

    de:http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal084.htm

  • Reflexões sobre o PAO NOSSO : 46 – Vós Entretanto

    Postado por Heitor Neves | 09 de Setembro, 2014

    Reflexões sobre o PAO NOSSO : 46 – Vós Entretanto

    Não há dúvida, caro irmão, da luz que se faz.

    E agora? Aguardar é a saída? E o próximo passo?

    Um certo descanso pode ser desejado e talvez até merecido.

    Mas as provas e desafios não esperam.

    Há muito a fazer!!

    Siga sua luta, seu caminho para longe do medo. Para a coragem de saber o tamanho do seu coração e não se assustar com ele.

    Ele é grande, forte e lindo, sim; e se prepara para começar a cumprir sua verdadeira missão.

    Aprendeste muito a lidar com os medos. Forças maiores podem tentar amedrontar-te mais, mas já aprendeste que o medo deve ser sentido para poder ser superado.

    Não temas o medo. Vamos em frente, seguindo o caminho com Jesus e todos os amigos ao nosso lado.

    Já notaste que nenhum de nós descansa, em retribuição à sua coragem e determinação, já que na densidade humana tudo é mais lento e pesado?

    Mas já entendeste que a pérola que agora brilha não é o fim, é o começo.

    Amém.

    Inspirado pelo Texto 46 – Vós entretanto, do livro PÃO NOSSO, de Francisco Xavier, ditado pelo espírito EMMANUEL, Editora FEB.

  • Salmo da Semana : Salmo 75 - Eu me abrigo em ti.

    Postado por Heitor Neves | 07 de Setembro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 75 - Eu me abrigo em ti.

    1 Em ti, Senhor, me refugio; nunca seja eu confundido.

    2 Na tua justiça socorre-me e livra-me; inclina os teus ouvidos para mim, e salva-me.

    3 Sê tu para mim uma rocha de refúgio a que sempre me acolha; deste ordem para que eu seja salvo, pois tu és a minha rocha e a minha fortaleza.

    4 Livra-me, Deus meu, da mão do ímpio, do poder do homem injusto e cruel,

    5 Pois tu és a minha esperança, Senhor Deus; tu és a minha confiança desde a minha mocidade.

    6 Em ti me tenho apoiado desde que nasci; tu és aquele que me tiraste das entranhas de minha mãe. O meu louvor será teu constantemente.

    7 Sou para muitos um assombro, mas tu és o meu refúgio forte.

    8 A minha boca se enche do teu louvor e da tua glória continuamente.

    9 Não me enjeites no tempo da velhice; não me desampares, quando se forem acabando as minhas forças.

    10 Porque os meus inimigos falam de mim, e os que espreitam a minha vida consultam juntos,

    11 dizendo: Deus o desamparou; persegui-o e prendei-o, pois não há quem o livre.

    12 ó Deus, não te alongues de mim; meu Deus, apressa-te em socorrer-me.

    13 Sejam envergonhados e consumidos os meus adversários; cubram-se de opróbrio e de confusão aqueles que procuram o meu mal.

    14 Mas eu esperarei continuamente, e te louvarei cada vez mais.

    15 A minha boca falará da tua justiça e da tua salvação todo o dia, posto que não conheça a sua grandeza.

    16 Virei na força do Senhor Deus; farei menção da tua justiça, da tua tão somente.

    17 Ensinaste-me, ó Deus, desde a minha mocidade; e até aqui tenho anunciado as tuas maravilhas.

    18 Agora, quando estou velho e de cabelos brancos, não me desampares, ó Deus, até que tenha anunciado a tua força a esta geração, e o teu poder a todos os vindouros.

    19 A tua justiça, ó Deus, atinge os altos céus; tu tens feito grandes coisas; ó Deus, quem é semelhante a ti?

    20 Tu, que me fizeste ver muitas e penosas tribulações, de novo me restituirás a vida, e de novo me tirarás dos abismos da terra.

    21 Aumentarás a minha grandeza, e de novo me consolarás.

    22 Também eu te louvarei ao som do saltério, pela tua fidelidade, ó meu Deus; cantar-te-ei ao som da harpa, ó Santo de Israel.

    23 Os meus lábios exultarão quando eu cantar os teus louvores, assim como a minha alma, que tu remiste.

    24 Também a minha língua falará da tua justiça o dia todo; pois estão envergonhados e confundidos aqueles que procuram o meu mal.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal071.htm

  • Reflexões sobre o PÃO NOSSO : 150 – É o mesmo

    Postado por Heitor Neves | 03 de Setembro, 2014

    Reflexões sobre o PÃO NOSSO : 150 – É o mesmo

    O trabalho é próprio e pessoal, por Sabedoria Divina, que deseja que todos os seus filhos trilhem o caminho do crescimento e liberação de todo o potencial Divino em si. Não há como um filho de Deus fortalecer o músculo de seu Irmão.

    Pode, claro, instruir, orientar, acolher, suportar, mas o caminho que torna os braços e pernas fortes tem de ser trilhado por cada um.

    Deus é paciente e misericordioso.

    Aceita aquele que deseja ficar sentado pedindo esmolas de carinho e atenção na beira da estrada pelo tempo que este conseguir aí ficar até que a dor da estagnação e a ânsia de um amor verdadeiro e interno o coloque em movimento. Não há nem pode haver nem pressa nem pressão. No máximo, e com cuidado, um incentivo da Verdade para aqueles que puderem ouvi-la sem medo.

    Pois, se o movimento não for genuíno na Alma, não vier pela Vontade própria e o Desejo intensamente verdadeiro, ele não durará o tempo necessário para chegar ao fim do caminho, que é o começo de um outro.

    Assim, trabalhemos todos que quiserem. Trabalhemos com prazer e Vontade, pois trabalhar pela elevação e pela cura dos medos é um trabalho por si mesmo.

    Não caiamos na armadilha de melhorar-se para ou pelo outro. O outro é um outro filho de Deus que trilhará o caminho de acordo com suas forças e a seu tempo.

    Estejemos, quem se fortalecer, prontos a acolher, acompanhar, apoiar e orientar.

    Amém.



    Texto 150 – É o mesmo, do livro PÃO NOSSO, de Francisco Xavier, ditado pelo espírito EMMANUEL, Editora FEB.

  • Salmo da Semana : Salmo 111 - O Princípio da Sabedoria

    Postado por Heitor Neves | 31 de Agosto, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 111 - O Princípio da Sabedoria

    1 Louvai ao Senhor. De todo o coração darei graças ao Senhor, no concílio dos retos e na congregação.

    2 Grandes são as obras do Senhor, e para serem estudadas por todos os que nelas se comprazem.

    3 Glória e majestade há em sua obra; e a sua justiça permanece para sempre.

    4 Ele fez memoráveis as suas maravilhas; compassivo e misericordioso é o Senhor.

    5 Dá mantimento aos que o temem; lembra-se sempre do seu pacto.

    6 Mostrou ao seu povo o poder das suas obras, dando-lhe a herança das nações.

    7 As obras das suas mãos são verdade e justiça; fiéis são todos os seus preceitos;

    8 firmados estão para todo o sempre; são feitos em verdade e retidão.

    9 Enviou ao seu povo a redenção; ordenou para sempre o seu pacto; santo e tremendo é o seu nome.

    10 O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; têm bom entendimento todos os que cumprem os seus preceitos; o seu louvor subsiste para sempre.

    de:http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal111.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 106 - Rejeitaram uma Terra de delícias

    Postado por Heitor Neves | 24 de Agosto, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 106 - Rejeitaram uma Terra de delícias

    1 Louvai ao Senhor. Louvai ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.

    2 Quem pode referir os poderosos feitos do Senhor, ou anunciar todo o seu louvor?

    3 Bem-aventurados os que observam o direito, que praticam a justiça em todos os tempos.

    4 Lembra-te de mim, Senhor, quando mostrares favor ao teu povo; visita-me com a tua salvação,

    5 para que eu veja a prosperidade dos teus escolhidos, para que me alegre com a alegria da tua nação, e me glorie juntamente com a tua herança.

    6 Nós pecamos, como nossos pais; cometemos a iniqüidade, andamos perversamente.

    7 Nossos pais não atentaram para as tuas maravilhas no Egito, não se lembraram da multidão das tuas benignidades; antes foram rebeldes contra o Altíssimo junto ao Mar Vermelho.

    8 Não obstante, ele os salvou por amor do seu nome, para fazer conhecido o seu poder.

    9 Pois repreendeu o Mar Vermelho e este se secou; e os fez caminhar pelos abismos como pelo deserto.

    10 Salvou-os da mão do adversário, livrou-os do poder do inimigo.

    11 As águas, porém, cobriram os seus adversários; nem um só deles ficou.

    12 Então creram nas palavras dele e cantaram-lhe louvor.

    13 Cedo, porém, se esqueceram das suas obras; não esperaram pelo seu conselho;

    14 mas deixaram-se levar pela cobiça no deserto, e tentaram a Deus no ermo.

    15 E ele lhes deu o que pediram, mas fê-los definhar de doença.

    16 Tiveram inveja de Moisés no acampamento, e de Arão, o santo do Senhor.

    17 Abriu-se a terra, e engoliu a Datã, e cobriu a companhia de Abirão;

    18 ateou-se um fogo no meio da congregação; e chama abrasou os ímpios.

    19 Fizeram um bezerro em Horebe, e adoraram uma imagem de fundição.

    20 Assim trocaram a sua glória pela figura de um boi que come erva.

    21 Esqueceram-se de Deus seu Salvador, que fizera grandes coisas no Egito,

    22 maravilhas na terra de Cão, coisas tremendas junto ao Mar Vermelho.

    23 Pelo que os teria destruído, como dissera, se Moisés, seu escolhido, não se tivesse interposto diante dele, para desviar a sua indignação, a fim de que não os destruísse.

    24 Também desprezaram a terra aprazível; não confiaram na sua promessa;

    25 antes murmuraram em suas tendas e não deram ouvidos à voz do Senhor.

    26 Pelo que levantou a sua mão contra eles, afirmando que os faria cair no deserto;

    27 que dispersaria também a sua descendência entre as nações, e os espalharia pelas terras.

    28 Também se apegaram a Baal-Peor, e comeram sacrifícios oferecidos aos mortos.

    29 Assim o provocaram à ira com as suas ações; e uma praga rebentou entre eles.

    30 Então se levantou Finéias, que executou o juízo; e cessou aquela praga.

    31 E isto lhe foi imputado como justiça, de geração em geração, para sempre.

    32 Indignaram-no também junto às águas de Meribá, de sorte que sucedeu mal a Moisés por causa deles;

    33 porque amarguraram o seu espírito; e ele falou imprudentemente com seus lábios.

    34 Não destruíram os povos, como o Senhor lhes ordenara;

    35 antes se misturaram com as nações, e aprenderam as suas obras.

    36 Serviram aos seus ídolos, que vieram a ser-lhes um laço;

    37 sacrificaram seus filhos e suas filhas aos demônios;

    38 e derramaram sangue inocente, o sangue de seus filhos e de suas filhas, que eles sacrificaram aos ídolos de Canaã; e a terra foi manchada com sangue.

    39 Assim se contaminaram com as suas obras, e se prostituíram pelos seus feitos.

    40 Pelo que se acendeu a ira do Senhor contra o seu povo, de modo que abominou a sua herança;

    41 entregou-os nas mãos das nações, e aqueles que os odiavam dominavam sobre eles.

    42 Os seus inimigos os oprimiram, e debaixo das mãos destes foram eles humilhados.

    43 Muitas vezes os livrou; mas eles foram rebeldes nos seus desígnios, e foram abatidos pela sua iniqüidade.

    44 Contudo, atentou para a sua aflição, quando ouviu o seu clamor;

    45 e a favor deles lembrou-se do seu pacto, e aplacou-se, segundo a abundância da sua benignidade.

    46 Por isso fez com que obtivessem compaixão da parte daqueles que os levaram cativos.

    47 Salva-nos, Senhor, nosso Deus, e congrega-nos dentre as nações, para que louvemos o teu santo nome, e nos gloriemos no teu louvor.

    48 Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, de eternidade em eternidade! E diga todo o povo: Amém. Louvai ao Senhor.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal106.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 49 - O Homem com seu luxo não entende.

    Postado por Heitor Neves | 17 de Agosto, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 49 - O Homem com seu luxo não entende.

    1 Ouvi isto, vós todos os povos; inclinai os ouvidos, todos os habitantes do mundo,

    2 quer humildes quer grandes, tanto ricos como pobres.

    3 A minha boca falará a sabedoria, e a meditação do meu coração será de entendimento.

    4 Inclinarei os meus ouvidos a uma parábola; decifrarei o meu enigma ao som da harpa.

    5 Por que temeria eu nos dias da adversidade, ao cercar-me a iniqüidade dos meus perseguidores,

    6 dos que confiam nos seus bens e se gloriam na multidão das suas riquezas?

    7 Nenhum deles de modo algum pode remir a seu irmão, nem por ele dar um resgate a Deus,

    8 (pois a redenção da sua vida é caríssima, de sorte que os seus recursos não dariam;)

    9 para que continuasse a viver para sempre, e não visse a cova.

    10 Sim, ele verá que até os sábios morrem, que perecem igualmente o néscio e o estúpido, e deixam a outros os seus bens.

    11 O pensamento íntimo deles é que as suas casas são perpétuas e as suas habitações de geração em geração; dão às suas terras os seus próprios nomes.

    12 Mas o homem, embora esteja em honra, não permanece; antes é como os animais que perecem.

    13 Este é o destino dos que confiam em si mesmos; o fim dos que se satisfazem com as suas próprias palavras.

    14 Como ovelhas são arrebanhados ao Seol; a morte os pastoreia; ao romper do dia os retos terão domínio sobre eles; e a sua formosura se consumirá no Seol, que lhes será por habitação.

    15 Mas Deus remirá a minha alma do poder do Seol, pois me receberá.

    16 Não temas quando alguém se enriquece, quando a glória da sua casa aumenta.

    17 Pois, quando morrer, nada levará consigo; a sua glória não descerá após ele.

    18 Ainda que ele, enquanto vivo, se considera feliz e os homens o louvam quando faz o bem a si mesmo,

    19 ele irá ter com a geração de seus pais; eles nunca mais verão a luz

    20 Mas o homem, embora esteja em honra, não permanece; antes é como os animais que perecem.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal049.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 130 - Com o Senhor está o Amor

    Postado por Heitor Neves | 10 de Agosto, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 130 - Com o Senhor está o Amor

    1 Das profundezas clamo a ti, ó Senhor.

    2 Senhor, escuta a minha voz; estejam os teus ouvidos atentos à voz das minhas súplicas.

    3 Se tu, Senhor, observares as iniqüidades, Senhor, quem subsistirá?

    4 Mas contigo está o perdão, para que sejas temido.

    5 Aguardo ao Senhor; a minha alma o aguarda, e espero na sua palavra.

    6 A minha alma anseia pelo Senhor, mais do que os guardas pelo romper da manhã, sim, mais do que os guardas pela manhã.

    7 Espera, ó Israel, no Senhor! pois com o Senhor há benignidade, e com ele há copiosa redenção;

    8 e ele remirá a Israel de todas as suas iniqüidades.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal130.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 96 - Tributai a Deus Glória e Poder!

    Postado por Heitor Neves | 03 de Agosto, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 96 - Tributai a Deus Glória e Poder!

    1 Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai ao Senhor, todos os moradores da terra.

    2 Cantai ao Senhor, bendizei o seu nome; anunciai de dia em dia a sua salvação.

    3 Anunciai entre as nações a sua glória, entre todos os povos as suas maravilhas.

    4 Porque grande é o Senhor, e digno de ser louvado; ele é mais temível do que todos os deuses.

    5 Porque todos os deuses dos povos são ídolos; mas o Senhor fez os céus.

    6 Glória e majestade estão diante dele, força e formosura no seu santuário.

    7 Tributai ao Senhor, ó famílias dos povos, tributai ao Senhor glória e força.

    8 Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; trazei oferendas, e entrai nos seus átrios.

    9 Adorai ao Senhor vestidos de trajes santos; tremei diante dele, todos os habitantes da terra.

    10 Dizei entre as nações: O Senhor reina; ele firmou o mundo, de modo que não pode ser abalado. Ele julgará os povos com retidão.

    11 Alegrem-se os céus, e regozije-se a terra; brame o mar e a sua plenitude.

    12 Exulte o campo, e tudo o que nele há; então cantarão de júbilo todas as árvores do bosque

    13 diante do Senhor, porque ele vem, porque vem julgar a terra: julgará o mundo com justiça e os povos com a sua fidelidade.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal096.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 31 - Em Tuas mãos entrego meu espírito.

    Postado por Heitor Neves | 27 de Julho, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 31 - Em Tuas mãos entrego meu espírito.

    1 Em ti, Senhor, me refugio; nunca seja eu envergonhado; livra-me pela tua justiça!

    2 Inclina para mim os teus ouvidos, livra-me depressa! Sê para mim uma rocha de refúgio, uma casa de defesa que me salve!

    3 Porque tu és a minha rocha e a minha fortaleza; pelo que, por amor do teu nome, guia-me e encaminha-me.

    4 Tira-me do laço que me armaram, pois tu és o meu refúgio.

    5 Nas tuas mãos entrego o meu espírito; tu me remiste, ó Senhor, Deus da verdade.

    6 Odeias aqueles que atentam para ídolos vãos; eu, porém, confio no Senhor.

    7 Eu me alegrarei e regozijarei na tua benignidade, pois tens visto a minha aflição. Tens conhecido as minhas angústias,

    8 e não me entregaste nas mãos do inimigo; puseste os meus pés num lugar espaçoso.

    9 Tem compaixão de mim, ó Senhor, porque estou angustiado; consumidos estão de tristeza os meus olhos, a minha alma e o meu corpo.

    10 Pois a minha vida está gasta de tristeza, e os meus anos de suspiros; a minha força desfalece por causa da minha iniqüidade, e os meus ossos se consomem.

    11 Por causa de todos os meus adversários tornei-me em opróbrio, sim, sobremodo o sou para os meus vizinhos, e horror para os meus conhecidos; os que me vêem na rua fogem de mim.

    12 Sou esquecido como um morto de quem não há memória; sou como um vaso quebrado.

    13 Pois tenho ouvido a difamação de muitos, terror por todos os lados; enquanto juntamente conspiravam contra mim, maquinaram tirar-me a vida.

    14 Mas eu confio em ti, ó Senhor; e digo: Tu és o meu Deus.

    15 Os meus dias estão nas tuas mãos; livra-me das mãos dos meus inimigos e dos que me perseguem.

    16 Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo; salva-me por tua bondade.

    17 Não seja eu envergonhado, ó Senhor, porque te invoco; envergonhados sejam os ímpios, emudeçam no Seol.

    18 Emudeçam os lábios mentirosos, que falam insolentemente contra o justo, com arrogância e com desprezo.

    19 Oh! quão grande é a tua bondade, que guardaste para os que te temem, a qual na presença dos filhos dos homens preparaste para aqueles que em ti se refugiam!

    20 No abrigo da tua presença tu os escondes das intrigas dos homens; em um pavilhão os ocultas da contenda das línguas.

    21 Bendito seja o Senhor, pois fez maravilhosa a sua bondade para comigo numa cidade sitiada.

    22 Eu dizia no meu espanto: Estou cortado de diante dos teus olhos; não obstante, tu ouviste as minhas súplicas quando eu a ti clamei.

    23 Amai ao Senhor, vós todos os que sois seus santos; o Senhor guarda os fiéis, e retribui abundantemente ao que usa de soberba.

    24 Esforçai-vos, e fortaleça-se o vosso coração, vós todos os que esperais no Senhor.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal031.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 119 - Que Tua misericórdia venha a mim!

    Postado por Heitor Neves | 20 de Julho, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 119 - Que Tua misericórdia venha a mim!

    73 As tuas mãos me fizeram e me formaram; dá-me entendimento para que aprenda os teus mandamentos.

    74 Os que te temem me verão e se alegrarão, porque tenho esperado na tua palavra.

    75 Bem sei eu, ó Senhor, que os teus juízos são retos, e que em tua fidelidade me afligiste.

    76 Sirva, pois, a tua benignidade para me consolar, segundo a palavra que deste ao teu servo.

    77 Venham sobre mim as tuas ternas misericórdias, para que eu viva, pois a tua lei é o meu deleite.

    78 Envergonhados sejam os soberbos, por me haverem subvertido sem causa; mas eu meditarei nos teus preceitos.

    79 Voltem-se para mim os que te temem, para que conheçam os teus testemunhos.

    80 Seja perfeito o meu coração nos teus estatutos, para que eu não seja envergonhado.

    de:http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal119.htm

  • Salmo da Semana : salmo 47 - Deus é Rei acima das nações

    Postado por Heitor Neves | 13 de Julho, 2014

    Salmo da Semana : salmo 47 - Deus é Rei acima das nações

    1 Batei palmas, todos os povos; aclamai a Deus com voz de júbilo.

    2 Porque o Senhor Altíssimo é tremendo; é grande rei sobre toda a terra.

    3 Ele nos sujeitou povos e nações sob os nossos pés.

    4 Escolheu para nós a nossa herança, a glória de Jacó, a quem amou.

    5 Deus subiu entre aplausos, o Senhor subiu ao som de trombeta.

    6 Cantai louvores a Deus, cantai louvores; cantai louvores ao nosso rei, cantai louvores.

    7 Pois Deus é o rei de toda a terra; cantai louvores com salmo.

    8 Deus reina sobre as nações; Deus está sentado sobre o seu santo trono.

    9 Os príncipes dos povos se reúnem como povo do Deus de Abraão, porque a Deus pertencem os escudos da terra; ele é sumamente exaltado.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal047.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 88 - Inclina Teu ouvido ao meu grito.

    Postado por Heitor Neves | 06 de Julho, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 88 - Inclina Teu ouvido ao meu grito.

    1 ó Senhor, Deus da minha salvação, dia e noite clamo diante de ti.

    2 Chegue à tua presença a minha oração, inclina os teus ouvidos ao meu clamor;

    3 porque a minha alma está cheia de angústias, e a minha vida se aproxima do Seol.

    4 Já estou contado com os que descem à cova; estou como homem sem forças,

    5 atirado entre os finados; como os mortos que jazem na sepultura, dos quais já não te lembras, e que são desamparados da tua mão.

    6 Puseste-me na cova mais profunda, em lugares escuros, nas profundezas.

    7 Sobre mim pesa a tua cólera; tu me esmagaste com todas as tuas ondas.

    8 Apartaste de mim os meus conhecidos, fizeste-me abominável para eles; estou encerrado e não posso sair.

    9 Os meus olhos desfalecem por causa da aflição. Clamo a ti todo dia, Senhor, estendendo-te as minhas mãos.

    10 Mostrarás tu maravilhas aos mortos? ou levantam-se os mortos para te louvar?

    11 Será anunciada a tua benignidade na sepultura, ou a tua fidelidade no Abadom?

    12 Serão conhecidas nas trevas as tuas maravilhas, e a tua justiça na terra do esquecimento?

    13 Eu, porém, Senhor, clamo a ti; de madrugada a minha oração chega à tua presença.

    14 Senhor, por que me rejeitas? por que escondes de mim a tua face?

    15 Estou aflito, e prestes a morrer desde a minha mocidade; sofro os teus terrores, estou desamparado.

    16 Sobre mim tem passado a tua ardente indignação; os teus terrores deram cabo de mim.

    17 Como águas me rodeiam todo o dia; cercam-me todos juntos.

    18 Aparte de mim amigos e companheiros; os meus conhecidos se acham nas trevas.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal088.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 16 - Tu me ensinarás o caminho da vida!

    Postado por Heitor Neves | 29 de Junho, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 16 - Tu me ensinarás o caminho da vida!

    1 Guarda-me, ó Deus, porque em ti me refúgio.

    2 Digo ao Senhor: Tu és o meu Senhor; além de ti não tenho outro bem.

    3 Quanto aos santos que estão na terra, eles são os ilustres nos quais está todo o meu prazer.

    4 Aqueles que escolhem a outros deuses terão as suas dores multiplicadas; eu não oferecerei as suas libações de sangue, nem tomarei os seus nomes nos meus lábios.

    5 Tu, Senhor, és a porção da minha herança e do meu cálice; tu és o sustentáculo do meu quinhão.

    6 As sortes me caíram em lugares deliciosos; sim, coube-me uma formosa herança.

    7 Bendigo ao Senhor que me aconselha; até os meus rins me ensinam de noite.

    8 Tenho posto o Senhor continuamente diante de mim; porquanto ele está à minha mão direita, não serei abalado.

    9 Porquanto está alegre o meu coração e se regozija a minha alma; também a minha carne habitará em segurança.

    10 Pois não deixarás a minha alma no Seol, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.

    11 Tu me farás conhecer a vereda da vida; na tua presença há plenitude de alegria; à tua mão direita há delícias perpetuamente.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal016.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 68 - Pai dos órfãos, justiceiro das viúvas.

    Postado por Heitor Neves | 22 de Junho, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 68 - Pai dos órfãos, justiceiro das viúvas.

    1 Levanta-se Deus! Sejam dispersos os seus inimigos; fujam de diante dele os que o odeiam!

    2 Como é impelida a fumaça, assim tu os impeles; como a cera se derrete diante do fogo, assim pereçam os ímpios diante de Deus.

    3 Mas alegrem-se os justos, e se regozijem na presença de Deus, e se encham de júbilo.

    4 Cantai a Deus, cantai louvores ao seu nome; louvai aquele que cavalga sobre as nuvens, pois o seu nome é Já; exultai diante dele.

    5 Pai de órfãos e juiz de viúvas é Deus na sua santa morada.

    6 Deus faz que o solitário viva em família; liberta os presos e os faz prosperar; mas os rebeldes habitam em terra árida.

    7 ó Deus! quando saías à frente do teu povo, quando caminhavas pelo deserto,

    8 a terra se abalava e os céus gotejavam perante a face de Deus; o próprio Sinai tremeu na presença de Deus, do Deus de Israel.

    9 Tu, ó Deus, mandaste copiosa chuva; restauraste a tua herança, quando estava cansada.

    10 Nela habitava o teu rebanho; da tua bondade, ó Deus, proveste o pobre.

    11 O Senhor proclama a palavra; grande é a companhia dos que anunciam as boas-novas.

    12 reis de exércitos fogem, sim, fogem; as mulheres em casa repartem os despojos.

    13 Deitados entre redis, sois como as asas da pomba cobertas de prata, com as suas penas de ouro amarelo.

    14 Quando o Todo-Poderoso ali dispersou os reis, caiu neve em Zalmom.

    15 Monte grandíssimo é o monte de Basã; monte de cimos numerosos é o monte de Basã!

    16 Por que estás, ó monte de cimos numerosos, olhando com inveja o monte que Deus desejou para sua habitação? Na verdade o Senhor habitará nele eternamente.

    17 Os carros de Deus são miríades, milhares de milhares. O Senhor está no meio deles, como em Sinai no santuário.

    18 Tu subiste ao alto, levando os teus cativos; recebeste dons dentre os homens, e até dentre os rebeldes, para que o Senhor Deus habitasse entre eles.

    19 Bendito seja o Senhor, que diariamente leva a nossa carga, o Deus que é a nossa salvação.

    20 Deus é para nós um Deus de libertação; a Jeová, o Senhor, pertence o livramento da morte.

    21 Mas Deus esmagará a cabeça de seus inimigos, o crânio cabeludo daquele que prossegue em suas culpas.

    22 Disse o Senhor: Eu os farei voltar de Basã; fá-los-ei voltar das profundezas do mar;

    23 para que mergulhes o teu pé em sangue, e para que a língua dos teus cães tenha dos inimigos o seu quinhão.

    24 Viu-se, ó Deus, a tua entrada, a entrada do meu Deus, meu rei, no santuário.

    25 Iam na frente os cantores, atrás os tocadores de instrumentos, no meio as donzelas que tocavam adufes.

    26 Bendizei a Deus nas congregações, ao Senhor, vós que sois da fonte de Israel.

    27 Ali está Benjamim, o menor deles, na frente; os chefes de Judá com o seu ajuntamento; os chefes de Judá com o seu ajuntamento; os chefes de Zebulom e os chefes de Naftali.

    28 Ordena, ó Deus, a tua força; confirma, ó Deus, o que já fizeste por nós.

    29 Por amor do teu templo em Jerusalém, os reis te trarão presentes.

    30 Repreende as feras dos caniçais, a multidão dos touros, com os bezerros dos povos. Calca aos pés as suas peças de prata; dissipa os povos que se deleitam na guerra.

    31 Venham embaixadores do Egito; estenda a Etiópia ansiosamente as mãos para Deus.

    32 reinos da terra, cantai a Deus, cantai louvores ao Senhor,

    33 àquele que vai montado sobre os céus dos céus, que são desde a antigüidade; eis que faz ouvir a sua voz, voz veemente.

    34 Atribuí a Deus força; sobre Israel está a sua excelência, e a sua força nos firmamento.

    35 ó Deus, tu és tremendo desde o teu santuário; o Deus de Israel, ele dá força e poder ao seu povo. Bendito seja Deus!

    de: http://jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal068.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 119 - Que Tua misericórdia venha a mim!

    Postado por Heitor Neves | 15 de Junho, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 119 - Que Tua misericórdia venha a mim!

    1 Bem-aventurados os que trilham com integridade o seu caminho, os que andam na lei do Senhor!

    2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração,

    3 que não praticam iniqüidade, mas andam nos caminhos dele!

    4 Tu ordenaste os teus preceitos, para que fossem diligentemente observados.

    5 Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe os teus estatutos!

    6 Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus mandamentos.

    7 Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido as tuas retas ordenanças.

    8 Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente!

    9 Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua palavra.

    10 De todo o meu coração tenho te buscado; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

    11 Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti.

    12 Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos.

    13 Com os meus lábios declaro todas as ordenanças da tua boca.

    14 Regozijo-me no caminho dos teus testemunhos, tanto como em todas as riquezas.

    15 Em teus preceitos medito, e observo os teus caminhos.

    16 Deleitar-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra.

    17 Faze bem ao teu servo, para que eu viva; assim observarei a tua palavra.

    18 Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei.

    19 Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.

    20 A minha alma se consome de anelos por tuas ordenanças em todo o tempo.

    21 Tu repreendeste os soberbos, os malditos, que se desviam dos teus mandamentos.

    22 Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois tenho guardado os teus testemunhos.

    23 Príncipes sentaram-se e falavam contra mim, mas o teu servo meditava nos teus estatutos.

    24 Os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros.

    25 A minha alma apega-se ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.

    26 Meus caminhos te descrevi, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos.

    27 Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim meditarei nas tuas maravilhas.

    28 A minha alma se consome de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.

    29 Desvia de mim o caminho da falsidade, e ensina-me benignidade a tua lei.

    30 Escolhi o caminho da fidelidade; diante de mim pus as tuas ordenanças.

    31 Apego-me aos teus testemunhos, ó Senhor; não seja eu envergonhado.

    32 Percorrerei o caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.

    33 Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e eu o guardarei até o fim.

    34 Dá-me entendimento, para que eu guarde a tua lei, e a observe de todo o meu coração.

    35 Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela me comprazo.

    36 Inclina o meu coração para os teus testemunhos, e não para a cobiça.

    37 Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.

    38 Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor.

    39 Desvia de mim o opróbrio que temo, pois as tuas ordenanças são boas.

    40 Eis que tenho anelado os teus preceitos; vivifica-me por tua justiça.

    41 Venha também sobre mim a tua benignidade, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra.

    42 Assim terei o que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.

    43 De minha boca não tires totalmente a palavra da verdade, pois tenho esperado nos teus juízos.

    44 Assim observarei de contínuo a tua lei, para sempre e eternamente;

    45 e andarei em liberdade, pois tenho buscado os teus preceitos.

    46 Falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.

    47 Deleitar-me-ei em teus mandamentos, que eu amo.

    48 Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amo, e meditarei nos teus estatutos.

    49 Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar.

    50 Isto é a minha consolação na minha angústia, que a tua promessa me vivifica.

    51 Os soberbos zombaram grandemente de mim; contudo não me desviei da tua lei.

    52 Lembro-me dos teus juízos antigos, ó Senhor, e assim me consolo.

    53 Grande indignação apoderou-se de mim, por causa dos ímpios que abandonam a tua lei.

    54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.

    55 De noite me lembrei do teu nome, ó Senhor, e observei a tua lei.

    56 Isto me sucedeu, porque tenho guardado os teus preceitos.

    57 O Senhor é o meu quinhão; prometo observar as tuas palavras.

    58 De todo o meu coração imploro o teu favor; tem piedade de mim, segundo a tua palavra.

    59 Quando considero os meus caminhos, volto os meus pés para os teus testemunhos.

    60 Apresso-me sem detença a observar os teus mandamentos.

    61 Enleiam-me os laços dos ímpios; mas eu não me esqueço da tua lei.

    62 á meia-noite me levanto para dar-te graças, por causa dos teus retos juízos.

    63 Companheiro sou de todos os que te temem, e dos que guardam os teus preceitos.

    64 A terra, ó Senhor, está cheia da tua benignidade; ensina-me os teus estatutos.

    65 Tens usado de bondade para com o teu servo, Senhor, segundo a tua palavra.

    66 Ensina-me bom juízo e ciência, pois creio nos teus mandamentos.

    67 Antes de ser afligido, eu me extraviava; mas agora guardo a tua palavra.

    68 Tu és bom e fazes o bem; ensina-me os teus estatutos.

    69 Os soberbos forjam mentiras contra mim; mas eu de todo o coração guardo os teus preceitos.

    70 Torna-se-lhes insensível o coração como a gordura; mas eu me deleito na tua lei.

    71 Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos.

    72 Melhor é para mim a lei da tua boca do que milhares de ouro e prata.

    73 As tuas mãos me fizeram e me formaram; dá-me entendimento para que aprenda os teus mandamentos.

    74 Os que te temem me verão e se alegrarão, porque tenho esperado na tua palavra.

    75 Bem sei eu, ó Senhor, que os teus juízos são retos, e que em tua fidelidade me afligiste.

    76 Sirva, pois, a tua benignidade para me consolar, segundo a palavra que deste ao teu servo.

    77 Venham sobre mim as tuas ternas misericórdias, para que eu viva, pois a tua lei é o meu deleite.

    78 Envergonhados sejam os soberbos, por me haverem subvertido sem causa; mas eu meditarei nos teus preceitos.

    79 Voltem-se para mim os que te temem, para que conheçam os teus testemunhos.

    80 Seja perfeito o meu coração nos teus estatutos, para que eu não seja envergonhado.

    81 Desfalece a minha alma, aguardando a tua salvação; espero na tua palavra.

    82 Os meus olhos desfalecem, esperando por tua promessa, enquanto eu pergunto: Quando me consolarás tu?

    83 Pois tornei-me como odre na fumaça, mas não me esqueci dos teus estatutos.

    84 Quantos serão os dias do teu servo? Até quando não julgarás aqueles que me perseguem?

    85 Abriram covas para mim os soberbos, que não andam segundo a tua lei.

    86 Todos os teus mandamentos são fiéis. Sou perseguido injustamente; ajuda-me!

    87 Quase que me consumiram sobre a terra, mas eu não deixei os teus preceitos.

    88 Vivifica-me segundo a tua benignidade, para que eu guarde os testemunhos da tua boca.

    89 Para sempre, ó Senhor, a tua palavra está firmada nos céus.

    90 A tua fidelidade estende-se de geração a geração; tu firmaste a terra, e firme permanece.

    91 Conforme a tua ordenança, tudo se mantém até hoje, porque todas as coisas te obedecem.

    92 Se a tua lei não fora o meu deleite, então eu teria perecido na minha angústia.

    93 Nunca me esquecerei dos teus preceitos, pois por eles me tens vivificado.

    94 Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos.

    95 Os ímpios me espreitam para me destruírem, mas eu atento para os teus testemunhos.

    96 A toda perfeição vi limite, mas o teu mandamento é ilimitado.

    97 Oh! quanto amo a tua lei! ela é a minha meditação o dia todo.

    98 O teu mandamento me faz mais sábio do que meus inimigos, pois está sempre comigo.

    99 Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os teus testemunhos são a minha meditação.

    100 Sou mais entendido do que os velhos, porque tenho guardado os teus preceitos.

    101 Retenho os meus pés de todo caminho mau, a fim de observar a tua palavra.

    102 Não me aperto das tuas ordenanças, porque és tu quem me instrui.

    103 Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! mais doces do que o mel à minha boca.

    104 Pelos teus preceitos alcanço entendimento, pelo que aborreço toda vereda de falsidade.

    105 Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho.

    106 Fiz juramento, e o confirmei, de guardar as tuas justas ordenanças.

    107 Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua palavra.

    108 Aceita, Senhor, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca, e ensina-me as tuas ordenanças.

    109 Estou continuamente em perigo de vida; todavia não me esqueço da tua lei.

    110 Os ímpios me armaram laço, contudo não me desviei dos teus preceitos.

    111 Os teus testemunhos são a minha herança para sempre, pois são eles o gozo do meu coração.

    112 Inclino o meu coração a cumprir os teus estatutos, para sempre, até o fim.

    113 Aborreço a duplicidade, mas amo a tua lei.

    114 Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra.

    115 Apartai-vos de mim, malfeitores, para que eu guarde os mandamentos do meu Deus.

    116 Ampara-me conforme a tua palavra, para que eu viva; e não permitas que eu seja envergonhado na minha esperança.

    117 Sustenta-me, e serei salvo, e de contínuo terei respeito aos teus estatutos.

    118 Desprezas todos os que se desviam dos teus estatutos, pois a astúcia deles é falsidade.

    119 Deitas fora, como escória, todos os ímpios da terra; pelo que amo os teus testemunhos.

    120 Arrepia-se-me a carne com temor de ti, e tenho medo dos teus juízos.

    121 Tenho praticado a retidão e a justiça; não me abandones aos meus opressores.

    122 Fica por fiador do teu servo para o bem; não me oprimem os soberbos.

    123 Os meus olhos desfalecem à espera da tua salvação e da promessa da tua justiça.

    124 Trata com o teu servo segundo a tua benignidade, e ensina-me os teus estatutos.

    125 Sou teu servo; dá-me entendimento, para que eu conheça os teus testemunhos.

    126 É tempo de agires, ó Senhor, pois eles violaram a tua lei.

    127 Pelo que amo os teus mandamentos mais do que o ouro, sim, mais do que o ouro fino.

    128 Por isso dirijo os meus passos por todos os teus preceitos, e aborreço toda vereda de falsidade.

    129 Maravilhosos são os teus testemunhos, por isso a minha alma os guarda.

    130 A exposição das tuas palavras dá luz; dá entendimento aos simples.

    131 Abro a minha boca e arquejo, pois estou anelante pelos teus mandamentos.

    132 Volta-te para mim, e compadece-te de mim, conforme usas para com os que amam o teu nome.

    133 Firma os meus passos na tua palavra; e não se apodere de mim iniqüidade alguma.

    134 Resgata-me da opressão do homem; assim guardarei os teus preceitos.

    135 Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo, e ensina-me os teus estatutos.

    136 Os meus olhos derramam rios de lágrimas, porque os homens não guardam a tua lei.

    137 Justo és, ó Senhor, e retos são os teus juízos.

    138 Ordenaste os teus testemunhos com retidão, e com toda a fidelidade.

    139 O meu zelo me consome, porque os meus inimigos se esquecem da tua palavra.

    140 A tua palavra é fiel a toda prova, por isso o teu servo a ama.

    141 Pequeno sou e desprezado, mas não me esqueço dos teus preceitos.

    142 A tua justiça é justiça eterna, e a tua lei é a verdade.

    143 Tribulação e angústia se apoderaram de mim; mas os teus mandamentos são o meu prazer.

    144 Justos são os teus testemunhos para sempre; dá-me entendimento, para que eu viva.

    145 Clamo de todo o meu coração; atende-me, Senhor! Eu guardarei os teus estatutos.

    146 A ti clamo; salva-me, para que guarde os teus testemunhos.

    147 Antecipo-me à alva da manhã e clamo; aguardo com esperança as tuas palavras.

    148 Os meus olhos se antecipam às vigílias da noite, para que eu medite na tua palavra.

    149 Ouve a minha voz, segundo a tua benignidade; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua justiça.

    150 Aproximam-se os que me perseguem maliciosamente; andam afastados da tua lei.

    151 Tu estás perto, Senhor, e todos os teus mandamentos são verdade.

    152 Há muito sei eu dos teus testemunhos que os fundaste para sempre.

    153 Olha para a minha aflição, e livra-me, pois não me esqueço da tua lei.

    154 Pleiteia a minha causa, e resgata-me; vivifica-me segundo a tua palavra.

    155 A salvação está longe dos ímpios, pois não buscam os teus estatutos.

    156 Muitas são, Senhor, as tuas misericórdias; vivifica-me segundo os teus juízos.

    157 Muitos são os meus perseguidores e os meus adversários, mas não me desvio dos teus testemunhos.

    158 Vi os pérfidos, e me afligi, porque não guardam a tua palavra.

    159 Considera como amo os teus preceitos; vivifica-me, Senhor, segundo a tua benignidade.

    160 A soma da tua palavra é a verdade, e cada uma das tuas justas ordenanças dura para sempre.

    161 Príncipes me perseguem sem causa, mas o meu coração teme as tuas palavras.

    162 Regozijo-me com a tua palavra, como quem acha grande despojo.

    163 Odeio e abomino a falsidade; amo, porém, a tua lei.

    164 Sete vezes no dia te louvo pelas tuas justas ordenanças.

    165 Muita paz têm os que amam a tua lei, e não há nada que os faça tropeçar.

    166 Espero, Senhor, na tua salvação, e cumpro os teus mandamentos.

    167 A minha alma observa os teus testemunhos; amo-os extremamente.

    168 Observo os teus preceitos e os teus testemunhos, pois todos os meus caminhos estão diante de ti.

    169 Chegue a ti o meu clamor, ó Senhor; dá-me entendimento conforme a tua palavra.

    170 Chegue à tua presença a minha súplica; livra-me segundo a tua palavra.

    171 Profiram louvor os meus lábios, pois me ensinas os teus estatutos.

    172 Celebre a minha língua a tua palavra, pois todos os teus mandamentos são justos.

    173 Esteja pronta a tua mão para me socorrer, pois escolhi os teus preceitos.

    174 Anelo por tua salvação, ó Senhor; a tua lei é o meu prazer.

    175 Que minha alma viva, para que te louve; ajudem-me as tuas ordenanças.

    176 Desgarrei-me como ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueço dos teus mandamentos.

    de: http://jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal119.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 18 - O Altíssimo fez ouvir Sua voz!

    Postado por Heitor Neves | 08 de Junho, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 18 - O Altíssimo fez ouvir Sua voz!

    1 Eu te amo, ó Senhor, força minha.

    2 O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador; o meu Deus, o meu rochedo, em quem me refúgio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.

    3 Invoco o Senhor, que é digno de louvor, e sou salvo dos meus inimigos.

    4 Cordas de morte me cercaram, e torrentes de perdição me amedrontaram.

    5 Cordas de Seol me cingiram, laços de morte me surpreenderam.

    6 Na minha angústia invoquei o Senhor, sim, clamei ao meu Deus; do seu templo ouviu ele a minha voz; o clamor que eu lhe fiz chegou aos seus ouvidos.

    7 Então a terra se abalou e tremeu, e os fundamentos dos montes também se moveram e se abalaram, porquanto ele se indignou.

    8 Das suas narinas subiu fumaça, e da sua boca saiu fogo devorador; dele saíram brasas ardentes.

    9 Ele abaixou os céus e desceu; trevas espessas havia debaixo de seus pés.

    10 Montou num querubim, e voou; sim, voou sobre as asas do vento.

    11 Fez das trevas o seu retiro secreto; o pavilhão que o cercava era a escuridão das águas e as espessas nuvens do céu.

    12 Do resplendor da sua presença saíram, pelas suas espessas nuvens, saraiva e brasas de fogo.

    13 O Senhor trovejou a sua voz; e havia saraiva e brasas de fogo.

    14 Despediu as suas setas, e os espalhou; multiplicou raios, e os perturbou.

    15 Então foram vistos os leitos das águas, e foram descobertos os fundamentos do mundo, à tua repreensão, Senhor, ao sopro do vento das tuas narinas.

    16 Do alto estendeu o braço e me tomou; tirou-me das muitas águas.

    17 Livrou-me do meu inimigo forte e daqueles que me odiavam; pois eram mais poderosos do que eu.

    18 Surpreenderam-me eles no dia da minha calamidade, mas o Senhor foi o meu amparo.

    19 Trouxe-me para um lugar espaçoso; livrou-me, porque tinha prazer em mim.

    20 Recompensou-me o Senhor conforme a minha justiça, retribuiu-me conforme a pureza das minhas mãos.

    21 Pois tenho guardado os caminhos do Senhor, e não me apartei impiamente do meu Deus.

    22 Porque todas as suas ordenanças estão diante de mim, e nunca afastei de mim os seus estatutos.

    23 Também fui irrepreensível diante dele, e me guardei da iniqüidade.

    24 Pelo que o Senhor me recompensou conforme a minha justiça, conforme a pureza de minhas mãos perante os seus olhos.

    25 Para com o benigno te mostras benigno, e para com o homem perfeito te mostras perfeito.

    26 Para com o puro te mostras puro, e para com o perverso te mostras contrário.

    27 Porque tu livras o povo aflito, mas os olhos altivos tu os abates.

    28 Sim, tu acendes a minha candeia; o Senhor meu Deus alumia as minhas trevas.

    29 Com o teu auxílio dou numa tropa; com o meu Deus salto uma muralha.

    30 Quanto a Deus, o seu caminho é perfeito; a promessa do Senhor é provada; ele é um escudo para todos os que nele confiam.

    31 Pois, quem é Deus senão o Senhor? e quem é rochedo senão o nosso Deus?

    32 Ele é o Deus que me cinge de força e torna perfeito o meu caminho;

    33 faz os meus pés como os das corças, e me coloca em segurança nos meus lugares altos.

    34 Adestra as minhas mãos para a peleja, de sorte que os meus braços vergam um arco de bronze.

    35 Também me deste o escudo da tua salvação; a tua mão direita me sustém, e a tua clemência me engrandece.

    36 Alargas o caminho diante de mim, e os meus pés não resvalam.

    37 Persigo os meus inimigos, e os alcanço; não volto senão depois de os ter consumido.

    38 Atravesso-os, de modo que nunca mais se podem levantar; caem debaixo dos meus pés.

    39 Pois me cinges de força para a peleja; prostras debaixo de mim aqueles que contra mim se levantam.

    40 Fazes também que os meus inimigos me dêem as costas; aos que me odeiam eu os destruo.

    41 Clamam, porém não há libertador; clamam ao Senhor, mas ele não lhes responde.

    42 Então os esmiuço como o pó diante do vento; lanço-os fora como a lama das ruas.

    43 Livras-me das contendas do povo, e me fazes cabeça das nações; um povo que eu não conhecia se me sujeita.

    44 Ao ouvirem de mim, logo me obedecem; com lisonja os estrangeiros se me submetem.

    45 Os estrangeiros desfalecem e, tremendo, saem dos seus esconderijos.

    46 Vive o Senhor; bendita seja a minha rocha, e exaltado seja o Deus da minha salvação,

    47 o Deus que me dá vingança, e sujeita os povos debaixo de mim,

    48 que me livra de meus inimigos; sim, tu me exaltas sobre os que se levantam contra mim; tu me livras do homem violento.

    49 Pelo que, ó Senhor, te louvarei entre as nações, e entoarei louvores ao teu nome.

    50 Ele dá grande livramento ao seu rei, e usa de benignidade para com o seu ungido, para com Davi e sua posteridade, para sempre.

  • Salmo da Semana : Salmo 24 - Deus é o Rei da glória

    Postado por Heitor Neves | 01 de Junho, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 24 - Deus é o Rei da glória

    1 Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam.

    2 Porque ele a fundou sobre os mares, e a firmou sobre os rios.

    3 Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo?

    4 Aquele que é limpo de mãos e puro de coração; que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente.

    5 Este receberá do Senhor uma bênção, e a justiça do Deus da sua salvação.

    6 Tal é a geração daqueles que o buscam, daqueles que buscam a tua face, ó Deus de Jacó.

    7 Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o rei da Glória.

    8 Quem é o rei da Glória? O Senhor forte e poderoso, o Senhor poderoso na batalha.

    9 Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o rei da Glória.

    10 Quem é esse rei da Glória? O Senhor dos exércitos; ele é o rei da Glória.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal024.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 85 - Mostra-nos seu Amor

    Postado por Heitor Neves | 25 de Maio, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 85 - Mostra-nos seu Amor

    1 Mostraste favor, Senhor, à tua terra; fizeste regressar os cativos de Jacó.

    2 Perdoaste a iniqüidade do teu povo; cobriste todos os seus pecados.

    3 Retraíste toda a tua cólera; refreaste o ardor da tua ira.

    4 Restabelece-nos, ó Deus da nossa salvação, e faze cessar a tua indignação contra nós.

    5 Estarás para sempre irado contra nós? estenderás a tua ira a todas as gerações?

    6 Não tornarás a vivificar-nos, para que o teu povo se regozije em ti?

    7 Mostra-nos, Senhor, a tua benignidade, e concede-nos a tua salvação.

    8 Escutarei o que Deus, o Senhor, disser; porque falará de paz ao seu povo, e aos seus santos, contanto que não voltem à insensatez.

    9 Certamente que a sua salvação está perto aqueles que o temem, para que a glória habite em nossa terra.

    10 A benignidade e a fidelidade se encontraram; a justiça e a paz se beijaram.

    11 A fidelidade brota da terra, e a justiça olha desde o céu.

    12 O Senhor dará o que é bom, e a nossa terra produzirá o seu fruto.

    13 A justiça irá adiante dele, marcando o caminho com as suas pegadas.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal085.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 12 - Tú nos protegerás!

    Postado por Heitor Neves | 18 de Maio, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 12 - Tú nos protegerás!

    1 Salva-nos, Senhor, pois não existe mais o piedoso; os fiéis desapareceram dentre os filhos dos homens.

    2 Cada um fala com falsidade ao seu próximo; falam com lábios lisonjeiros e coração dobre.

    3 Corte o Senhor todos os lábios lisonjeiros e a língua que fala soberbamente,

    4 os que dizem: Com a nossa língua prevaleceremos; os nossos lábios a nós nos pertencem; quem sobre nós é senhor?

    5 Por causa da opressão dos pobres, e do gemido dos necessitados, levantar-me-ei agora, diz o Senhor; porei em segurança quem por ela suspira.

    6 As palavras do Senhor são palavras puras, como prata refinada numa fornalha de barro, purificada sete vezes.

    7 Guarda-nos, ó Senhor; desta geração defende-nos para sempre.

    8 Os ímpios andam por toda parte, quando a vileza se exalta entre os filhos dos homens.

  • Salmo da Semana : Salmo 89 - Jamais vou profanar minha aliança

    Postado por Heitor Neves | 11 de Maio, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 89 - Jamais vou profanar minha aliança

    1 Cantarei para sempre as benignidades do Senhor; com a minha boca proclamarei a todas as gerações a tua fidelidade.

    2 Digo, pois: A tua benignidade será renovada para sempre; tu confirmarás a tua fidelidade até nos céus, dizendo:

    3 Fiz um pacto com o meu escolhido; jurei ao meu servo Davi:

    4 Estabelecerei para sempre a tua descendência, e firmarei o teu trono por todas as gerações.

    5 Os céus louvarão as tuas maravilhas, ó Senhor, e a tua fidelidade na assembléia dos santos.

    6 Pois quem no firmamento se pode igualar ao Senhor? Quem entre os filhos de Deus é semelhante ao Senhor,

    7 um Deus sobremodo tremendo na assembléia dos santos, e temível mais do que todos os que estão ao seu redor?

    8 ó Senhor, Deus dos exércitos, quem é poderoso como tu, Senhor, com a tua fidelidade ao redor de ti?

    9 Tu dominas o ímpio do mar; quando as suas ondas se levantam tu as fazes aquietar.

    10 Tu abateste a Raabe como se fora ferida de morte; com o teu braço poderoso espalhaste os teus inimigos.

    11 São teus os céus, e tua é a terra; o mundo e a sua plenitude, tu os fundaste.

    12 O norte e o sul, tu os criaste; o Tabor e o Hermom regozijam-se em teu nome.

    13 Tu tens um braço poderoso; forte é a tua mão, e elevado a tua destra.

    14 Justiça e juízo são a base do teu trono; benignidade e verdade vão adiante de ti.

    15 Bem-aventurado o povo que conhece o som festivo, que anda, ó Senhor, na luz da tua face,

    16 que se regozija em teu nome todo o dia, e na tua justiça é exaltado.

    17 Pois tu és a glória da sua força; e pelo teu favor será exaltado o nosso poder.

    18 Porque o Senhor é o nosso escudo, e o Santo de Israel é o nosso rei.

    19 Naquele tempo falaste em visão ao teu santo, e disseste: Coloquei a coroa num homem poderoso; exaltei um escolhido dentre o povo.

    20 Achei Davi, meu servo; com o meu santo óleo o ungi.

    21 A minha mão será sempre com ele, e o meu braço o fortalecerá.

    22 O inimigo não o surpreenderá, nem o filho da perversidade o afligirá.

    23 Eu esmagarei diante dele os seus adversários, e aos que o odeiam abaterei.

    24 A minha fidelidade, porém, e a minha benignidade estarão com ele, e em meu nome será exaltado o seu poder.

    25 Porei a sua mão sobre o mar, e a sua destra sobre os rios.

    26 Ele me invocará, dizendo: Tu és meu pai, meu Deus, e a rocha da minha salvação.

    27 Também lhe darei o lugar de primogênito; fá-lo-ei o mais excelso dos reis da terra.

    28 Conservar-lhe-ei para sempre a minha benignidade, e o meu pacto com ele ficará firme.

    29 Farei que subsista para sempre a sua descendência, e o seu trono como os dias dos céus.

    30 Se os seus filhos deixarem a minha lei, e não andarem nas minhas ordenanças,

    31 se profanarem os meus preceitos, e não guardarem os meus mandamentos,

    32 então visitarei com vara a sua transgressão, e com açoites a sua iniqüidade.

    33 Mas não lhe retirarei totalmente a minha benignidade, nem faltarei com a minha fidelidade.

    34 Não violarei o meu pacto, nem alterarei o que saiu dos meus lábios.

    35 Uma vez para sempre jurei por minha santidade; não mentirei a Davi.

    36 A sua descendência subsistirá para sempre, e o seu trono será como o sol diante de mim;

    37 será estabelecido para sempre como a lua, e ficará firme enquanto o céu durar.

    38 Mas tu o repudiaste e rejeitaste, tu estás indignado contra o teu ungido.

    39 Desprezaste o pacto feito com teu servo; profanaste a sua coroa, arrojando-a por terra.

    40 Derribaste todos os seus muros; arruinaste as suas fortificações.

    41 Todos os que passam pelo caminho o despojam; tornou-se objeto de opróbrio para os seus vizinhos.

    42 Exaltaste a destra dos seus adversários; fizeste com que todos os seus inimigos se regozijassem.

    43 Embotaste o fio da sua espada, e não o sustentaste na peleja;

    44 fizeste cessar o seu esplendor, e arrojaste por terra o seu trono;

    45 abreviaste os dias da sua mocidade; cobriste-o de vergonha.

    46 Até quando, Senhor? Esconder-te-ás para sempre? Até quando arderá a tua ira como fogo?

    47 Lembra-te de quão breves são os meus dias; de quão efêmeros criaste todos os filhos dos homens!

    48 Que homem há que viva e não veja a morte? ou que se livre do poder do Seol?

    49 Senhor, onde estão as tuas antigas benignidades, que juraste a Davi na tua fidelidade?

    50 Lembre-te, Senhor, do opróbrio dos teus servos; e de como trago no meu peito os insultos de todos os povos poderosos,

    51 com que os teus inimigos, ó Senhor, têm difamado, com que têm difamado os passos do teu ungido.

    52 Bendito seja o Senhor para sempre. Amém e amém.

    de:http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal089.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 119 - Que Tua misericórdia venha a mim!

    Postado por Heitor Neves | 04 de Maio, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 119 - Que Tua misericórdia venha a mim!

    1 Bem-aventurados os que trilham com integridade o seu caminho, os que andam na lei do Senhor!

    2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração,

    3 que não praticam iniqüidade, mas andam nos caminhos dele!

    4 Tu ordenaste os teus preceitos, para que fossem diligentemente observados.

    5 Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe os teus estatutos!

    6 Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus mandamentos.

    7 Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido as tuas retas ordenanças.

    8 Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente!

    9 Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua palavra.

    10 De todo o meu coração tenho te buscado; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

    11 Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti.

    12 Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos.

    13 Com os meus lábios declaro todas as ordenanças da tua boca.

    14 Regozijo-me no caminho dos teus testemunhos, tanto como em todas as riquezas.

    15 Em teus preceitos medito, e observo os teus caminhos.

    16 Deleitar-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra.

    17 Faze bem ao teu servo, para que eu viva; assim observarei a tua palavra.

    18 Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei.

    19 Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.

    20 A minha alma se consome de anelos por tuas ordenanças em todo o tempo.

    21 Tu repreendeste os soberbos, os malditos, que se desviam dos teus mandamentos.

    22 Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois tenho guardado os teus testemunhos.

    23 Príncipes sentaram-se e falavam contra mim, mas o teu servo meditava nos teus estatutos.

    24 Os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros.

    25 A minha alma apega-se ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.

    26 Meus caminhos te descrevi, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos.

    27 Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim meditarei nas tuas maravilhas.

    28 A minha alma se consome de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.

    29 Desvia de mim o caminho da falsidade, e ensina-me benignidade a tua lei.

    30 Escolhi o caminho da fidelidade; diante de mim pus as tuas ordenanças.

    31 Apego-me aos teus testemunhos, ó Senhor; não seja eu envergonhado.

    32 Percorrerei o caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.

    33 Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e eu o guardarei até o fim.

    34 Dá-me entendimento, para que eu guarde a tua lei, e a observe de todo o meu coração.

    35 Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela me comprazo.

    36 Inclina o meu coração para os teus testemunhos, e não para a cobiça.

    37 Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.

    38 Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor.

    39 Desvia de mim o opróbrio que temo, pois as tuas ordenanças são boas.

    40 Eis que tenho anelado os teus preceitos; vivifica-me por tua justiça.

    41 Venha também sobre mim a tua benignidade, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra.

    42 Assim terei o que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.

    43 De minha boca não tires totalmente a palavra da verdade, pois tenho esperado nos teus juízos.

    44 Assim observarei de contínuo a tua lei, para sempre e eternamente;

    45 e andarei em liberdade, pois tenho buscado os teus preceitos.

    46 Falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.

    47 Deleitar-me-ei em teus mandamentos, que eu amo.

    48 Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amo, e meditarei nos teus estatutos.

    49 Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar.

    50 Isto é a minha consolação na minha angústia, que a tua promessa me vivifica.

    51 Os soberbos zombaram grandemente de mim; contudo não me desviei da tua lei.

    52 Lembro-me dos teus juízos antigos, ó Senhor, e assim me consolo.

    53 Grande indignação apoderou-se de mim, por causa dos ímpios que abandonam a tua lei.

    54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.

    55 De noite me lembrei do teu nome, ó Senhor, e observei a tua lei.

    56 Isto me sucedeu, porque tenho guardado os teus preceitos.

    57 O Senhor é o meu quinhão; prometo observar as tuas palavras.

    58 De todo o meu coração imploro o teu favor; tem piedade de mim, segundo a tua palavra.

    59 Quando considero os meus caminhos, volto os meus pés para os teus testemunhos.

    60 Apresso-me sem detença a observar os teus mandamentos.

    61 Enleiam-me os laços dos ímpios; mas eu não me esqueço da tua lei.

    62 á meia-noite me levanto para dar-te graças, por causa dos teus retos juízos.

    63 Companheiro sou de todos os que te temem, e dos que guardam os teus preceitos.

    64 A terra, ó Senhor, está cheia da tua benignidade; ensina-me os teus estatutos.

    65 Tens usado de bondade para com o teu servo, Senhor, segundo a tua palavra.

    66 Ensina-me bom juízo e ciência, pois creio nos teus mandamentos.

    67 Antes de ser afligido, eu me extraviava; mas agora guardo a tua palavra.

    68 Tu és bom e fazes o bem; ensina-me os teus estatutos.

    69 Os soberbos forjam mentiras contra mim; mas eu de todo o coração guardo os teus preceitos.

    70 Torna-se-lhes insensível o coração como a gordura; mas eu me deleito na tua lei.

    71 Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos.

    72 Melhor é para mim a lei da tua boca do que milhares de ouro e prata.

    73 As tuas mãos me fizeram e me formaram; dá-me entendimento para que aprenda os teus mandamentos.

    74 Os que te temem me verão e se alegrarão, porque tenho esperado na tua palavra.

    75 Bem sei eu, ó Senhor, que os teus juízos são retos, e que em tua fidelidade me afligiste.

    76 Sirva, pois, a tua benignidade para me consolar, segundo a palavra que deste ao teu servo.

    77 Venham sobre mim as tuas ternas misericórdias, para que eu viva, pois a tua lei é o meu deleite.

    78 Envergonhados sejam os soberbos, por me haverem subvertido sem causa; mas eu meditarei nos teus preceitos.

    79 Voltem-se para mim os que te temem, para que conheçam os teus testemunhos.

    80 Seja perfeito o meu coração nos teus estatutos, para que eu não seja envergonhado.

    81 Desfalece a minha alma, aguardando a tua salvação; espero na tua palavra.

    82 Os meus olhos desfalecem, esperando por tua promessa, enquanto eu pergunto: Quando me consolarás tu?

    83 Pois tornei-me como odre na fumaça, mas não me esqueci dos teus estatutos.

    84 Quantos serão os dias do teu servo? Até quando não julgarás aqueles que me perseguem?

    85 Abriram covas para mim os soberbos, que não andam segundo a tua lei.

    86 Todos os teus mandamentos são fiéis. Sou perseguido injustamente; ajuda-me!

    87 Quase que me consumiram sobre a terra, mas eu não deixei os teus preceitos.

    88 Vivifica-me segundo a tua benignidade, para que eu guarde os testemunhos da tua boca.

    89 Para sempre, ó Senhor, a tua palavra está firmada nos céus.

    90 A tua fidelidade estende-se de geração a geração; tu firmaste a terra, e firme permanece.

    91 Conforme a tua ordenança, tudo se mantém até hoje, porque todas as coisas te obedecem.

    92 Se a tua lei não fora o meu deleite, então eu teria perecido na minha angústia.

    93 Nunca me esquecerei dos teus preceitos, pois por eles me tens vivificado.

    94 Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos.

    95 Os ímpios me espreitam para me destruírem, mas eu atento para os teus testemunhos.

    96 A toda perfeição vi limite, mas o teu mandamento é ilimitado.

    97 Oh! quanto amo a tua lei! ela é a minha meditação o dia todo.

    98 O teu mandamento me faz mais sábio do que meus inimigos, pois está sempre comigo.

    99 Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os teus testemunhos são a minha meditação.

    100 Sou mais entendido do que os velhos, porque tenho guardado os teus preceitos.

    101 Retenho os meus pés de todo caminho mau, a fim de observar a tua palavra.

    102 Não me aperto das tuas ordenanças, porque és tu quem me instrui.

    103 Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! mais doces do que o mel à minha boca.

    104 Pelos teus preceitos alcanço entendimento, pelo que aborreço toda vereda de falsidade.

    105 Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho.

    106 Fiz juramento, e o confirmei, de guardar as tuas justas ordenanças.

    107 Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua palavra.

    108 Aceita, Senhor, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca, e ensina-me as tuas ordenanças.

    109 Estou continuamente em perigo de vida; todavia não me esqueço da tua lei.

    110 Os ímpios me armaram laço, contudo não me desviei dos teus preceitos.

    111 Os teus testemunhos são a minha herança para sempre, pois são eles o gozo do meu coração.

    112 Inclino o meu coração a cumprir os teus estatutos, para sempre, até o fim.

    113 Aborreço a duplicidade, mas amo a tua lei.

    114 Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra.

    115 Apartai-vos de mim, malfeitores, para que eu guarde os mandamentos do meu Deus.

    116 Ampara-me conforme a tua palavra, para que eu viva; e não permitas que eu seja envergonhado na minha esperança.

    117 Sustenta-me, e serei salvo, e de contínuo terei respeito aos teus estatutos.

    118 Desprezas todos os que se desviam dos teus estatutos, pois a astúcia deles é falsidade.

    119 Deitas fora, como escória, todos os ímpios da terra; pelo que amo os teus testemunhos.

    120 Arrepia-se-me a carne com temor de ti, e tenho medo dos teus juízos.

    121 Tenho praticado a retidão e a justiça; não me abandones aos meus opressores.

    122 Fica por fiador do teu servo para o bem; não me oprimem os soberbos.

    123 Os meus olhos desfalecem à espera da tua salvação e da promessa da tua justiça.

    124 Trata com o teu servo segundo a tua benignidade, e ensina-me os teus estatutos.

    125 Sou teu servo; dá-me entendimento, para que eu conheça os teus testemunhos.

    126 É tempo de agires, ó Senhor, pois eles violaram a tua lei.

    127 Pelo que amo os teus mandamentos mais do que o ouro, sim, mais do que o ouro fino.

    128 Por isso dirijo os meus passos por todos os teus preceitos, e aborreço toda vereda de falsidade.

    129 Maravilhosos são os teus testemunhos, por isso a minha alma os guarda.

    130 A exposição das tuas palavras dá luz; dá entendimento aos simples.

    131 Abro a minha boca e arquejo, pois estou anelante pelos teus mandamentos.

    132 Volta-te para mim, e compadece-te de mim, conforme usas para com os que amam o teu nome.

    133 Firma os meus passos na tua palavra; e não se apodere de mim iniqüidade alguma.

    134 Resgata-me da opressão do homem; assim guardarei os teus preceitos.

    135 Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo, e ensina-me os teus estatutos.

    136 Os meus olhos derramam rios de lágrimas, porque os homens não guardam a tua lei.

    137 Justo és, ó Senhor, e retos são os teus juízos.

    138 Ordenaste os teus testemunhos com retidão, e com toda a fidelidade.

    139 O meu zelo me consome, porque os meus inimigos se esquecem da tua palavra.

    140 A tua palavra é fiel a toda prova, por isso o teu servo a ama.

    141 Pequeno sou e desprezado, mas não me esqueço dos teus preceitos.

    142 A tua justiça é justiça eterna, e a tua lei é a verdade.

    143 Tribulação e angústia se apoderaram de mim; mas os teus mandamentos são o meu prazer.

    144 Justos são os teus testemunhos para sempre; dá-me entendimento, para que eu viva.

    145 Clamo de todo o meu coração; atende-me, Senhor! Eu guardarei os teus estatutos.

    146 A ti clamo; salva-me, para que guarde os teus testemunhos.

    147 Antecipo-me à alva da manhã e clamo; aguardo com esperança as tuas palavras.

    148 Os meus olhos se antecipam às vigílias da noite, para que eu medite na tua palavra.

    149 Ouve a minha voz, segundo a tua benignidade; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua justiça.

    150 Aproximam-se os que me perseguem maliciosamente; andam afastados da tua lei.

    151 Tu estás perto, Senhor, e todos os teus mandamentos são verdade.

    152 Há muito sei eu dos teus testemunhos que os fundaste para sempre.

    153 Olha para a minha aflição, e livra-me, pois não me esqueço da tua lei.

    154 Pleiteia a minha causa, e resgata-me; vivifica-me segundo a tua palavra.

    155 A salvação está longe dos ímpios, pois não buscam os teus estatutos.

    156 Muitas são, Senhor, as tuas misericórdias; vivifica-me segundo os teus juízos.

    157 Muitos são os meus perseguidores e os meus adversários, mas não me desvio dos teus testemunhos.

    158 Vi os pérfidos, e me afligi, porque não guardam a tua palavra.

    159 Considera como amo os teus preceitos; vivifica-me, Senhor, segundo a tua benignidade.

    160 A soma da tua palavra é a verdade, e cada uma das tuas justas ordenanças dura para sempre.

    161 Príncipes me perseguem sem causa, mas o meu coração teme as tuas palavras.

    162 Regozijo-me com a tua palavra, como quem acha grande despojo.

    163 Odeio e abomino a falsidade; amo, porém, a tua lei.

    164 Sete vezes no dia te louvo pelas tuas justas ordenanças.

    165 Muita paz têm os que amam a tua lei, e não há nada que os faça tropeçar.

    166 Espero, Senhor, na tua salvação, e cumpro os teus mandamentos.

    167 A minha alma observa os teus testemunhos; amo-os extremamente.

    168 Observo os teus preceitos e os teus testemunhos, pois todos os meus caminhos estão diante de ti.

    169 Chegue a ti o meu clamor, ó Senhor; dá-me entendimento conforme a tua palavra.

    170 Chegue à tua presença a minha súplica; livra-me segundo a tua palavra.

    171 Profiram louvor os meus lábios, pois me ensinas os teus estatutos.

    172 Celebre a minha língua a tua palavra, pois todos os teus mandamentos são justos.

    173 Esteja pronta a tua mão para me socorrer, pois escolhi os teus preceitos.

    174 Anelo por tua salvação, ó Senhor; a tua lei é o meu prazer.

    175 Que minha alma viva, para que te louve; ajudem-me as tuas ordenanças.

    176 Desgarrei-me como ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueço dos teus mandamentos.

  • Salmo da Semana : Salmo 7 - Julga-me Senhor!

    Postado por Heitor Neves | 27 de Abril, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 7 - Julga-me Senhor!

    1 Senhor, Deus meu, confio, salva-me de todo o que me persegue, e livra-me;

    2 para que ele não me arrebate, qual leão, despedaçando-me, sem que haja quem acuda.

    3 Senhor, Deus meu, se eu fiz isto, se há perversidade nas minhas mãos,

    4 se paguei com o mal àquele que tinha paz comigo, ou se despojei o meu inimigo sem causa.

    5 persiga-me o inimigo e alcance-me; calque aos pés a minha vida no chão, e deite no pó a minha glória.

    6 Ergue-te, Senhor, na tua ira; levanta-te contra o furor dos meus inimigos; desperta-te, meu Deus, pois tens ordenado o juízo.

    7 Reuna-se ao redor de ti a assembléia dos povos, e por cima dela remonta-te ao alto.

    8 O Senhor julga os povos; julga-me, Senhor, de acordo com a minha justiça e conforme a integridade que há em mim.

    9 Cesse a maldade dos ímpios, mas estabeleça-se o justo; pois tu, ó justo Deus, provas o coração e os rins.

    10 O meu escudo está em Deus, que salva os retos de coração.

    11 Deus é um juiz justo, um Deus que sente indignação todos os dias.

    12 Se o homem não se arrepender, Deus afiará a sua espada; armado e teso está o seu arco;

    13 já preparou armas mortíferas, fazendo suas setas inflamadas.

    14 Eis que o mau está com dores de perversidade; concedeu a malvadez, e dará à luz a falsidade.

    15 Abre uma cova, aprofundando-a, e cai na cova que fez.

    16 A sua malvadez recairá sobre a sua cabeça, e a sua violência descerá sobre o seu crânio.

    17 Eu louvarei ao Senhor segundo a sua justiça, e cantarei louvores ao nome do Senhor, o Altíssimo.

    de: www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal007.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 118 - Este é o dia que o Senhor fez!

    Postado por Heitor Neves | 20 de Abril, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 118 - Este é o dia que o Senhor fez!

    1 Dai graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.

    2 Diga, pois, Israel: A sua benignidade dura para sempre.

    3 Diga, pois, a casa de Arão: A sua benignidade dura para sempre.

    4 Digam, pois, os que temem ao Senhor: A sua benignidade dura para sempre.

    5 Do meio da angústia invoquei o Senhor; o Senhor me ouviu, e me pôs em um lugar largo.

    6 O Senhor é por mim, não recearei; que me pode fazer o homem?

    7 O Senhor é por mim entre os que me ajudam; pelo que verei cumprido o meu desejo sobre os que me odeiam.

    8 É melhor refugiar-se no Senhor do que confiar no homem.

    9 É melhor refugiar-se no Senhor do que confiar nos príncipes.

    10 Todas as nações me cercaram, mas em nome do Senhor eu as exterminei.

    11 Cercaram-me, sim, cercaram-me; mas em nome do Senhor eu as exterminei.

    12 Cercaram-me como abelhas, mas apagaram-se como fogo de espinhos; pois em nome do Senhor as exterminei.

    13 Com força me impeliste para me fazeres cair, mas o Senhor me ajudou.

    14 O Senhor é a minha força e o meu cântico; tornou-se a minha salvação.

    15 Nas tendas dos justos há jubiloso cântico de vitória; a destra do Senhor faz proezas.

    16 A destra do Senhor se exalta, a destra do Senhor faz proezas.

    17 Não morrerei, mas viverei, e contarei as obras do Senhor.

    18 O Senhor castigou-me muito, mas não me entregou à morte.

    19 Abre-me as portas da justiça, para que eu entre por elas e dê graças ao Senhor.

    20 Esta é a porta do Senhor; por ela os justos entrarão.

    21 Graças te dou porque me ouviste, e te tornaste a minha salvação.

    22 A pedra que os edificadores rejeitaram, essa foi posta como pedra angular.

    23 Foi o Senhor que fez isto e é maravilhoso aos nossos olhos.

    24 Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele.

    25 ç Senhor, salva, nós te pedimos; ó Senhor, nós te pedimos, envia-nos a prosperidade.

    26 Bendito aquele que vem em nome do Senhor; da casa do Senhor vos bendizemos.

    27 O Senhor é Deus, e nos concede a luz; atai a vítima da festa com cordas às pontas do altar.

    28 Tu és o meu Deus, e eu te darei graças; tu és o meu Deus, e eu te exaltarei.

    29 Dai graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.

  • Salmo da Semana : Salmo 119 - Eu sou teu servo!

    Postado por Heitor Neves | 13 de Abril, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 119 - Eu sou teu servo!

    1 Bem-aventurados os que trilham com integridade o seu caminho, os que andam na lei do Senhor!

    2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração,

    3 que não praticam iniqüidade, mas andam nos caminhos dele!

    4 Tu ordenaste os teus preceitos, para que fossem diligentemente observados.

    5 Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe os teus estatutos!

    6 Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus mandamentos.

    7 Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido as tuas retas ordenanças.

    8 Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente!

    9 Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua palavra.

    10 De todo o meu coração tenho te buscado; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

    11 Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti.

    12 Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos.

    13 Com os meus lábios declaro todas as ordenanças da tua boca.

    14 Regozijo-me no caminho dos teus testemunhos, tanto como em todas as riquezas.

    15 Em teus preceitos medito, e observo os teus caminhos.

    16 Deleitar-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra.

    17 Faze bem ao teu servo, para que eu viva; assim observarei a tua palavra.

    18 Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei.

    19 Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.

    20 A minha alma se consome de anelos por tuas ordenanças em todo o tempo.

    21 Tu repreendeste os soberbos, os malditos, que se desviam dos teus mandamentos.

    22 Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois tenho guardado os teus testemunhos.

    23 Príncipes sentaram-se e falavam contra mim, mas o teu servo meditava nos teus estatutos.

    24 Os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros.

    25 A minha alma apega-se ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.

    26 Meus caminhos te descrevi, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos.

    27 Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim meditarei nas tuas maravilhas.

    28 A minha alma se consome de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.

    29 Desvia de mim o caminho da falsidade, e ensina-me benignidade a tua lei.

    30 Escolhi o caminho da fidelidade; diante de mim pus as tuas ordenanças.

    31 Apego-me aos teus testemunhos, ó Senhor; não seja eu envergonhado.

    32 Percorrerei o caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.

    33 Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e eu o guardarei até o fim.

    34 Dá-me entendimento, para que eu guarde a tua lei, e a observe de todo o meu coração.

    35 Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela me comprazo.

    36 Inclina o meu coração para os teus testemunhos, e não para a cobiça.

    37 Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.

    38 Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor.

    39 Desvia de mim o opróbrio que temo, pois as tuas ordenanças são boas.

    40 Eis que tenho anelado os teus preceitos; vivifica-me por tua justiça.

    41 Venha também sobre mim a tua benignidade, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra.

    42 Assim terei o que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.

    43 De minha boca não tires totalmente a palavra da verdade, pois tenho esperado nos teus juízos.

    44 Assim observarei de contínuo a tua lei, para sempre e eternamente;

    45 e andarei em liberdade, pois tenho buscado os teus preceitos.

    46 Falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.

    47 Deleitar-me-ei em teus mandamentos, que eu amo.

    48 Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amo, e meditarei nos teus estatutos.

    49 Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar.

    50 Isto é a minha consolação na minha angústia, que a tua promessa me vivifica.

    51 Os soberbos zombaram grandemente de mim; contudo não me desviei da tua lei.

    52 Lembro-me dos teus juízos antigos, ó Senhor, e assim me consolo.

    53 Grande indignação apoderou-se de mim, por causa dos ímpios que abandonam a tua lei.

    54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.

    55 De noite me lembrei do teu nome, ó Senhor, e observei a tua lei.

    56 Isto me sucedeu, porque tenho guardado os teus preceitos.

    57 O Senhor é o meu quinhão; prometo observar as tuas palavras.

    58 De todo o meu coração imploro o teu favor; tem piedade de mim, segundo a tua palavra.

    59 Quando considero os meus caminhos, volto os meus pés para os teus testemunhos.

    60 Apresso-me sem detença a observar os teus mandamentos.

    61 Enleiam-me os laços dos ímpios; mas eu não me esqueço da tua lei.

    62 á meia-noite me levanto para dar-te graças, por causa dos teus retos juízos.

    63 Companheiro sou de todos os que te temem, e dos que guardam os teus preceitos.

    64 A terra, ó Senhor, está cheia da tua benignidade; ensina-me os teus estatutos.

    65 Tens usado de bondade para com o teu servo, Senhor, segundo a tua palavra.

    66 Ensina-me bom juízo e ciência, pois creio nos teus mandamentos.

    67 Antes de ser afligido, eu me extraviava; mas agora guardo a tua palavra.

    68 Tu és bom e fazes o bem; ensina-me os teus estatutos.

    69 Os soberbos forjam mentiras contra mim; mas eu de todo o coração guardo os teus preceitos.

    70 Torna-se-lhes insensível o coração como a gordura; mas eu me deleito na tua lei.

    71 Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos.

    72 Melhor é para mim a lei da tua boca do que milhares de ouro e prata.

    73 As tuas mãos me fizeram e me formaram; dá-me entendimento para que aprenda os teus mandamentos.

    74 Os que te temem me verão e se alegrarão, porque tenho esperado na tua palavra.

    75 Bem sei eu, ó Senhor, que os teus juízos são retos, e que em tua fidelidade me afligiste.

    76 Sirva, pois, a tua benignidade para me consolar, segundo a palavra que deste ao teu servo.

    77 Venham sobre mim as tuas ternas misericórdias, para que eu viva, pois a tua lei é o meu deleite.

    78 Envergonhados sejam os soberbos, por me haverem subvertido sem causa; mas eu meditarei nos teus preceitos.

    79 Voltem-se para mim os que te temem, para que conheçam os teus testemunhos.

    80 Seja perfeito o meu coração nos teus estatutos, para que eu não seja envergonhado.

    81 Desfalece a minha alma, aguardando a tua salvação; espero na tua palavra.

    82 Os meus olhos desfalecem, esperando por tua promessa, enquanto eu pergunto: Quando me consolarás tu?

    83 Pois tornei-me como odre na fumaça, mas não me esqueci dos teus estatutos.

    84 Quantos serão os dias do teu servo? Até quando não julgarás aqueles que me perseguem?

    85 Abriram covas para mim os soberbos, que não andam segundo a tua lei.

    86 Todos os teus mandamentos são fiéis. Sou perseguido injustamente; ajuda-me!

    87 Quase que me consumiram sobre a terra, mas eu não deixei os teus preceitos.

    88 Vivifica-me segundo a tua benignidade, para que eu guarde os testemunhos da tua boca.

    89 Para sempre, ó Senhor, a tua palavra está firmada nos céus.

    90 A tua fidelidade estende-se de geração a geração; tu firmaste a terra, e firme permanece.

    91 Conforme a tua ordenança, tudo se mantém até hoje, porque todas as coisas te obedecem.

    92 Se a tua lei não fora o meu deleite, então eu teria perecido na minha angústia.

    93 Nunca me esquecerei dos teus preceitos, pois por eles me tens vivificado.

    94 Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos.

    95 Os ímpios me espreitam para me destruírem, mas eu atento para os teus testemunhos.

    96 A toda perfeição vi limite, mas o teu mandamento é ilimitado.

    97 Oh! quanto amo a tua lei! ela é a minha meditação o dia todo.

    98 O teu mandamento me faz mais sábio do que meus inimigos, pois está sempre comigo.

    99 Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os teus testemunhos são a minha meditação.

    100 Sou mais entendido do que os velhos, porque tenho guardado os teus preceitos.

    101 Retenho os meus pés de todo caminho mau, a fim de observar a tua palavra.

    102 Não me aperto das tuas ordenanças, porque és tu quem me instrui.

    103 Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! mais doces do que o mel à minha boca.

    104 Pelos teus preceitos alcanço entendimento, pelo que aborreço toda vereda de falsidade.

    105 Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho.

    106 Fiz juramento, e o confirmei, de guardar as tuas justas ordenanças.

    107 Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua palavra.

    108 Aceita, Senhor, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca, e ensina-me as tuas ordenanças.

    109 Estou continuamente em perigo de vida; todavia não me esqueço da tua lei.

    110 Os ímpios me armaram laço, contudo não me desviei dos teus preceitos.

    111 Os teus testemunhos são a minha herança para sempre, pois são eles o gozo do meu coração.

    112 Inclino o meu coração a cumprir os teus estatutos, para sempre, até o fim.

    113 Aborreço a duplicidade, mas amo a tua lei.

    114 Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra.

    115 Apartai-vos de mim, malfeitores, para que eu guarde os mandamentos do meu Deus.

    116 Ampara-me conforme a tua palavra, para que eu viva; e não permitas que eu seja envergonhado na minha esperança.

    117 Sustenta-me, e serei salvo, e de contínuo terei respeito aos teus estatutos.

    118 Desprezas todos os que se desviam dos teus estatutos, pois a astúcia deles é falsidade.

    119 Deitas fora, como escória, todos os ímpios da terra; pelo que amo os teus testemunhos.

    120 Arrepia-se-me a carne com temor de ti, e tenho medo dos teus juízos.

    121 Tenho praticado a retidão e a justiça; não me abandones aos meus opressores.

    122 Fica por fiador do teu servo para o bem; não me oprimem os soberbos.

    123 Os meus olhos desfalecem à espera da tua salvação e da promessa da tua justiça.

    124 Trata com o teu servo segundo a tua benignidade, e ensina-me os teus estatutos.

    125 Sou teu servo; dá-me entendimento, para que eu conheça os teus testemunhos.

    126 É tempo de agires, ó Senhor, pois eles violaram a tua lei.

    127 Pelo que amo os teus mandamentos mais do que o ouro, sim, mais do que o ouro fino.

    128 Por isso dirijo os meus passos por todos os teus preceitos, e aborreço toda vereda de falsidade.

    129 Maravilhosos são os teus testemunhos, por isso a minha alma os guarda.

    130 A exposição das tuas palavras dá luz; dá entendimento aos simples.

    131 Abro a minha boca e arquejo, pois estou anelante pelos teus mandamentos.

    132 Volta-te para mim, e compadece-te de mim, conforme usas para com os que amam o teu nome.

    133 Firma os meus passos na tua palavra; e não se apodere de mim iniqüidade alguma.

    134 Resgata-me da opressão do homem; assim guardarei os teus preceitos.

    135 Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo, e ensina-me os teus estatutos.

    136 Os meus olhos derramam rios de lágrimas, porque os homens não guardam a tua lei.

    137 Justo és, ó Senhor, e retos são os teus juízos.

    138 Ordenaste os teus testemunhos com retidão, e com toda a fidelidade.

    139 O meu zelo me consome, porque os meus inimigos se esquecem da tua palavra.

    140 A tua palavra é fiel a toda prova, por isso o teu servo a ama.

    141 Pequeno sou e desprezado, mas não me esqueço dos teus preceitos.

    142 A tua justiça é justiça eterna, e a tua lei é a verdade.

    143 Tribulação e angústia se apoderaram de mim; mas os teus mandamentos são o meu prazer.

    144 Justos são os teus testemunhos para sempre; dá-me entendimento, para que eu viva.

    145 Clamo de todo o meu coração; atende-me, Senhor! Eu guardarei os teus estatutos.

    146 A ti clamo; salva-me, para que guarde os teus testemunhos.

    147 Antecipo-me à alva da manhã e clamo; aguardo com esperança as tuas palavras.

    148 Os meus olhos se antecipam às vigílias da noite, para que eu medite na tua palavra.

    149 Ouve a minha voz, segundo a tua benignidade; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua justiça.

    150 Aproximam-se os que me perseguem maliciosamente; andam afastados da tua lei.

    151 Tu estás perto, Senhor, e todos os teus mandamentos são verdade.

    152 Há muito sei eu dos teus testemunhos que os fundaste para sempre.

    153 Olha para a minha aflição, e livra-me, pois não me esqueço da tua lei.

    154 Pleiteia a minha causa, e resgata-me; vivifica-me segundo a tua palavra.

    155 A salvação está longe dos ímpios, pois não buscam os teus estatutos.

    156 Muitas são, Senhor, as tuas misericórdias; vivifica-me segundo os teus juízos.

    157 Muitos são os meus perseguidores e os meus adversários, mas não me desvio dos teus testemunhos.

    158 Vi os pérfidos, e me afligi, porque não guardam a tua palavra.

    159 Considera como amo os teus preceitos; vivifica-me, Senhor, segundo a tua benignidade.

    160 A soma da tua palavra é a verdade, e cada uma das tuas justas ordenanças dura para sempre.

    161 Príncipes me perseguem sem causa, mas o meu coração teme as tuas palavras.

    162 Regozijo-me com a tua palavra, como quem acha grande despojo.

    163 Odeio e abomino a falsidade; amo, porém, a tua lei.

    164 Sete vezes no dia te louvo pelas tuas justas ordenanças.

    165 Muita paz têm os que amam a tua lei, e não há nada que os faça tropeçar.

    166 Espero, Senhor, na tua salvação, e cumpro os teus mandamentos.

    167 A minha alma observa os teus testemunhos; amo-os extremamente.

    168 Observo os teus preceitos e os teus testemunhos, pois todos os meus caminhos estão diante de ti.

    169 Chegue a ti o meu clamor, ó Senhor; dá-me entendimento conforme a tua palavra.

    170 Chegue à tua presença a minha súplica; livra-me segundo a tua palavra.

    171 Profiram louvor os meus lábios, pois me ensinas os teus estatutos.

    172 Celebre a minha língua a tua palavra, pois todos os teus mandamentos são justos.

    173 Esteja pronta a tua mão para me socorrer, pois escolhi os teus preceitos.

    174 Anelo por tua salvação, ó Senhor; a tua lei é o meu prazer.

    175 Que minha alma viva, para que te louve; ajudem-me as tuas ordenanças.

    176 Desgarrei-me como ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueço dos teus mandamentos.

    de: www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal119.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 26 - Examina-me Senhor

    Postado por Heitor Neves | 06 de Abril, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 26 - Examina-me Senhor

    1 Julga-me, ó Senhor, pois tenho andado na minha integridade; no Senhor tenho confiado sem vacilar.

    2 Examina-me, Senhor, e prova-me; esquadrinha o meu coração e a minha mente.

    3 Pois a tua benignidade está diante dos meus olhos, e tenho andado na tua verdade.

    4 Não me tenho assentado com homens falsos, nem associo com dissimuladores.

    5 Odeio o ajuntamento de malfeitores; não me sentarei com os ímpios.

    6 Lavo as minhas mãos na inocência; e assim, ó Senhor, me acerco do teu altar,

    7 para fazer ouvir a voz de louvor, e contar todas as tuas maravilhas.

    8 ó Senhor, eu amo o recinto da tua casa e o lugar onde permanece a tua glória.

    9 Não colhas a minha alma com a dos pecadores, nem a minha vida a dos homens sanguinolentos,

    10 em cujas mãos há malefício, e cuja destra está cheia de subornos.

    11 Quanto a mim, porém, ando na minha integridade; resgata-me e tem compaixão de mim.

    12 O meu pé está firme em terreno plano; nas congregações bendirei ao Senhor.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal026.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 104 - Fazes brotar!

    Postado por Heitor Neves | 30 de Março, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 104 - Fazes brotar!

    1 Bendize, ó minha alma, ao Senhor! Senhor, Deus meu, tu és magnificentíssimo! Estás vestido de honra e de majestade,

    2 tu que te cobres de luz como de um manto, que estendes os céus como uma cortina.

    3 És tu que pões nas águas os vigamentos da tua morada, que fazes das nuvens o teu carro, que andas sobre as asas do vento;

    4 que fazes dos ventos teus mensageiros, dum fogo abrasador os teus ministros.

    5 Lançaste os fundamentos da terra, para que ela não fosse abalada em tempo algum.

    6 Tu a cobriste do abismo, como dum vestido; as águas estavam sobre as montanhas.

    7 à tua repreensão fugiram; à voz do teu trovão puseram-se em fuga.

    8 Elevaram-se as montanhas, desceram os vales, até o lugar que lhes determinaste.

    9 Limite lhes traçaste, que não haviam de ultrapassar, para que não tornassem a cobrir a terra.

    10 És tu que nos vales fazes rebentar nascentes, que correm entre as colinas.

    11 Dão de beber a todos os animais do campo; ali os asnos monteses matam a sua sede.

    12 Junto delas habitam as aves dos céus; dentre a ramagem fazem ouvir o seu canto.

    13 Da tua alta morada regas os montes; a terra se farta do fruto das tuas obras.

    14 Fazes crescer erva para os animais, e a verdura para uso do homem, de sorte que da terra tire o alimento,

    15 o vinho que alegra o seu coração, o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que lhe fortalece o coração.

    16 Saciam-se as árvores do Senhor, os cedros do Líbano que ele plantou,

    17 nos quais as aves se aninham, e a cegonha, cuja casa está nos ciprestes.

    18 Os altos montes são um refúgio para as cabras montesas, e as rochas para os querogrilos.

    19 Designou a lua para marcar as estações; o sol sabe a hora do seu ocaso.

    20 Fazes as trevas, e vem a noite, na qual saem todos os animais da selva.

    21 Os leões novos os animais bramam pela presa, e de Deus buscam o seu sustento.

    22 Quando nasce o sol, logo se recolhem e se deitam nos seus covis.

    23 Então sai o homem para a sua lida e para o seu trabalho, até a tarde.

    24 ó Senhor, quão multiformes são as tuas obras! Todas elas as fizeste com sabedoria; a terra está cheia das tuas riquezas.

    25 Eis também o vasto e espaçoso mar, no qual se movem seres inumeráveis, animais pequenos e grandes.

    26 Ali andam os navios, e o leviatã que formaste para nele folgar.

    27 Todos esperam de ti que lhes dês o sustento a seu tempo.

    28 Tu lho dás, e eles o recolhem; abres a tua mão, e eles se fartam de bens.

    29 Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras a respiração, morrem, e voltam para o seu pó.

    30 Envias o teu fôlego, e são criados; e assim renovas a face da terra.

    31 Permaneça para sempre a glória do Senhor; regozije-se o Senhor nas suas obras;

    32 ele olha para a terra, e ela treme; ele toca nas montanhas, e elas fumegam.

    33 Cantarei ao Senhor enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu existir.

    34 Seja-lhe agradável a minha meditação; eu me regozijarei no Senhor.

    35 Sejam extirpados da terra os pecadores, e não subsistam mais os ímpios. Bendize, ó minha alma, ao Senhor. Louvai ao Senhor.

    Extraído de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal104.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 91 - Meu Deus, em quem confio!

    Postado por Heitor Neves | 23 de Março, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 91 - Meu Deus, em quem confio!

    1 Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Todo-Poderoso descansará.

    2 Direi do Senhor: Ele é o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio.

    3 Porque ele te livra do laço do passarinho, e da peste perniciosa.

    4 Ele te cobre com as suas penas, e debaixo das suas asas encontras refúgio; a sua verdade é escudo e broquel.

    5 Não temerás os terrores da noite, nem a seta que voe de dia,

    6 nem peste que anda na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia.

    7 Mil poderão cair ao teu lado, e dez mil à tua direita; mas tu não serás atingido.

    8 Somente com os teus olhos contemplarás, e verás a recompensa dos ímpios.

    9 Porquanto fizeste do Senhor o teu refúgio, e do Altíssimo a tua habitação,

    10 nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda.

    11 Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.

    12 Eles te susterão nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra.

    13 Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente.

    14 Pois que tanto me amou, eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, porque ele conhece o meu nome.

    15 Quando ele me invocar, eu lhe responderei; estarei com ele na angústia, livrá-lo-ei, e o honrarei.

    16 Com longura de dias fartá-lo-ei, e lhe mostrarei a minha salvação.

    extraído de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal091.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 97 - Deus ama, guarda e liberta

    Postado por Heitor Neves | 16 de Março, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 97 - Deus ama, guarda e liberta

    1 O Senhor reina, regozije-se a terra; alegrem-se as numerosas ilhas.

    2 Nuvens e escuridão estão ao redor dele; justiça e eqüidade são a base do seu trono.

    3 Adiante dele vai um fogo que abrasa os seus inimigos em redor.

    4 Os seus relâmpagos alumiam o mundo; a terra os vê e treme.

    5 Os montes, como cerca, se derretem na presença do Senhor, na presença do Senhor de toda a terra.

    6 Os céus anunciam a sua justiça, e todos os povos vêem a sua glória.

    7 Confundidos são todos os que servem imagens esculpidas, que se gloriam de ídolos; prostrai-vos diante dele, todos os deuses.

    8 Sião ouve e se alegra, e regozijam-se as filhas de Judá por causa dos teus juízos, Senhor.

    9 Pois tu, Senhor, és o Altíssimo sobre toda a terra; tu és sobremodo exaltado acima de todos os deuses.

    10 O Senhor ama aos que odeiam o mal; ele preserva as almas dos seus santos, ele os livra das mãos dos ímpios.

    11 A luz é semeada para o justo, e a alegria para os retos de coração.

    12 Alegrai-vos, ó justos, no Senhor, e rendei graças ao seu santo nome.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal097.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 119 - Eu sou teu servo!

    Postado por Heitor Neves | 09 de Março, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 119 - Eu sou teu servo!

    1 Bem-aventurados os que trilham com integridade o seu caminho, os que andam na lei do Senhor!

    2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração,

    3 que não praticam iniqüidade, mas andam nos caminhos dele!

    4 Tu ordenaste os teus preceitos, para que fossem diligentemente observados.

    5 Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe os teus estatutos!

    6 Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus mandamentos.

    7 Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido as tuas retas ordenanças.

    8 Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente!

    9 Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua palavra.

    10 De todo o meu coração tenho te buscado; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

    11 Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti.

    12 Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos.

    13 Com os meus lábios declaro todas as ordenanças da tua boca.

    14 Regozijo-me no caminho dos teus testemunhos, tanto como em todas as riquezas.

    15 Em teus preceitos medito, e observo os teus caminhos.

    16 Deleitar-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra.

    17 Faze bem ao teu servo, para que eu viva; assim observarei a tua palavra.

    18 Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei.

    19 Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.

    20 A minha alma se consome de anelos por tuas ordenanças em todo o tempo.

    21 Tu repreendeste os soberbos, os malditos, que se desviam dos teus mandamentos.

    22 Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois tenho guardado os teus testemunhos.

    23 Príncipes sentaram-se e falavam contra mim, mas o teu servo meditava nos teus estatutos.

    24 Os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros.

    25 A minha alma apega-se ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.

    26 Meus caminhos te descrevi, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos.

    27 Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim meditarei nas tuas maravilhas.

    28 A minha alma se consome de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.

    29 Desvia de mim o caminho da falsidade, e ensina-me benignidade a tua lei.

    30 Escolhi o caminho da fidelidade; diante de mim pus as tuas ordenanças.

    31 Apego-me aos teus testemunhos, ó Senhor; não seja eu envergonhado.

    32 Percorrerei o caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.

    33 Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e eu o guardarei até o fim.

    34 Dá-me entendimento, para que eu guarde a tua lei, e a observe de todo o meu coração.

    35 Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela me comprazo.

    36 Inclina o meu coração para os teus testemunhos, e não para a cobiça.

    37 Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.

    38 Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor.

    39 Desvia de mim o opróbrio que temo, pois as tuas ordenanças são boas.

    40 Eis que tenho anelado os teus preceitos; vivifica-me por tua justiça.

    41 Venha também sobre mim a tua benignidade, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra.

    42 Assim terei o que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.

    43 De minha boca não tires totalmente a palavra da verdade, pois tenho esperado nos teus juízos.

    44 Assim observarei de contínuo a tua lei, para sempre e eternamente;

    45 e andarei em liberdade, pois tenho buscado os teus preceitos.

    46 Falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.

    47 Deleitar-me-ei em teus mandamentos, que eu amo.

    48 Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amo, e meditarei nos teus estatutos.

    49 Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar.

    50 Isto é a minha consolação na minha angústia, que a tua promessa me vivifica.

    51 Os soberbos zombaram grandemente de mim; contudo não me desviei da tua lei.

    52 Lembro-me dos teus juízos antigos, ó Senhor, e assim me consolo.

    53 Grande indignação apoderou-se de mim, por causa dos ímpios que abandonam a tua lei.

    54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.

    55 De noite me lembrei do teu nome, ó Senhor, e observei a tua lei.

    56 Isto me sucedeu, porque tenho guardado os teus preceitos.

    57 O Senhor é o meu quinhão; prometo observar as tuas palavras.

    58 De todo o meu coração imploro o teu favor; tem piedade de mim, segundo a tua palavra.

    59 Quando considero os meus caminhos, volto os meus pés para os teus testemunhos.

    60 Apresso-me sem detença a observar os teus mandamentos.

    61 Enleiam-me os laços dos ímpios; mas eu não me esqueço da tua lei.

    62 á meia-noite me levanto para dar-te graças, por causa dos teus retos juízos.

    63 Companheiro sou de todos os que te temem, e dos que guardam os teus preceitos.

    64 A terra, ó Senhor, está cheia da tua benignidade; ensina-me os teus estatutos.

    (...) texto completo em: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal119.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 104 - Vou louvar o meu Deus enquanto existir

    Postado por Heitor Neves | 02 de Março, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 104 - Vou louvar o meu Deus enquanto existir

    1 Bendize, ó minha alma, ao Senhor! Senhor, Deus meu, tu és magnificentíssimo! Estás vestido de honra e de majestade,

    2 tu que te cobres de luz como de um manto, que estendes os céus como uma cortina.

    3 És tu que pões nas águas os vigamentos da tua morada, que fazes das nuvens o teu carro, que andas sobre as asas do vento;

    4 que fazes dos ventos teus mensageiros, dum fogo abrasador os teus ministros.

    5 Lançaste os fundamentos da terra, para que ela não fosse abalada em tempo algum.

    6 Tu a cobriste do abismo, como dum vestido; as águas estavam sobre as montanhas.

    7 à tua repreensão fugiram; à voz do teu trovão puseram-se em fuga.

    8 Elevaram-se as montanhas, desceram os vales, até o lugar que lhes determinaste.

    9 Limite lhes traçaste, que não haviam de ultrapassar, para que não tornassem a cobrir a terra.

    10 És tu que nos vales fazes rebentar nascentes, que correm entre as colinas.

    11 Dão de beber a todos os animais do campo; ali os asnos monteses matam a sua sede.

    12 Junto delas habitam as aves dos céus; dentre a ramagem fazem ouvir o seu canto.

    13 Da tua alta morada regas os montes; a terra se farta do fruto das tuas obras.

    14 Fazes crescer erva para os animais, e a verdura para uso do homem, de sorte que da terra tire o alimento,

    15 o vinho que alegra o seu coração, o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que lhe fortalece o coração.

    16 Saciam-se as árvores do Senhor, os cedros do Líbano que ele plantou,

    17 nos quais as aves se aninham, e a cegonha, cuja casa está nos ciprestes.

    18 Os altos montes são um refúgio para as cabras montesas, e as rochas para os querogrilos.

    19 Designou a lua para marcar as estações; o sol sabe a hora do seu ocaso.

    20 Fazes as trevas, e vem a noite, na qual saem todos os animais da selva.

    21 Os leões novos os animais bramam pela presa, e de Deus buscam o seu sustento.

    22 Quando nasce o sol, logo se recolhem e se deitam nos seus covis.

    23 Então sai o homem para a sua lida e para o seu trabalho, até a tarde.

    24 ó Senhor, quão multiformes são as tuas obras! Todas elas as fizeste com sabedoria; a terra está cheia das tuas riquezas.

    25 Eis também o vasto e espaçoso mar, no qual se movem seres inumeráveis, animais pequenos e grandes.

    26 Ali andam os navios, e o leviatã que formaste para nele folgar.

    27 Todos esperam de ti que lhes dês o sustento a seu tempo.

    28 Tu lho dás, e eles o recolhem; abres a tua mão, e eles se fartam de bens.

    29 Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras a respiração, morrem, e voltam para o seu pó.

    30 Envias o teu fôlego, e são criados; e assim renovas a face da terra.

    31 Permaneça para sempre a glória do Senhor; regozije-se o Senhor nas suas obras;

    32 ele olha para a terra, e ela treme; ele toca nas montanhas, e elas fumegam.

    33 Cantarei ao Senhor enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu existir.

    34 Seja-lhe agradável a minha meditação; eu me regozijarei no Senhor.

    35 Sejam extirpados da terra os pecadores, e não subsistam mais os ímpios. Bendize, ó minha alma, ao Senhor. Louvai ao Senhor.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal104.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 47 - O Senhor é o gramde Rei

    Postado por Heitor Neves | 23 de Fevereiro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 47 - O Senhor é o gramde Rei

    1 Batei palmas, todos os povos; aclamai a Deus com voz de júbilo.

    2 Porque o Senhor Altíssimo é tremendo; é grande rei sobre toda a terra.

    3 Ele nos sujeitou povos e nações sob os nossos pés.

    4 Escolheu para nós a nossa herança, a glória de Jacó, a quem amou.

    5 Deus subiu entre aplausos, o Senhor subiu ao som de trombeta.

    6 Cantai louvores a Deus, cantai louvores; cantai louvores ao nosso rei, cantai louvores.

    7 Pois Deus é o rei de toda a terra; cantai louvores com salmo.

    8 Deus reina sobre as nações; Deus está sentado sobre o seu santo trono.

    9 Os príncipes dos povos se reúnem como povo do Deus de Abraão, porque a Deus pertencem os escudos da terra; ele é sumamente exaltado.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal047.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 121 - Meu socorro vem do Senhor

    Postado por Heitor Neves | 16 de Fevereiro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 121 - Meu socorro vem do Senhor

    1 Elevo os meus olhos para os montes; de onde me vem o socorro?

    2 O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra.

    3 Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não dormitará.

    4 Eis que não dormitará nem dormirá aquele que guarda a Israel.

    5 O Senhor é quem te guarda; o Senhor é a tua sombra à tua mão direita.

    6 De dia o sol não te ferirá, nem a lua de noite.

    7 O Senhor te guardará de todo o mal; ele guardará a tua vida.

    8 O Senhor guardará a tua saída e a tua entrada, desde agora e para sempre.

  • Salmo da Semana : Salmo 119 - Tua promessa me dá vida

    Postado por Heitor Neves | 09 de Fevereiro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 119 - Tua promessa me dá vida

    1 Bem-aventurados os que trilham com integridade o seu caminho, os que andam na lei do Senhor!

    2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração,

    3 que não praticam iniqüidade, mas andam nos caminhos dele!

    4 Tu ordenaste os teus preceitos, para que fossem diligentemente observados.

    5 Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe os teus estatutos!

    6 Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus mandamentos.

    7 Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido as tuas retas ordenanças.

    8 Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente!

    9 Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua palavra.

    10 De todo o meu coração tenho te buscado; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

    11 Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti.

    12 Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos.

    13 Com os meus lábios declaro todas as ordenanças da tua boca.

    14 Regozijo-me no caminho dos teus testemunhos, tanto como em todas as riquezas.

    15 Em teus preceitos medito, e observo os teus caminhos.

    16 Deleitar-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra.

    17 Faze bem ao teu servo, para que eu viva; assim observarei a tua palavra.

    18 Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei.

    19 Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.

    20 A minha alma se consome de anelos por tuas ordenanças em todo o tempo.

    21 Tu repreendeste os soberbos, os malditos, que se desviam dos teus mandamentos.

    22 Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois tenho guardado os teus testemunhos.

    23 Príncipes sentaram-se e falavam contra mim, mas o teu servo meditava nos teus estatutos.

    24 Os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros.

    25 A minha alma apega-se ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.

    26 Meus caminhos te descrevi, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos.

    27 Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim meditarei nas tuas maravilhas.

    28 A minha alma se consome de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.

    29 Desvia de mim o caminho da falsidade, e ensina-me benignidade a tua lei.

    30 Escolhi o caminho da fidelidade; diante de mim pus as tuas ordenanças.

    31 Apego-me aos teus testemunhos, ó Senhor; não seja eu envergonhado.

    32 Percorrerei o caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.

    33 Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e eu o guardarei até o fim.

    34 Dá-me entendimento, para que eu guarde a tua lei, e a observe de todo o meu coração.

    35 Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela me comprazo.

    36 Inclina o meu coração para os teus testemunhos, e não para a cobiça.

    37 Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.

    38 Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor.

    39 Desvia de mim o opróbrio que temo, pois as tuas ordenanças são boas.

    40 Eis que tenho anelado os teus preceitos; vivifica-me por tua justiça.

    41 Venha também sobre mim a tua benignidade, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra.

    42 Assim terei o que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.

    43 De minha boca não tires totalmente a palavra da verdade, pois tenho esperado nos teus juízos.

    44 Assim observarei de contínuo a tua lei, para sempre e eternamente;

    45 e andarei em liberdade, pois tenho buscado os teus preceitos.

    46 Falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.

    47 Deleitar-me-ei em teus mandamentos, que eu amo.

    48 Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amo, e meditarei nos teus estatutos.

    49 Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar.

    50 Isto é a minha consolação na minha angústia, que a tua promessa me vivifica.

    51 Os soberbos zombaram grandemente de mim; contudo não me desviei da tua lei.

    52 Lembro-me dos teus juízos antigos, ó Senhor, e assim me consolo.

    53 Grande indignação apoderou-se de mim, por causa dos ímpios que abandonam a tua lei.

    54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.

    55 De noite me lembrei do teu nome, ó Senhor, e observei a tua lei.

    56 Isto me sucedeu, porque tenho guardado os teus preceitos.

    57 O Senhor é o meu quinhão; prometo observar as tuas palavras.

    58 De todo o meu coração imploro o teu favor; tem piedade de mim, segundo a tua palavra.

    59 Quando considero os meus caminhos, volto os meus pés para os teus testemunhos.

    60 Apresso-me sem detença a observar os teus mandamentos.

    61 Enleiam-me os laços dos ímpios; mas eu não me esqueço da tua lei.

    62 á meia-noite me levanto para dar-te graças, por causa dos teus retos juízos.

    63 Companheiro sou de todos os que te temem, e dos que guardam os teus preceitos.

    64 A terra, ó Senhor, está cheia da tua benignidade; ensina-me os teus estatutos.
    (...)
    texto completo em: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal119.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 101 - Meus olhos estão nos leais da Terra

    Postado por Heitor Neves | 02 de Fevereiro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 101 - Meus olhos estão nos leais da Terra

    1 Cantarei a benignidade e o juízo; a ti, Senhor, cantarei.



    2 Portar-me-ei sabiamente no caminho reto. Oh, quando virás ter comigo? Andarei em minha casa com integridade de coração.



    3 Não porei coisa torpe diante dos meus olhos; aborreço as ações daqueles que se desviam; isso não se apagará a mim.



    4 Longe de mim estará o coração perverso; não conhecerei o mal.



    5 Aquele que difama o seu próximo às escondidas, eu o destruirei; aquele que tem olhar altivo e coração soberbo, não o tolerarei.



    6 Os meus olhos estão sobre os fiéis da terra, para que habitem comigo; o que anda no caminho perfeito, esse me servirá.



    7 O que usa de fraude não habitará em minha casa; o que profere mentiras não estará firme perante os meus olhos.



    8 De manhã em manhã destruirei todos os ímpios da terra, para desarraigar da cidade do Senhor todos os que praticam a iniqüidade.



    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal101.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 66 - Ofertas de Gratidão

    Postado por Heitor Neves | 26 de Janeiro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 66 - Ofertas de Gratidão

    1 Louvai a Deus com brados de júbilo, todas as terras.

    2 Cantai a glória do seu nome, dai glória em seu louvor.

    3 Dizei a Deus: Quão tremendas são as tuas obras! Pela grandeza do teu poder te lisonjeiam os teus inimigos.

    4 Toda a terra te adorará e te cantará louvores; eles cantarão o teu nome.

    5 Vinde, e vede as obras de Deus; ele é tremendo nos seus feitos para com os filhos dos homens.

    6 Converteu o mar em terra seca; passaram o rio a pé; ali nos alegramos nele.

    7 Ele governa eternamente pelo seu poder; os seus olhos estão sobre as nações; não se exaltem os rebeldes.

    8 Bendizei, povos, ao nosso Deus, e fazei ouvir a voz do seu louvor;

    9 ao que nos conserva em vida, e não consente que resvalem os nossos pés.

    10 Pois tu, ó Deus, nos tens provado; tens nos refinado como se refina a prata.

    11 Fizeste-nos entrar no laço; pesada carga puseste sobre os nossos lombos.

    12 Fizeste com que os homens cavalgassem sobre as nossas cabeças; passamos pelo fogo e pela água, mas nos trouxeste a um lugar de abundância.

    13 Entregarei em tua casa com holocaustos; pagar-te-ei os meus votos,

    14 votos que os meus lábios pronunciaram e a minha boca prometeu, quando eu estava na angústia.

    15 Oferecer-te-ei holocausto de animais nédios, com incenso de carneiros; prepararei novilhos com cabritos.

    16 Vinde, e ouvi, todos os que temeis a Deus, e eu contarei o que ele tem feito por mim.

    17 A ele clamei com a minha boca, e ele foi exaltado pela minha língua.

    18 Se eu tivesse guardado iniqüidade no meu coração, o Senhor não me teria ouvido;

    19 mas, na verdade, Deus me ouviu; tem atendido à voz da minha oração.

    20 Bendito seja Deus, que não rejeitou a minha oração, nem retirou de mim a sua benignidade.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal066.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 79 - O povo pede castigo contra os inimigos

    Postado por Heitor Neves | 19 de Janeiro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 79 - O povo pede castigo contra os inimigos

    1 ó Deus, as nações invadiram a tua herança; contaminaram o teu santo templo; reduziram Jerusalém a ruínas.

    2 Deram os cadáveres dos teus servos como pastos às aves dos céus, e a carne dos teus santos aos animais da terra.

    3 Derramaram o sangue deles como água ao redor de Jerusalém, e não houve quem os sepultasse.

    4 Somos feitos o opróbrio dos nossos vizinhos, o escárnio e a zombaria dos que estão em redor de nós.

    5 Até quando, Senhor? Indignar-te-ás para sempre? Arderá o teu zelo como fogo?

    6 Derrama o teu furor sobre as nações que não te conhecem, e sobre os reinos que não invocam o teu nome;

    7 porque eles devoraram a Jacó, e assolaram a sua morada.

    8 Não te lembres contra nós das iniqüidades de nossos pais; venha depressa ao nosso encontro a tua compaixão, pois estamos muito abatidos.

    9 Ajuda-nos, ó Deus da nossa salvação, pela glória do teu nome; livra-nos, e perdoa os nossos pecados, por amor do teu nome.

    10 Por que diriam as nações: Onde está o seu Deus? Torne-se manifesta entre as nações, à nossa vista, a vingança do sangue derramado dos teus servos.

    11 Chegue à tua presença o gemido dos presos; segundo a grandeza do teu braço, preserva aqueles que estão condenados à morte.

    12 E aos nossos vizinhos, deita-lhes no regaço, setuplicadamente, a injúria com que te injuriaram, Senhor.

    13 Assim nós, teu povo ovelhas de teu pasto, te louvaremos eternamente; de geração em geração publicaremos os teus louvores.

    extraído de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal079.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 41 -A calúnia dos inimigos e o socorro de Deus

    Postado por Heitor Neves | 12 de Janeiro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 41 -A calúnia dos inimigos e o socorro de Deus

    1 Bem-aventurado é aquele que considera o pobre; o Senhor o livrará no dia do mal.

    2 O Senhor o guardará, e o conservará em vida; será abençoado na terra; tu, Senhor não o entregarás à vontade dos seus inimigos.

    3 O Senhor o sustentará no leito da enfermidade; tu lhe amaciarás a cama na sua doença.

    4 Disse eu da minha parte: Senhor, compadece-te de mim, sara a minha alma, pois pequei contra ti.

    5 Os meus inimigos falam mal de mim, dizendo: Quando morrerá ele, e perecerá o seu nome?

    6 E, se algum deles vem ver-me, diz falsidades; no seu coração amontoa a maldade; e quando ele sai, é disso que fala.

    7 Todos os que me odeiam cochicham entre si contra mim; contra mim maquinam o mal, dizendo:

    8 Alguma coisa ruim se lhe apega; e agora que está deitado, não se levantará mais.

    9 Até o meu próprio amigo íntimo em quem eu tanto confiava, e que comia do meu pão, levantou contra mim o seu calcanhar.

    10 Mas tu, Senhor, compadece-te de mim e levanta-me, para que eu lhes retribua.

    11 Por isso conheço eu que te deleitas em mim, por não triunfar de mim o meu inimigo

    12 Quanto a mim, tu me sustentas na minha integridade, e me colocas diante da tua face para sempre.

    13 Bendito seja o Senhor Deus de Israel de eternidade a eternidade. Amém e amém.

    de:http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal041.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 76 - Deus se levanta para julgar e salvar

    Postado por Heitor Neves | 05 de Janeiro, 2014

    Salmo da Semana : Salmo 76 - Deus se levanta para julgar e salvar

    1 Conhecido é Deus em Judá, grande é o seu nome em Israel.

    2 Em Salém está a sua tenda, e a sua morada em Sião.

    3 Ali quebrou ele as flechas do arco, o escudo, a espada, e a guerra.

    4 Glorioso és tu, mais majestoso do que os montes eternos.

    5 Os ousados de coração foram despojados; dormiram o seu último sono; nenhum dos homens de força pôde usar as mãos.

    6 á tua repreensão, ó Deus de Jacó, cavaleiros e cavalos ficaram estirados sem sentidos.

    7 Tu, sim, tu és tremendo; e quem subsistirá à tua vista, quando te irares?

    8 Desde o céu fizeste ouvir o teu juízo; a terra tremeu e se aquietou,

    9 quando Deus se levantou para julgar, para salvar a todos os mansos da terra.

    10 Na verdade a cólera do homem redundará em teu louvor, e do restante da cólera tu te cingirás.

    11 Fazei votos, e pagai-os ao Senhor, vosso Deus; tragam presentes, os que estão em redor dele, àquele que deve ser temido.

    12 Ele ceifará o espírito dos príncipes; é tremendo para com os reis da terra.

    De: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal076.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 52 - Por que te glorias no mal?

    Postado por Heitor Neves | 29 de Dezembro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 52 - Por que te glorias no mal?

    1 Por que te glorias na malícia, ó homem poderoso? pois a bondade de Deus subsiste em todo o tempo.

    2 A tua língua maquina planos de destruição, como uma navalha afiada, ó tu que usas de dolo.

    3 Tu amas antes o mal do que o bem, e o mentir do que o falar a verdade.

    4 Amas todas as palavras devoradoras, ó língua fraudulenta.

    5 Também Deus te esmagará para sempre; arrebatar-te-á e arrancar-te-á da tua habitação, e desarraigar-te-á da terra dos viventes.

    6 Os justos o verão e temerão; e se rirão dele, dizendo:

    7 Eis aqui o homem que não tomou a Deus por sua fortaleza; antes confiava na abundância das suas riquezas, e se fortalecia na sua perversidade.

    8 Mas eu sou qual oliveira verde na casa de Deus; confio na bondade de Deus para sempre e eternamente.

    9 Para sempre te louvarei, porque tu isso fizeste, e proclamarei o teu nome, porque é bom diante de teus santos.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal052.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 22 - Socorro do Senhor

    Postado por Heitor Neves | 22 de Dezembro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 22 - Socorro do Senhor

    1 Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? por que estás afastado de me auxiliar, e das palavras do meu bramido?

    2 Deus meu, eu clamo de dia, porém tu não me ouves; também de noite, mas não acho sossego.

    3 Contudo tu és santo, entronizado sobre os louvores de Israel.

    4 Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste.

    5 A ti clamaram, e foram salvos; em ti confiaram, e não foram confundidos.

    6 Mas eu sou verme, e não homem; opróbrio dos homens e desprezado do povo.

    7 Todos os que me vêem zombam de mim, arreganham os beiços e meneiam a cabeça, dizendo:

    8 Confiou no Senhor; que ele o livre; que ele o salve, pois que nele tem prazer.

    9 Mas tu és o que me tiraste da madre; o que me preservaste, estando eu ainda aos seios de minha mãe.

    10 Nos teus braços fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe.

    11 Não te alongues de mim, pois a angústia está perto, e não há quem acuda.

    12 Muitos touros me cercam; fortes touros de Basã me rodeiam.

    13 Abrem contra mim sua boca, como um leão que despedaça e que ruge.

    14 Como água me derramei, e todos os meus ossos se desconjuntaram; o meu coração é como cera, derreteu-se no meio das minhas entranhas.

    15 A minha força secou-se como um caco e a língua se me pega ao paladar; tu me puseste no pó da morte.

    16 Pois cães me rodeiam; um ajuntamento de malfeitores me cerca; transpassaram-me as mãos e os pés.

    17 Posso contar todos os meus ossos. Eles me olham e ficam a mirar-me.

    18 Repartem entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançam sortes.

    19 Mas tu, Senhor, não te alongues de mim; força minha, apressa-te em socorrer-me.

    20 Livra-me da espada, e a minha vida do poder do cão.

    21 Salva-me da boca do leão, sim, livra-me dos chifres do boi selvagem.

    22 Então anunciarei o teu nome aos meus irmãos; louvar-te-ei no meio da congregação.

    23 Vós, que temeis ao Senhor, louvai-o; todos vós, filhos de Jacó, glorificai-o; temei-o todos vós, descendência de Israel.

    24 Porque não desprezou nem abominou a aflição do aflito, nem dele escondeu o seu rosto; antes, quando ele clamou, o ouviu.

    25 De ti vem o meu louvor na grande congregação; pagarei os meus votos perante os que o temem.

    26 Os mansos comerão e se fartarão; louvarão ao Senhor os que o buscam. Que o vosso coração viva eternamente!

    27 Todos os limites da terra se lembrarão e se converterão ao Senhor, e diante dele adorarão todas as famílias das nações.

    28 Porque o domínio é do Senhor, e ele reina sobre as nações.

    29 Todos os grandes da terra comerão e adorarão, e todos os que descem ao pó se prostrarão perante ele, os que não podem reter a sua vida.

    30 A posteridade o servirá; falar-se-á do Senhor à geração vindoura.

    31 Chegarão e anunciarão a justiça dele; a um povo que há de nascer contarão o que ele fez.

  • Salmo da Semana : Salmo 76 - Deus se lanvanta para julgar e salvar

    Postado por Heitor Neves | 15 de Dezembro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 76 - Deus se lanvanta para julgar e salvar

    1 Conhecido é Deus em Judá, grande é o seu nome em Israel.

    2 Em Salém está a sua tenda, e a sua morada em Sião.

    3 Ali quebrou ele as flechas do arco, o escudo, a espada, e a guerra.

    4 Glorioso és tu, mais majestoso do que os montes eternos.

    5 Os ousados de coração foram despojados; dormiram o seu último sono; nenhum dos homens de força pôde usar as mãos.

    6 á tua repreensão, ó Deus de Jacó, cavaleiros e cavalos ficaram estirados sem sentidos.

    7 Tu, sim, tu és tremendo; e quem subsistirá à tua vista, quando te irares?

    8 Desde o céu fizeste ouvir o teu juízo; a terra tremeu e se aquietou,

    9 quando Deus se levantou para julgar, para salvar a todos os mansos da terra.

    10 Na verdade a cólera do homem redundará em teu louvor, e do restante da cólera tu te cingirás.

    11 Fazei votos, e pagai-os ao Senhor, vosso Deus; tragam presentes, os que estão em redor dele, àquele que deve ser temido.

    12 Ele ceifará o espírito dos príncipes; é tremendo para com os reis da terra.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal076.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 104 - Quão numerosas são Tuas obras, Senhor!

    Postado por Heitor Neves | 08 de Dezembro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 104 - Quão numerosas são Tuas obras, Senhor!

    1 Bendize, ó minha alma, ao Senhor! Senhor, Deus meu, tu és magnificentíssimo! Estás vestido de honra e de majestade,

    2 tu que te cobres de luz como de um manto, que estendes os céus como uma cortina.

    3 És tu que pões nas águas os vigamentos da tua morada, que fazes das nuvens o teu carro, que andas sobre as asas do vento;

    4 que fazes dos ventos teus mensageiros, dum fogo abrasador os teus ministros.

    5 Lançaste os fundamentos da terra, para que ela não fosse abalada em tempo algum.

    6 Tu a cobriste do abismo, como dum vestido; as águas estavam sobre as montanhas.

    7 à tua repreensão fugiram; à voz do teu trovão puseram-se em fuga.

    8 Elevaram-se as montanhas, desceram os vales, até o lugar que lhes determinaste.

    9 Limite lhes traçaste, que não haviam de ultrapassar, para que não tornassem a cobrir a terra.

    10 És tu que nos vales fazes rebentar nascentes, que correm entre as colinas.

    11 Dão de beber a todos os animais do campo; ali os asnos monteses matam a sua sede.

    12 Junto delas habitam as aves dos céus; dentre a ramagem fazem ouvir o seu canto.

    13 Da tua alta morada regas os montes; a terra se farta do fruto das tuas obras.

    14 Fazes crescer erva para os animais, e a verdura para uso do homem, de sorte que da terra tire o alimento,

    15 o vinho que alegra o seu coração, o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que lhe fortalece o coração.

    16 Saciam-se as árvores do Senhor, os cedros do Líbano que ele plantou,

    17 nos quais as aves se aninham, e a cegonha, cuja casa está nos ciprestes.

    18 Os altos montes são um refúgio para as cabras montesas, e as rochas para os querogrilos.

    19 Designou a lua para marcar as estações; o sol sabe a hora do seu ocaso.

    20 Fazes as trevas, e vem a noite, na qual saem todos os animais da selva.

    21 Os leões novos os animais bramam pela presa, e de Deus buscam o seu sustento.

    22 Quando nasce o sol, logo se recolhem e se deitam nos seus covis.

    23 Então sai o homem para a sua lida e para o seu trabalho, até a tarde.

    24 ó Senhor, quão multiformes são as tuas obras! Todas elas as fizeste com sabedoria; a terra está cheia das tuas riquezas.

    25 Eis também o vasto e espaçoso mar, no qual se movem seres inumeráveis, animais pequenos e grandes.

    26 Ali andam os navios, e o leviatã que formaste para nele folgar.

    27 Todos esperam de ti que lhes dês o sustento a seu tempo.

    28 Tu lho dás, e eles o recolhem; abres a tua mão, e eles se fartam de bens.

    29 Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras a respiração, morrem, e voltam para o seu pó.

    30 Envias o teu fôlego, e são criados; e assim renovas a face da terra.

    31 Permaneça para sempre a glória do Senhor; regozije-se o Senhor nas suas obras;

    32 ele olha para a terra, e ela treme; ele toca nas montanhas, e elas fumegam.

    33 Cantarei ao Senhor enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu existir.

    34 Seja-lhe agradável a minha meditação; eu me regozijarei no Senhor.

    35 Sejam extirpados da terra os pecadores, e não subsistam mais os ímpios. Bendize, ó minha alma, ao Senhor. Louvai ao Senhor.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal104.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 119 - Excelência da Lei Divina

    Postado por Heitor Neves | 01 de Dezembro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 119 - Excelência da Lei Divina

    1 Bem-aventurados os que trilham com integridade o seu caminho, os que andam na lei do Senhor!

    2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração,

    3 que não praticam iniqüidade, mas andam nos caminhos dele!

    4 Tu ordenaste os teus preceitos, para que fossem diligentemente observados.

    5 Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe os teus estatutos!

    6 Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus mandamentos.

    7 Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido as tuas retas ordenanças.

    8 Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente!

    9 Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua palavra.

    10 De todo o meu coração tenho te buscado; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

    11 Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti.

    12 Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos.

    13 Com os meus lábios declaro todas as ordenanças da tua boca.

    14 Regozijo-me no caminho dos teus testemunhos, tanto como em todas as riquezas.

    15 Em teus preceitos medito, e observo os teus caminhos.

    16 Deleitar-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra.

    17 Faze bem ao teu servo, para que eu viva; assim observarei a tua palavra.

    18 Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei.

    19 Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.

    20 A minha alma se consome de anelos por tuas ordenanças em todo o tempo.

    21 Tu repreendeste os soberbos, os malditos, que se desviam dos teus mandamentos.

    22 Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois tenho guardado os teus testemunhos.

    23 Príncipes sentaram-se e falavam contra mim, mas o teu servo meditava nos teus estatutos.

    24 Os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros.

    25 A minha alma apega-se ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.

    26 Meus caminhos te descrevi, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos.

    27 Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim meditarei nas tuas maravilhas.

    28 A minha alma se consome de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.

    29 Desvia de mim o caminho da falsidade, e ensina-me benignidade a tua lei.

    30 Escolhi o caminho da fidelidade; diante de mim pus as tuas ordenanças.

    31 Apego-me aos teus testemunhos, ó Senhor; não seja eu envergonhado.

    32 Percorrerei o caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.

    33 Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e eu o guardarei até o fim.

    34 Dá-me entendimento, para que eu guarde a tua lei, e a observe de todo o meu coração.

    35 Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela me comprazo.

    36 Inclina o meu coração para os teus testemunhos, e não para a cobiça.

    37 Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.

    38 Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor.

    39 Desvia de mim o opróbrio que temo, pois as tuas ordenanças são boas.

    40 Eis que tenho anelado os teus preceitos; vivifica-me por tua justiça.

    41 Venha também sobre mim a tua benignidade, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra.

    42 Assim terei o que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.

    43 De minha boca não tires totalmente a palavra da verdade, pois tenho esperado nos teus juízos.

    44 Assim observarei de contínuo a tua lei, para sempre e eternamente;

    45 e andarei em liberdade, pois tenho buscado os teus preceitos.

    46 Falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.

    mais em: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal119.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 46 - Deus é o nosso refúgio e fortaleza

    Postado por Heitor Neves | 24 de Novembro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 46 - Deus é o nosso refúgio e fortaleza

    1 Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.

    2 Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se projetem para o meio dos mares;

    3 ainda que as águas rujam e espumem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza.

    4 Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o lugar santo das moradas do Altíssimo.

    5 Deus está no meio dela; não será abalada; Deus a ajudará desde o raiar da alva.

    6 Bramam nações, reinos se abalam; ele levanta a sua voz, e a terra se derrete.

    7 O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

    8 Vinde contemplai as obras do Senhor, as desolações que tem feito na terra.

    9 Ele faz cessar as guerras até os confins da terra; quebra o arco e corta a lança; queima os carros no fogo.

    10 Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra.

    11 O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal046.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 64 - Proteção contra os inimigos

    Postado por Heitor Neves | 17 de Novembro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 64 - Proteção contra os inimigos

    1 Ouve, ó Deus, a minha voz na minha queixa; preserva a minha voz na minha queixa; preserva a minha vida do horror do inimigo.

    2 Esconde-me do secreto conselho dos maus, e do ajuntamento dos que praticam a iniqüidade,

    3 os quais afiaram a sua língua como espada, e armaram por suas flechas palavras amargas.

    4 Para em lugares ocultos atirarem sobre o íntegro; disparam sobre ele repentinamente, e não temem.

    5 Firmam-se em mau intento; falam de armar laços secretamente, e dizem: Quem nos verá?

    6 Planejam iniqüidades; ocultam planos bem traçados; pois o íntimo e o coração do homem são inescrutáveis.

    7 Mas Deus disparará sobre eles uma seta, e de repente ficarão feridos.

    8 Assim serão levados a tropeçar, por causa das suas próprias línguas; todos aqueles que os virem fugirão.

    9 E todos os homens temerão, e anunciarão a obra de Deus, e considerarão a obra de Deus, e considerarão prudentemente os seus feitos.

    10 O justo se alegrará no Senhor e confiará nele, e todos os de coração reto cantarão louvores.

    extraído de : http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal064.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 83 - Julgamento de Deus contra os inimigos

    Postado por Heitor Neves | 10 de Novembro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 83 - Julgamento de Deus contra os inimigos

    1 ó Deus, não guardes silêncio; não te cales nem fiques impassível, ó Deus.

    2 Pois eis que teus inimigos se alvoroçam, e os que te odeiam levantam a cabeça.

    3 Astutamente formam conselho contra o teu povo, e conspiram contra os teus protegidos.

    4 Dizem eles: Vinde, e apaguemo-los para que não sejam nação, nem seja lembrado mais o nome de Israel.

    5 Pois à uma se conluiam; aliam-se contra ti

    6 as tendas de Edom e os ismaelitas, Moabe e os hagarenos,

    7 Gebal, Amom e Amaleque, e a Filístia com os habitantes de tiro.

    8 Também a Assíria se ligou a eles; eles são o braço forte dos filhos de Ló.

    9 Faze-lhes como fizeste a Midiã, como a Sísera, como a Jabim junto ao rio Quisom,

    10 os quais foram destruídos em En-Dor; tornaram-se esterco para a terra.

    11 Faze aos seus nobres como a Orebe e a Zeebe; e a todos os seus príncipes como a Zebá e a Zalmuna,

    12 que disseram: Tomemos para nós as pastagens de Deus.

    13 Deus meu, faze-os como um turbilhão de pó, como a palha diante do vento.

    14 Como o fogo queima um bosque, e como a chama incendeia as montanhas,

    15 assim persegue-os com a tua tempestade, e assombra-os com o teu furacão.

    16 Cobre-lhes o rosto de confusão, de modo que busquem o teu nome, Senhor.

    17 Sejam envergonhados e conturbados perpetuamente; sejam confundidos, e pereçam,

    18 para que saibam que só tu, cujo nome é o Senhor, és o Altíssimo sobre toda a terra.

    de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal083.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 31 - Lamentos e Louvor

    Postado por Heitor Neves | 03 de Novembro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 31 - Lamentos e Louvor

    1 Em ti, Senhor, me refugio; nunca seja eu envergonhado; livra-me pela tua justiça!

    2 Inclina para mim os teus ouvidos, livra-me depressa! Sê para mim uma rocha de refúgio, uma casa de defesa que me salve!

    3 Porque tu és a minha rocha e a minha fortaleza; pelo que, por amor do teu nome, guia-me e encaminha-me.

    4 Tira-me do laço que me armaram, pois tu és o meu refúgio.

    5 Nas tuas mãos entrego o meu espírito; tu me remiste, ó Senhor, Deus da verdade.

    6 Odeias aqueles que atentam para ídolos vãos; eu, porém, confio no Senhor.

    7 Eu me alegrarei e regozijarei na tua benignidade, pois tens visto a minha aflição. Tens conhecido as minhas angústias,

    8 e não me entregaste nas mãos do inimigo; puseste os meus pés num lugar espaçoso.

    9 Tem compaixão de mim, ó Senhor, porque estou angustiado; consumidos estão de tristeza os meus olhos, a minha alma e o meu corpo.

    10 Pois a minha vida está gasta de tristeza, e os meus anos de suspiros; a minha força desfalece por causa da minha iniqüidade, e os meus ossos se consomem.

    11 Por causa de todos os meus adversários tornei-me em opróbrio, sim, sobremodo o sou para os meus vizinhos, e horror para os meus conhecidos; os que me vêem na rua fogem de mim.

    12 Sou esquecido como um morto de quem não há memória; sou como um vaso quebrado.

    13 Pois tenho ouvido a difamação de muitos, terror por todos os lados; enquanto juntamente conspiravam contra mim, maquinaram tirar-me a vida.

    14 Mas eu confio em ti, ó Senhor; e digo: Tu és o meu Deus.

    15 Os meus dias estão nas tuas mãos; livra-me das mãos dos meus inimigos e dos que me perseguem.

    16 Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo; salva-me por tua bondade.

    17 Não seja eu envergonhado, ó Senhor, porque te invoco; envergonhados sejam os ímpios, emudeçam no Seol.

    18 Emudeçam os lábios mentirosos, que falam insolentemente contra o justo, com arrogância e com desprezo.

    19 Oh! quão grande é a tua bondade, que guardaste para os que te temem, a qual na presença dos filhos dos homens preparaste para aqueles que em ti se refugiam!

    20 No abrigo da tua presença tu os escondes das intrigas dos homens; em um pavilhão os ocultas da contenda das línguas.

    21 Bendito seja o Senhor, pois fez maravilhosa a sua bondade para comigo numa cidade sitiada.

    22 Eu dizia no meu espanto: Estou cortado de diante dos teus olhos; não obstante, tu ouviste as minhas súplicas quando eu a ti clamei.

    23 Amai ao Senhor, vós todos os que sois seus santos; o Senhor guarda os fiéis, e retribui abundantemente ao que usa de soberba.

    24 Esforçai-vos, e fortaleça-se o vosso coração, vós todos os que esperais no Senhor.

    De: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal031.htm

  • Salmo da semana : Salmo 105 - As maravilhosas obras do Senhor

    Postado por Heitor Neves | 27 de Outubro, 2013

    Salmo da semana : Salmo 105 - As maravilhosas obras do Senhor

    1 Dai graças ao Senhor; invocai o seu nome; fazei conhecidos os seus feitos entre os povos.

    2 Cantai-lhe, cantai-lhe louvores; falai de todas as suas maravilhas.

    3 Gloriai-vos no seu santo nome; regozije-se o coração daqueles que buscam ao Senhor.

    4 Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente.

    5 Lembrai-vos das maravilhas que ele tem feito, dos seus prodígios e dos juízos da sua boca,

    6 vós, descendência de Abraão, seu servo, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos.

    7 Ele é o Senhor nosso Deus; os seus juízos estão em toda a terra.

    8 Lembra-se perpetuamente do seu pacto, da palavra que ordenou para mil gerações;

    9 do pacto que fez com Abraão, e do seu juramento a Isaque;

    10 o qual ele confirmou a Jacó por estatuto, e a Israel por pacto eterno,

    11 dizendo: A ti darei a terra de Canaã, como porção da vossa herança.

    12 Quando eles eram ainda poucos em número, de pouca importância, e forasteiros nela,

    13 andando de nação em nação, dum reino para outro povo,

    14 não permitiu que ninguém os oprimisse, e por amor deles repreendeu reis, dizendo:

    15 Não toqueis nos meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas.

    16 Chamou a fome sobre a terra; retirou-lhes todo o sustento do pão.

    17 Enviou adiante deles um varão; José foi vendido como escravo;

    18 feriram-lhe os pés com grilhões; puseram-no a ferro,

    19 até o tempo em que a sua palavra se cumpriu; a palavra do Senhor o provou.

    20 O rei mandou, e fez soltá-lo; o governador dos povos o libertou.

    21 Fê-lo senhor da sua casa, e governador de toda a sua fazenda,

    22 para, a seu gosto, dar ordens aos príncipes, e ensinar aos anciãos a sabedoria.

    23 Então Israel entrou no Egito, e Jacó peregrinou na terra de Cão.

    24 E o Senhor multiplicou sobremodo o seu povo, e o fez mais poderoso do que os seus inimigos.

    25 Mudou o coração destes para que odiassem o seu povo, e tratassem astutamente aos seus servos.

    26 Enviou Moisés, seu servo, e Arão, a quem escolhera,

    27 os quais executaram entre eles os seus sinais e prodígios na terra de Cão.

    28 Mandou à escuridão que a escurecesse; e foram rebeldes à sua palavra.

    29 Converteu-lhes as águas em sangue, e fez morrer os seus peixes.

    30 A terra deles produziu rãs em abundância, até nas câmaras dos seus reis.

    31 Ele falou, e vieram enxames de moscas em todo o seu termo.

    32 Deu-lhes saraiva por chuva, e fogo abrasador na sua terra.

    33 Feriu-lhes também as vinhas e os figueirais, e quebrou as árvores da sua terra.

    34 Ele falou, e vieram gafanhotos, e pulgões em quantidade inumerável,

    35 que comeram toda a erva da sua terra, e devoraram o fruto dos seus campos.

    36 Feriu também todos os primogênitos da terra deles, as primícias de toda a sua força.

    37 E fez sair os israelitas com prata e ouro, e entre as suas tribos não havia quem tropeçasse.

    38 O Egito alegrou-se quando eles saíram, porque o temor deles o dominara.

    39 Estendeu uma nuvem para os cobrir, e um fogo para os alumiar de noite.

    40 Eles pediram, e ele fez vir codornizes, e os saciou com pão do céu.

    41 Fendeu a rocha, e dela brotaram águas, que correram pelos lugares áridos como um rio.

    42 Porque se lembrou da sua santa palavra, e de Abraão, seu servo.

    43 Fez sair com alegria o seu povo, e com cânticos de júbilo os seus escolhidos.

    44 Deu-lhes as terras das nações, e eles herdaram o fruto do trabalho dos povos,

    45 para que guardassem os seus preceitos, e observassem as suas leis. Louvai ao Senhor

    de:http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal105.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 122- Oração pela paz de Jerusalém

    Postado por Heitor Neves | 20 de Outubro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 122- Oração pela paz de Jerusalém

    1 Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor.

    2 Os nossos pés estão parados dentro das tuas portas, ó Jerusalém!

    3 Jerusalém, que és edificada como uma cidade compacta,

    4 aonde sobem as tribos, as tribos do Senhor, como testemunho para Israel, a fim de darem graças ao nome do Senhor.

    5 Pois ali estão postos os tronos de julgamento, os tronos da casa de Davi.

    6 Orai pela paz de Jerusalém; prosperem aqueles que te amam.

    7 Haja paz dentro de teus muros, e prosperidade dentro dos teus palácios.

    8 Por causa dos meus irmãos e amigos, direi: Haja paz dentro de ti.

    9 Por causa da casa do Senhor, nosso Deus, buscarei o teu bem.

    de : http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal122.htm

  • Salmo da semana : Salmo 69 – O Lamento do Messias

    Postado por Heitor Neves | 13 de Outubro, 2013

    Salmo da semana : Salmo 69 – O Lamento do Messias

    1 Salva-me, ó Deus, pois as águas me sobem até o pescoço.

    2 Atolei-me em profundo lamaçal, onde não se pode firmar o pé; entrei na profundeza das águas, onde a corrente me submerge.

    3 Estou cansado de clamar; secou-se-me a garganta; os meus olhos desfalecem de esperar por meu Deus.

    4 Aqueles que me odeiam sem causa são mais do que os cabelos da minha cabeça; poderosos são aqueles que procuram destruir-me, que me atacam com mentiras; por isso tenho de restituir o que não extorqui.

    5 Tu, ó Deus, bem conheces a minha estultícia, e as minhas culpas não são ocultas.

    6 Não sejam envergonhados por minha causa aqueles que esperam em ti, ó Senhor Deus dos exércitos; não sejam confundidos por minha causa aqueles que te buscam, ó Deus de Israel.

    7 Porque por amor de ti tenho suportado afrontas; a confusão me cobriu o rosto.

    8 Tornei-me como um estranho para os meus irmãos, e um desconhecido para os filhos de minha mãe.

    9 Pois o zelo da tua casa me devorou, e as afrontas dos que te afrontam caíram sobre mim.

    10 Quando chorei e castiguei com jejum a minha alma, isto se me tornou em afrontas.

    11 Quando me vesti de cilício, fiz-me para eles um provérbio.

    12 Aqueles que se sentem à porta falam de mim; e sou objeto das cantigas dos bêbedos.

    13 Eu, porém, faço a minha oração a ti, ó Senhor, em tempo aceitável; ouve-me, ó Deus, segundo a grandeza da tua benignidade, segundo a fidelidade da tua salvação.

    14 Tira-me do lamaçal, e não me deixes afundar; seja eu salvo dos meus inimigos, e das profundezas das águas.

    15 Não me submerja a corrente das águas e não me trague o abismo, nem cerre a cova a sua boca sobre mim.

    16 Ouve-me, Senhor, pois grande é a tua benignidade; volta-te para mim segundo a tua muitíssima compaixão.

    17 Não escondas o teu rosto do teu servo; ouve-me depressa, pois estou angustiado.

    18 Aproxima-te da minha alma, e redime-a; resgata-me por causa dos meus inimigos.

    19 Tu conheces o meu opróbrio, a minha vergonha, e a minha ignomínia; diante de ti estão todos os meus adversários.

    20 Afrontas quebrantaram-me o coração, e estou debilitado. Esperei por alguém que tivesse compaixão, mas não houve nenhum; e por consoladores, mas não os achei.

    21 Deram-me fel por mantimento, e na minha sede me deram a beber vinagre.

    22 Torne-se a sua mesa diante deles em laço, e sejam-lhes as suas ofertas pacíficas uma armadilha.

    23 Obscureçam-se-lhes os olhos, para que não vejam, e faze com que os seus lombos tremam constantemente.

    24 Derrama sobre eles a tua indignação, e apanhe-os o ardor da tua ira.

    25 Fique desolada a sua habitação, e não haja quem habite nas suas tendas.

    26 Pois perseguem a quem afligiste, e aumentam a dor daqueles a quem feriste.

    27 Acrescenta iniqüidade à iniqüidade deles, e não encontrem eles absolvição na tua justiça.

    28 Sejam riscados do livro da vida, e não sejam inscritos com os justos.

    29 Eu, porém, estou aflito e triste; a tua salvação, ó Deus, me ponha num alto retiro.

    30 Louvarei o nome de Deus com um cântico, e engrandecê-lo-ei com ação de graças.

    31 Isto será mais agradável ao Senhor do que um boi, ou um novilho que tem pontas e unhas.

    32 Vejam isto os mansos, e se alegrem; vós que buscais a Deus reviva o vosso coração.

    33 Porque o Senhor ouve os necessitados, e não despreza os seus, embora sejam prisioneiros.

    34 Louvem-no os céus e a terra, os mares e tudo quanto neles se move.

    35 Porque Deus salvará a Sião, e edificará as cidades de Judá, e ali habitarão os seus servos e a possuirão.

    36 E herdá-la-á a descendência de seus servos, e os que amam o seu nome habitarão nela.

    de:http://jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal069.htm

  • salmo da Semana : Salmo 50- Os sacrifícios a Deus

    Postado por Heitor Neves | 06 de Outubro, 2013

    salmo da Semana : Salmo 50- Os sacrifícios a Deus

    1 O Poderoso, o Senhor Deus, fala e convoca a terra desde o nascer do sol até o seu ocaso.

    2 Desde Sião, a perfeição da formosura. Deus resplandece.

    3 O nosso Deus vem, e não guarda silêncio; diante dele há um fogo devorador, e grande tormenta ao seu redor.

    4 Ele intima os altos céus e a terra, para o julgamento do seu povo:

    5 Congregai os meus santos, aqueles que fizeram comigo um pacto por meio de sacrifícios.

    6 Os céus proclamam a justiça dele, pois Deus mesmo é juiz.

    7 Ouve, povo meu, e eu falarei; ouve, ó Israel, e eu te protestarei: Eu sou Deus, o teu Deus.

    8 Não te repreendo pelos teus sacrifícios, pois os teus holocaustos estão de contínuo perante mim.

    9 Da tua casa não aceitarei novilho, nem bodes dos teus currais.

    10 Porque meu é todo animal da selva, e o gado sobre milhares de outeiros.

    11 Conheço todas as aves dos montes, e tudo o que se move no campo é meu.

    12 Se eu tivesse fome, não to diria pois meu é o mundo e a sua plenitude.

    13 Comerei eu carne de touros? ou beberei sangue de bodes?

    14 Oferece a Deus por sacrifício ações de graças, e paga ao Altíssimo os teus votos;

    15 e invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás.

    16 Mas ao ímpio diz Deus: Que fazes tu em recitares os meus estatutos, e em tomares o meu pacto na tua boca,

    17 visto que aborreces a correção, e lanças as minhas palavras para trás de ti?

    18 Quando vês um ladrão, tu te comprazes nele; e tens parte com os adúlteros.

    19 Soltas a tua boca para o mal, e a tua língua trama enganos.

  • Salmo da Semana : Salmo 41-A calúnia dos Inimigos e o socorro de Deus

    Postado por Heitor Neves | 29 de Setembro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 41-A calúnia dos Inimigos e o socorro de Deus

    1 Bem-aventurado é aquele que considera o pobre; o Senhor o livrará no dia do mal.

    2 O Senhor o guardará, e o conservará em vida; será abençoado na terra; tu, Senhor não o entregarás à vontade dos seus inimigos.

    3 O Senhor o sustentará no leito da enfermidade; tu lhe amaciarás a cama na sua doença.

    4 Disse eu da minha parte: Senhor, compadece-te de mim, sara a minha alma, pois pequei contra ti.

    5 Os meus inimigos falam mal de mim, dizendo: Quando morrerá ele, e perecerá o seu nome?

    6 E, se algum deles vem ver-me, diz falsidades; no seu coração amontoa a maldade; e quando ele sai, é disso que fala.

    7 Todos os que me odeiam cochicham entre si contra mim; contra mim maquinam o mal, dizendo:

    8 Alguma coisa ruim se lhe apega; e agora que está deitado, não se levantará mais.

    9 Até o meu próprio amigo íntimo em quem eu tanto confiava, e que comia do meu pão, levantou contra mim o seu calcanhar.

    10 Mas tu, Senhor, compadece-te de mim e levanta-me, para que eu lhes retribua.

    11 Por isso conheço eu que te deleitas em mim, por não triunfar de mim o meu inimigo

    12 Quanto a mim, tu me sustentas na minha integridade, e me colocas diante da tua face para sempre.

    13 Bendito seja o Senhor Deus de Israel de eternidade a eternidade. Amém e amém.

    extraído de : http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal041.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 118 – A Alegria dos justos pelo Salvador

    Postado por Heitor Neves | 22 de Setembro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 118 – A Alegria dos justos pelo Salvador

    1 Dai graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.

    2 Diga, pois, Israel: A sua benignidade dura para sempre.

    3 Diga, pois, a casa de Arão: A sua benignidade dura para sempre.

    4 Digam, pois, os que temem ao Senhor: A sua benignidade dura para sempre.

    5 Do meio da angústia invoquei o Senhor; o Senhor me ouviu, e me pôs em um lugar largo.

    6 O Senhor é por mim, não recearei; que me pode fazer o homem?

    7 O Senhor é por mim entre os que me ajudam; pelo que verei cumprido o meu desejo sobre os que me odeiam.

    8 É melhor refugiar-se no Senhor do que confiar no homem.

    9 É melhor refugiar-se no Senhor do que confiar nos príncipes.

    10 Todas as nações me cercaram, mas em nome do Senhor eu as exterminei.

    11 Cercaram-me, sim, cercaram-me; mas em nome do Senhor eu as exterminei.

    12 Cercaram-me como abelhas, mas apagaram-se como fogo de espinhos; pois em nome do Senhor as exterminei.

    13 Com força me impeliste para me fazeres cair, mas o Senhor me ajudou.

    14 O Senhor é a minha força e o meu cântico; tornou-se a minha salvação.

    15 Nas tendas dos justos há jubiloso cântico de vitória; a destra do Senhor faz proezas.

    16 A destra do Senhor se exalta, a destra do Senhor faz proezas.

    17 Não morrerei, mas viverei, e contarei as obras do Senhor.

    18 O Senhor castigou-me muito, mas não me entregou à morte.

    19 Abre-me as portas da justiça, para que eu entre por elas e dê graças ao Senhor.

    20 Esta é a porta do Senhor; por ela os justos entrarão.

    21 Graças te dou porque me ouviste, e te tornaste a minha salvação.

    22 A pedra que os edificadores rejeitaram, essa foi posta como pedra angular.

    23 Foi o Senhor que fez isto e é maravilhoso aos nossos olhos.

    24 Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele.

    25 ç Senhor, salva, nós te pedimos; ó Senhor, nós te pedimos, envia-nos a prosperidade.

    26 Bendito aquele que vem em nome do Senhor; da casa do Senhor vos bendizemos. 27 O Senhor é Deus, e nos concede a luz; atai a vítima da festa com cordas às pontas do altar. 28 Tu és o meu Deus, e eu te darei graças; tu és o meu Deus, e eu te exaltarei. 29 Dai graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.

    extraído de : http://jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal118.htm

  • Salmo da semana : Salmo 29 – A voz de Deus na tempestade

    Postado por Heitor Neves | 15 de Setembro, 2013

    Salmo da semana : Salmo 29 – A voz de Deus na tempestade

    1 Tributai ao Senhor, ó filhos dos poderosos, tributai ao Senhor glória e força.

    2 Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; adorai o Senhor vestidos de trajes santos.

    3 A voz do Senhor ouve-se sobre as águas; o Deus da glória troveja; o Senhor está sobre as muitas águas.

    4 A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é cheia de majestade.

    5 A voz do Senhor quebra os cedros; sim, o Senhor quebra os cedros do Líbano.

    6 Ele faz o Líbano saltar como um bezerro; e Siriom, como um filhote de boi selvagem.

    7 A voz do Senhor lança labaredas de fogo.

    8 A voz do Senhor faz tremer o deserto; o Senhor faz tremer o deserto de Cades.

    9 A voz do Senhor faz as corças dar à luz, e desnuda as florestas; e no seu templo todos dizem: Glória!

    10 O Senhor está entronizado sobre o dilúvio; o Senhor se assenta como rei, perpetuamente.

    11 O Senhor dará força ao seu povo; o Senhor abençoará o seu povo com paz.

    extraido de : http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal029.htm

  • Salmo da semana : Salmo 73 – O problema da prosperidade dos maus

    Postado por Heitor Neves | 08 de Setembro, 2013

    Salmo da semana : Salmo 73 – O problema da prosperidade dos maus

    1 Verdadeiramente bom é Deus para com Israel, para com os limpos de coração.

    2 Quanto a mim, os meus pés quase resvalaram; pouco faltou para que os meus passos escorregassem.

    3 Pois eu tinha inveja dos soberbos, ao ver a prosperidade dos ímpios.

    4 Porque eles não sofrem dores; são e robusto é o seu corpo.

    5 Não se acham em tribulações como outra gente, nem são afligidos como os demais homens.

    6 Pelo que a soberba lhes cinge o pescoço como um colar; a violência os cobre como um vestido.

    7 Os olhos deles estão inchados de gordura; trasbordam as fantasias do seu coração.

    8 Motejam e falam maliciosamente; falam arrogantemente da opressão.

    9 Põem a sua boca contra os céus, e a sua língua percorre a terra.

    10 Pelo que o povo volta para eles e não acha neles falta alguma.

    11 E dizem: Como o sabe Deus? e: Há conhecimento no Altíssimo?

    12 Eis que estes são ímpios; sempre em segurança, aumentam as suas riquezas.

    13 Na verdade que em vão tenho purificado o meu coração e lavado as minhas mãos na inocência,

    14 pois todo o dia tenho sido afligido, e castigado cada manhã.

    15 Se eu tivesse dito: Também falarei assim; eis que me teria havido traiçoeiramente para com a geração de teus filhos.

    16 Quando me esforçava para compreender isto, achei que era tarefa difícil para mim,

    17 até que entrei no santuário de Deus; então percebi o fim deles.

    18 Certamente tu os pões em lugares escorregadios, tu os lanças para a ruína.

    19 Como caem na desolação num momento! ficam totalmente consumidos de terrores.

    extraído de : http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal073.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 46 – Deus é nosso refúgio e fortaleza

    Postado por Heitor Neves | 01 de Setembro, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 46 – Deus é nosso refúgio e fortaleza

    1 Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.

    2 Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se projetem para o meio dos mares;

    3 ainda que as águas rujam e espumem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza.

    4 Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o lugar santo das moradas do Altíssimo.

    5 Deus está no meio dela; não será abalada; Deus a ajudará desde o raiar da alva.

    6 Bramam nações, reinos se abalam; ele levanta a sua voz, e a terra se derrete.

    7 O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

    8 Vinde contemplai as obras do Senhor, as desolações que tem feito na terra.

    9 Ele faz cessar as guerras até os confins da terra; quebra o arco e corta a lança; queima os carros no fogo.

    10 Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra.

    11 O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

    Extraído de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal046.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 118 – A Alegria dos justos pelo Salvador

    Postado por Heitor Neves | 25 de Agosto, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 118 – A Alegria dos justos pelo Salvador

    1 Dai graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.

    2 Diga, pois, Israel: A sua benignidade dura para sempre.

    3 Diga, pois, a casa de Arão: A sua benignidade dura para sempre.

    4 Digam, pois, os que temem ao Senhor: A sua benignidade dura para sempre.

    5 Do meio da angústia invoquei o Senhor; o Senhor me ouviu, e me pôs em um lugar largo.

    6 O Senhor é por mim, não recearei; que me pode fazer o homem?

    7 O Senhor é por mim entre os que me ajudam; pelo que verei cumprido o meu desejo sobre os que me odeiam.

    8 É melhor refugiar-se no Senhor do que confiar no homem.

    9 É melhor refugiar-se no Senhor do que confiar nos príncipes.

    10 Todas as nações me cercaram, mas em nome do Senhor eu as exterminei.

    11 Cercaram-me, sim, cercaram-me; mas em nome do Senhor eu as exterminei.

    12 Cercaram-me como abelhas, mas apagaram-se como fogo de espinhos; pois em nome do Senhor as exterminei.

    13 Com força me impeliste para me fazeres cair, mas o Senhor me ajudou.

    14 O Senhor é a minha força e o meu cântico; tornou-se a minha salvação.

    15 Nas tendas dos justos há jubiloso cântico de vitória; a destra do Senhor faz proezas.

    16 A destra do Senhor se exalta, a destra do Senhor faz proezas.

    17 Não morrerei, mas viverei, e contarei as obras do Senhor.

    18 O Senhor castigou-me muito, mas não me entregou à morte.

    19 Abre-me as portas da justiça, para que eu entre por elas e dê graças ao Senhor.

    20 Esta é a porta do Senhor; por ela os justos entrarão.

    21 Graças te dou porque me ouviste, e te tornaste a minha salvação.

    22 A pedra que os edificadores rejeitaram, essa foi posta como pedra angular.

    23 Foi o Senhor que fez isto e é maravilhoso aos nossos olhos.

    24 Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele.

    25 ç Senhor, salva, nós te pedimos; ó Senhor, nós te pedimos, envia-nos a prosperidade.

    26 Bendito aquele que vem em nome do Senhor; da casa do Senhor vos bendizemos.

    27 O Senhor é Deus, e nos concede a luz; atai a vítima da festa com cordas às pontas do altar.

    28 Tu és o meu Deus, e eu te darei graças; tu és o meu Deus, e eu te exaltarei.

    29 Dai graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.

    extraido de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal118.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 64 – Proteção contra os inimigos

    Postado por Heitor Neves | 18 de Agosto, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 64 – Proteção contra os inimigos

    1 Ouve, ó Deus, a minha voz na minha queixa; preserva a minha voz na minha queixa; preserva a minha vida do horror do inimigo.

    2 Esconde-me do secreto conselho dos maus, e do ajuntamento dos que praticam a iniqüidade,

    3 os quais afiaram a sua língua como espada, e armaram por suas flechas palavras amargas.

    4 Para em lugares ocultos atirarem sobre o íntegro; disparam sobre ele repentinamente, e não temem.

    5 Firmam-se em mau intento; falam de armar laços secretamente, e dizem: Quem nos verá?

    6 Planejam iniqüidades; ocultam planos bem traçados; pois o íntimo e o coração do homem são inescrutáveis.

    7 Mas Deus disparará sobre eles uma seta, e de repente ficarão feridos.

    8 Assim serão levados a tropeçar, por causa das suas próprias línguas; todos aqueles que os virem fugirão.

    9 E todos os homens temerão, e anunciarão a obra de Deus, e considerarão a obra de Deus, e considerarão prudentemente os seus feitos.

    10 O justo se alegrará no Senhor e confiará nele, e todos os de coração reto cantarão louvores.

    extraido de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal064.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 104 - Louvor ao Deus Criados

    Postado por Heitor Neves | 11 de Agosto, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 104 - Louvor ao Deus Criados

    1 Bendize, ó minha alma, ao Senhor! Senhor, Deus meu, tu és magnificentíssimo! Estás vestido de honra e de majestade,

    2 tu que te cobres de luz como de um manto, que estendes os céus como uma cortina.

    3 És tu que pões nas águas os vigamentos da tua morada, que fazes das nuvens o teu carro, que andas sobre as asas do vento;

    4 que fazes dos ventos teus mensageiros, dum fogo abrasador os teus ministros.

    5 Lançaste os fundamentos da terra, para que ela não fosse abalada em tempo algum.

    6 Tu a cobriste do abismo, como dum vestido; as águas estavam sobre as montanhas.

    7 à tua repreensão fugiram; à voz do teu trovão puseram-se em fuga.

    8 Elevaram-se as montanhas, desceram os vales, até o lugar que lhes determinaste.

    9 Limite lhes traçaste, que não haviam de ultrapassar, para que não tornassem a cobrir a terra.

    10 És tu que nos vales fazes rebentar nascentes, que correm entre as colinas.

    11 Dão de beber a todos os animais do campo; ali os asnos monteses matam a sua sede.

    12 Junto delas habitam as aves dos céus; dentre a ramagem fazem ouvir o seu canto.

    13 Da tua alta morada regas os montes; a terra se farta do fruto das tuas obras.

    14 Fazes crescer erva para os animais, e a verdura para uso do homem, de sorte que da terra tire o alimento,

    15 o vinho que alegra o seu coração, o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que lhe fortalece o coração.

    16 Saciam-se as árvores do Senhor, os cedros do Líbano que ele plantou,

    17 nos quais as aves se aninham, e a cegonha, cuja casa está nos ciprestes.

    18 Os altos montes são um refúgio para as cabras montesas, e as rochas para os querogrilos.

    19 Designou a lua para marcar as estações; o sol sabe a hora do seu ocaso.

    20 Fazes as trevas, e vem a noite, na qual saem todos os animais da selva.

    21 Os leões novos os animais bramam pela presa, e de Deus buscam o seu sustento.

    22 Quando nasce o sol, logo se recolhem e se deitam nos seus covis.

    23 Então sai o homem para a sua lida e para o seu trabalho, até a tarde.

    24 ó Senhor, quão multiformes são as tuas obras! Todas elas as fizeste com sabedoria; a terra está cheia das tuas riquezas.

    25 Eis também o vasto e espaçoso mar, no qual se movem seres inumeráveis, animais pequenos e grandes.

    26 Ali andam os navios, e o leviatã que formaste para nele folgar.

    27 Todos esperam de ti que lhes dês o sustento a seu tempo.

    28 Tu lho dás, e eles o recolhem; abres a tua mão, e eles se fartam de bens.

    29 Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras a respiração, morrem, e voltam para o seu pó.

    30 Envias o teu fôlego, e são criados; e assim renovas a face da terra.

    31 Permaneça para sempre a glória do Senhor; regozije-se o Senhor nas suas obras;

    32 ele olha para a terra, e ela treme; ele toca nas montanhas, e elas fumegam.

    33 Cantarei ao Senhor enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu existir.

    34 Seja-lhe agradável a minha meditação; eu me regozijarei no Senhor.

    35 Sejam extirpados da terra os pecadores, e não subsistam mais os ímpios. Bendize, ó minha alma, ao Senhor. Louvai ao Senhor.

  • Salmo da Semana : Salmo 149 - Os Fiéis louvam a Deus

    Postado por Heitor Neves | 04 de Agosto, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 149 - Os Fiéis louvam a Deus

    1 Louvai ao Senhor! Cantai ao Senhor um cântico novo, e o seu louvor na assembléia dos santos!

    2 Alegre-se Israel naquele que o fez; regozijem-se os filhos de Sião no seu rei.

    3 Louvem-lhe o nome com danças, cantem-lhe louvores com adufe e harpa.

    4 Porque o Senhor se agrada do seu povo; ele adorna os mansos com a salvação.

    5 Exultem de glória os santos, cantem de alegria nos seus leitos.

    6 Estejam na sua garganta os altos louvores de Deus, e na sua mão espada de dois gumes,

    7 para exercerem vingança sobre as nações, e castigos sobre os povos;

    8 para prenderem os seus reis com cadeias, e os seus nobres com grilhões de ferro;

    9 para executarem neles o juízo escrito; esta honra será para todos os santos. Louvai ao Senhor!

    Extraido de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal149.htm

  • Postado por Heitor Neves | 28 de Julho, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 119 - Excelência da Lei divina

    1 Bem-aventurados os que trilham com integridade o seu caminho, os que andam na lei do Senhor!

    2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração,

    3 que não praticam iniqüidade, mas andam nos caminhos dele!

    4 Tu ordenaste os teus preceitos, para que fossem diligentemente observados.

    5 Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe os teus estatutos!

    6 Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus mandamentos.

    7 Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido as tuas retas ordenanças.

    8 Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente!

    9 Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua palavra.

    10 De todo o meu coração tenho te buscado; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

    11 Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti.

    12 Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos.

    13 Com os meus lábios declaro todas as ordenanças da tua boca.

    14 Regozijo-me no caminho dos teus testemunhos, tanto como em todas as riquezas.

    15 Em teus preceitos medito, e observo os teus caminhos.

    16 Deleitar-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra.

    17 Faze bem ao teu servo, para que eu viva; assim observarei a tua palavra.

    18 Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei.

    19 Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.

    20 A minha alma se consome de anelos por tuas ordenanças em todo o tempo.

    21 Tu repreendeste os soberbos, os malditos, que se desviam dos teus mandamentos.

    22 Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois tenho guardado os teus testemunhos.

    23 Príncipes sentaram-se e falavam contra mim, mas o teu servo meditava nos teus estatutos.

    24 Os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros.

    25 A minha alma apega-se ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.

    26 Meus caminhos te descrevi, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos.

    27 Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim meditarei nas tuas maravilhas.

    28 A minha alma se consome de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.

    29 Desvia de mim o caminho da falsidade, e ensina-me benignidade a tua lei.

    30 Escolhi o caminho da fidelidade; diante de mim pus as tuas ordenanças.

    31 Apego-me aos teus testemunhos, ó Senhor; não seja eu envergonhado.

    32 Percorrerei o caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.

    33 Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e eu o guardarei até o fim.

    34 Dá-me entendimento, para que eu guarde a tua lei, e a observe de todo o meu coração.

    35 Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela me comprazo.

    36 Inclina o meu coração para os teus testemunhos, e não para a cobiça.

    37 Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.

    38 Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor.

    39 Desvia de mim o opróbrio que temo, pois as tuas ordenanças são boas.

    40 Eis que tenho anelado os teus preceitos; vivifica-me por tua justiça.

    41 Venha também sobre mim a tua benignidade, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra.

    42 Assim terei o que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.

    43 De minha boca não tires totalmente a palavra da verdade, pois tenho esperado nos teus juízos.

    44 Assim observarei de contínuo a tua lei, para sempre e eternamente;

    45 e andarei em liberdade, pois tenho buscado os teus preceitos.

    46 Falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.

    47 Deleitar-me-ei em teus mandamentos, que eu amo.

    48 Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amo, e meditarei nos teus estatutos.

    49 Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar.

    50 Isto é a minha consolação na minha angústia, que a tua promessa me vivifica.

    51 Os soberbos zombaram grandemente de mim; contudo não me desviei da tua lei.

    52 Lembro-me dos teus juízos antigos, ó Senhor, e assim me consolo.

    53 Grande indignação apoderou-se de mim, por causa dos ímpios que abandonam a tua lei.

    54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.

    55 De noite me lembrei do teu nome, ó Senhor, e observei a tua lei.

    56 Isto me sucedeu, porque tenho guardado os teus preceitos.

    57 O Senhor é o meu quinhão; prometo observar as tuas palavras.

    58 De todo o meu coração imploro o teu favor; tem piedade de mim, segundo a tua palavra.

    59 Quando considero os meus caminhos, volto os meus pés para os teus testemunhos.

    60 Apresso-me sem detença a observar os teus mandamentos.

    61 Enleiam-me os laços dos ímpios; mas eu não me esqueço da tua lei.

    (...)

    Continua no arquivo para download

    extraído de: http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal119.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 38 - Arrependimento do Pecador

    Postado por Heitor Neves | 21 de Julho, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 38 - Arrependimento do Pecador

    1 ó Senhor, não me repreendas na tua ira, nem me castigues no teu furor.

    2 Porque as tuas flechas se cravaram em mim, e sobre mim a tua mão pesou.

    3 Não há coisa sã na minha carne, por causa da tua cólera; nem há saúde nos meus ossos, por causa do meu pecado.

    4 Pois já as minhas iniqüidades submergem a minha cabeça; como carga pesada excedem as minhas forças.

    5 As minhas chagas se tornam fétidas e purulentas, por causa da minha loucura.

    6 Estou encurvado, estou muito abatido, ando lamentando o dia todo.

    7 Pois os meus lombos estão cheios de ardor, e não há coisa sã na minha carne.

    8 Estou gasto e muito esmagado; dou rugidos por causa do desassossego do meu coração.

    9 Senhor, diante de ti está todo o meu desejo, e o meu suspirar não te é oculto.

    10 O meu coração está agitado; a minha força me falta; quanto à luz dos meus olhos, até essa me deixou.

    11 Os meus amigos e os meus companheiros afastaram-se da minha chaga; e os meus parentes se põem à distância.

    12 Também os que buscam a minha vida me armam laços, e os que procuram o meu mal dizem coisas perniciosas,

    13 Mas eu, como um surdo, não ouço; e sou qual um mudo que não abre a boca.

    14 Assim eu sou como homem que não ouve, e em cuja boca há com que replicar.

    15 Mas por ti, Senhor, espero; tu, Senhor meu Deus, responderás.

    16 Rogo, pois: Ouve-me, para que eles não se regozijem sobre mim e não se engrandeçam contra mim quando resvala o meu pé.

    17 Pois estou prestes a tropeçar; a minha dor está sempre comigo.

    18 Confesso a minha iniqüidade; entristeço-me por causa do meu pecado.

    19 Mas os meus inimigos são cheios de vida e são fortes, e muitos são os que sem causa me odeiam.

  • Salmo da Semana : Salmo 37 - A temporária felicidade dos perversos

    Postado por Heitor Neves | 14 de Julho, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 37 - A temporária felicidade dos perversos

    1 Não te enfades por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniqüidade.

    2 Pois em breve murcharão como a relva, e secarão como a erva verde.

    3 Confia no Senhor e faze o bem; assim habitarás na terra, e te alimentarás em segurança.

    4 Deleita-te também no Senhor, e ele te concederá o que deseja o teu coração.

    5 Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará.

    6 E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu direito como o meio-dia.

    7 Descansa no Senhor, e espera nele; não te enfades por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa maus desígnios.

    8 Deixa a ira, e abandona o furor; não te enfades, pois isso só leva à prática do mal.

    9 Porque os malfeitores serão exterminados, mas aqueles que esperam no Senhor herdarão a terra.

    10 Pois ainda um pouco, e o ímpio não existirá; atentarás para o seu lugar, e ele ali não estará.

    11 Mas os mansos herdarão a terra, e se deleitarão na abundância de paz.

    12 O ímpio maquina contra o justo, e contra ele range os dentes,

    13 mas o Senhor se ri do ímpio, pois vê que vem chegando o seu dia.

    14 Os ímpios têm puxado da espada e têm entesado o arco, para derrubarem o poder e necessitado, e para matarem os que são retos no seu caminho.

    15 Mas a sua espada lhes entrará no coração, e os seus arcos quebrados.

    16 Mais vale o pouco que o justo tem, do que as riquezas de muitos ímpios.

    17 Pois os braços dos ímpios serão quebrados, mas o Senhor sustém os justos.

    18 O Senhor conhece os dias dos íntegros, e a herança deles permanecerá para sempre.

    19 Não serão envergonhados no dia do mal, e nos dias da fome se fartarão.

    20 Mas os ímpios perecerão, e os inimigos do Senhor serão como a beleza das pastagens; desaparecerão, em fumaça se desfarão.

    21 O ímpio toma emprestado, e não paga; mas o justo se compadece e dá.

    22 Pois aqueles que são abençoados pelo Senhor herdarão a terra, mas aqueles que são por ele amaldiçoados serão exterminados.

    23 Confirmados pelo Senhor são os passos do homem em cujo caminho ele se deleita;

    24 ainda que caia, não ficará prostrado, pois o Senhor lhe segura a mão.

    25 Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua descendência a mendigar o pão.

    26 Ele é sempre generoso, e empresta, e a sua descendência é abençoada.

    27 Aparta-te do mal e faze o bem; e terás morada permanente.

    28 Pois o Senhor ama a justiça e não desampara os seus santos.

    Eles serão preservados para sempre, mas a descendência dos ímpios será exterminada.

    29 Os justos herdarão a terra e nela habitarão para sempre.

    30 A boca do justo profere sabedoria; a sua língua fala o que é reto.

    31 A lei do seu Deus está em seu coração; não resvalarão os seus passos.

    32 O ímpio espreita o justo, e procura matá-lo.

    33 O Senhor não o deixará nas mãos dele, nem o condenará quando for julgado.

    34 Espera no Senhor, e segue o seu caminho, e ele te exaltará para herdares a terra; tu o verás quando os ímpios forem exterminados.

    35 Vi um ímpio cheio de prepotência, e a espalhar-se como a árvore verde na terra natal.

    36 Mas eu passei, e ele já não era; procurei-o, mas não pôde ser encontrado.

    37 Nota o homem íntegro, e considera o reto, porque há para o homem de paz um porvir feliz.

    38 Quanto aos transgressores, serão à uma destruídos, e a posteridade dos ímpios será exterminada.

    39 Mas a salvação dos justos vem do Senhor; ele é a sua fortaleza no tempo da angústia.

    40 E o Senhor os ajuda e os livra; ele os livra dos ímpios e os salva, porquanto nele se refugiam.

    extraido de : http://www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal037.htm

  • Salmo da Semana : Salmo 91 - Sob a sombra so Altïssimo

    Postado por Heitor Neves | 07 de Julho, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 91 - Sob a sombra so Altïssimo

    1 Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Todo-Poderoso descansará.

    2 Direi do Senhor: Ele é o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio.

    3 Porque ele te livra do laço do passarinho, e da peste perniciosa.

    4 Ele te cobre com as suas penas, e debaixo das suas asas encontras refúgio; a sua verdade é escudo e broquel.

    5 Não temerás os terrores da noite, nem a seta que voe de dia,

    6 nem peste que anda na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia.

    7 Mil poderão cair ao teu lado, e dez mil à tua direita; mas tu não serás atingido.

    8 Somente com os teus olhos contemplarás, e verás a recompensa dos ímpios.

    9 Porquanto fizeste do Senhor o teu refúgio, e do Altíssimo a tua habitação,

    10 nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda.

    11 Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.

    12 Eles te susterão nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra.

    13 Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente.

    14 Pois que tanto me amou, eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, porque ele conhece o meu nome.

    15 Quando ele me invocar, eu lhe responderei; estarei com ele na angústia, livrá-lo-ei, e o honrarei.

    16 Com longura de dias fartá-lo-ei, e lhe mostrarei a minha salvação.

    extraido de : www.jesusvoltara.com.br/biblia/19Sal091.htm

  • Postado por Heitor Neves | 30 de Junho, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 21 – Ações de graça pela vitória

    1 Na tua força, ó Senhor, o rei se alegra; e na tua salvação quão grandemente se regozija!

    2 Concedeste-lhe o desejo do seu coração, e não lhe negaste a petição dos seus lábios.

    3 Pois o proveste de bênçãos excelentes; puseste-lhe na cabeça uma coroa de ouro fino.

    4 Vida te pediu, e lha deste, longura de dias para sempre e eternamente.

    5 Grande é a sua glória pelo teu socorro; de honra e de majestade o revestes.

    6 Sim, tu o fazes para sempre abençoado; tu o enches de gozo na tua presença.

    7 Pois o rei confia no Senhor; e pela bondade do Altíssimo permanecerá inabalável.

    8 A tua mão alcançará todos os teus inimigos, a tua destra alcançará todos os que te odeiam.

    9 Tu os farás qual fornalha ardente quando vieres; o Senhor os consumirá na sua indignação, e o fogo os devorará.

    10 A sua prole destruirás da terra, e a sua descendência dentre os filhos dos homens.

    11 Pois intentaram o mal contra ti; maquinaram um ardil, mas não prevalecerão.

    12 Porque tu os porás em fuga; contra os seus rostos assestarás o teu arco.

    13 Exalta-te, Senhor, na tua força; então cantaremos e louvaremos o teu poder.

  • Postado por Heitor Neves | 23 de Junho, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 102 - Arrependimento e Esperança

    1 ó Senhor, ouve a minha oração, e chegue a ti o meu clamor.

    2 Não escondas de mim o teu rosto no dia da minha angústia; inclina para mim os teus ouvidos; no dia em que eu clamar, ouve-me depressa.

    3 Pois os meus dias se desvanecem como fumaça, e os meus ossos ardem como um tição.

    4 O meu coração está ferido e seco como a erva, pelo que até me esqueço de comer o meu pão.

    5 Por causa do meu doloroso gemer, os meus ossos se apegam à minha carne.

    6 Sou semelhante ao pelicano no deserto; cheguei a ser como a coruja das ruínas.

    7 Vigio, e tornei-me como um passarinho solitário no telhado.

    8 Os meus inimigos me afrontam todo o dia; os que contra mim se enfurecem, me amaldiçoam.

    9 Pois tenho comido cinza como pão, e misturado com lágrimas a minha bebida,

    10 por causa da tua indignação e da tua ira; pois tu me levantaste e me arrojaste de ti.

    11 Os meus dias são como a sombra que declina, e eu, como a erva, me vou secando.

    12 Mas tu, Senhor, estás entronizado para sempre, e o teu nome será lembrado por todas as gerações.

    13 Tu te levantarás e terás piedade de Sião; pois é o tempo de te compadeceres dela, sim, o tempo determinado já chegou.

    14 Porque os teus servos têm prazer nas pedras dela, e se compadecem do seu pó.

    15 As nações, pois, temerão o nome do Senhor, e todos os reis da terra a tua glória,

    16 quando o Senhor edificar a Sião, e na sua glória se manifestar,

    17 atendendo à oração do desamparado, e não desprezando a sua súplica.

    18 Escreva-se isto para a geração futura, para que um povo que está por vir louve ao Senhor.

    19 Pois olhou do alto do seu santuário; dos céus olhou o Senhor para a terra,

    20 para ouvir o gemido dos presos, para libertar os sentenciados à morte;

    21 a fim de que seja anunciado em Sião o nome do Senhor, e o seu louvor em Jerusalém,

    22 quando se congregarem os povos, e os reinos, para servirem ao Senhor.

    23 Ele abateu a minha força no caminho; abreviou os meus dias.

    24 Eu clamo: Deus meu, não me leves no meio dos meus dias, tu, cujos anos alcançam todas as gerações.

    25 Desde a antigüidade fundaste a terra; e os céus são obra das tuas mãos.

    26 Eles perecerão, mas tu permanecerás; todos eles, como um vestido, envelhecerão; como roupa os mudarás, e ficarão mudados.

    27 Mas tu és o mesmo, e os teus anos não acabarão.

    28 Os filhos dos teus servos habitarão seguros, e a sua descendência ficará firmada diante de ti.

  • Postado por Heitor Neves | 16 de Junho, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 100 - Hino de ingresso ao templo

    1 Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os habitantes da terra.

    2 Servi ao Senhor com alegria, e apresentai-vos a ele com cântico.

    3 Sabei que o Senhor é Deus! Foi ele quem nos fez, e somos dele; somos o seu povo e ovelhas do seu pasto.

    4 Entrai pelas suas portas com ação de graças, e em seus átrios com louvor; dai-lhe graças e bendizei o seu nome.

    5 Porque o Senhor é bom; a sua benignidade dura para sempre, e a sua fidelidade de geração em geração.

  • Postado por Heitor Neves | 09 de Junho, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 142 - Oração no meio de grande perigo

    1 Com a minha voz clamo ao Senhor; com a minha voz ao Senhor suplico.

    2 Derramo perante ele a minha queixa; diante dele exponho a minha tribulação.

    3 Quando dentro de mim esmorece o meu espírito, então tu conheces a minha vereda; no caminho em que eu ando ocultaram-me um laço.

    4 Olha para a minha mão direita, e vê, pois não há quem me conheça; refúgio me faltou; ninguém se interessa por mim.

    5 A ti, ó Senhor, clamei; eu disse: Tu és o meu refúgio, o meu quinhão na terra dos viventes.

    6 Atende ao meu clamor, porque estou muito abatido; livra-me dos meus perseguidores, porque são mais fortes do que eu.

    7 Tira-me da prisão, para que eu louve o teu nome; os justos me rodearão, pois me farás muito bem.

  • Postado por Heitor Neves | 02 de Junho, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 47 - Deus, o Rei da Terra

    1 Batei palmas, todos os povos; aclamai a Deus com voz de júbilo.

    2 Porque o Senhor Altíssimo é tremendo; é grande rei sobre toda a terra.

    3 Ele nos sujeitou povos e nações sob os nossos pés.

    4 Escolheu para nós a nossa herança, a glória de Jacó, a quem amou.

    5 Deus subiu entre aplausos, o Senhor subiu ao som de trombeta.

    6 Cantai louvores a Deus, cantai louvores; cantai louvores ao nosso rei, cantai louvores.

    7 Pois Deus é o rei de toda a terra; cantai louvores com salmo.

    8 Deus reina sobre as nações; Deus está sentado sobre o seu santo trono.

    9 Os príncipes dos povos se reúnem como povo do Deus de Abraão, porque a Deus pertencem os escudos da terra; ele é sumamente exaltado.

  • Postado por Heitor Neves | 26 de Maio, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 73 - O Problema da Prosperidade dos Maus

    1 Verdadeiramente bom é Deus para com Israel, para com os limpos de coração.

    2 Quanto a mim, os meus pés quase resvalaram; pouco faltou para que os meus passos escorregassem.

    3 Pois eu tinha inveja dos soberbos, ao ver a prosperidade dos ímpios.

    4 Porque eles não sofrem dores; são e robusto é o seu corpo.

    5 Não se acham em tribulações como outra gente, nem são afligidos como os demais homens.

    6 Pelo que a soberba lhes cinge o pescoço como um colar; a violência os cobre como um vestido.

    7 Os olhos deles estão inchados de gordura; trasbordam as fantasias do seu coração.

    8 Motejam e falam maliciosamente; falam arrogantemente da opressão.

    9 Põem a sua boca contra os céus, e a sua língua percorre a terra.

    10 Pelo que o povo volta para eles e não acha neles falta alguma.

    11 E dizem: Como o sabe Deus? e: Há conhecimento no Altíssimo?

    12 Eis que estes são ímpios; sempre em segurança, aumentam as suas riquezas.

    13 Na verdade que em vão tenho purificado o meu coração e lavado as minhas mãos na inocência,

    14 pois todo o dia tenho sido afligido, e castigado cada manhã.

    15 Se eu tivesse dito: Também falarei assim; eis que me teria havido traiçoeiramente para com a geração de teus filhos.

    16 Quando me esforçava para compreender isto, achei que era tarefa difícil para mim,

    17 até que entrei no santuário de Deus; então percebi o fim deles.

    18 Certamente tu os pões em lugares escorregadios, tu os lanças para a ruína.

    19 Como caem na desolação num momento! ficam totalmente consumidos de terrores.

    20 Como faz com um sonho o que acorda, assim, ó Senhor, quando acordares, desprezarás as suas fantasias.

    21 Quando o meu espírito se amargurava, e sentia picadas no meu coração,

    22 estava embrutecido, e nada sabia; era como animal diante de ti.

    23 Todavia estou sempre contigo; tu me seguras a mão direita.

    24 Tu me guias com o teu conselho, e depois me receberás em glória.

    25 A quem tenho eu no céu senão a ti? e na terra não há quem eu deseje além de ti.

    26 A minha carne e o meu coração desfalecem; do meu coração, porém, Deus é a fortaleza, e o meu quinhão para sempre.

    27 Pois os que estão longe de ti perecerão; tu exterminas todos aqueles que se desviam de ti.

    28 Mas para mim, bom é aproximar-me de Deus; ponho a minha confiança no Senhor Deus, para anunciar todas as suas obras.

  • Postado por Heitor Neves | 19 de Maio, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 38 - Arrependimento do pecador

    1 ó Senhor, não me repreendas na tua ira, nem me castigues no teu furor.

    2 Porque as tuas flechas se cravaram em mim, e sobre mim a tua mão pesou.

    3 Não há coisa sã na minha carne, por causa da tua cólera; nem há saúde nos meus ossos, por causa do meu pecado.

    4 Pois já as minhas iniqüidades submergem a minha cabeça; como carga pesada excedem as minhas forças.

    5 As minhas chagas se tornam fétidas e purulentas, por causa da minha loucura.

    6 Estou encurvado, estou muito abatido, ando lamentando o dia todo.

    7 Pois os meus lombos estão cheios de ardor, e não há coisa sã na minha carne.

    8 Estou gasto e muito esmagado; dou rugidos por causa do desassossego do meu coração.

    9 Senhor, diante de ti está todo o meu desejo, e o meu suspirar não te é oculto.

    10 O meu coração está agitado; a minha força me falta; quanto à luz dos meus olhos, até essa me deixou.

    11 Os meus amigos e os meus companheiros afastaram-se da minha chaga; e os meus parentes se põem à distância.

    12 Também os que buscam a minha vida me armam laços, e os que procuram o meu mal dizem coisas perniciosas,

    13 Mas eu, como um surdo, não ouço; e sou qual um mudo que não abre a boca.

    14 Assim eu sou como homem que não ouve, e em cuja boca há com que replicar.

    15 Mas por ti, Senhor, espero; tu, Senhor meu Deus, responderás.

    16 Rogo, pois: Ouve-me, para que eles não se regozijem sobre mim e não se engrandeçam contra mim quando resvala o meu pé.

    17 Pois estou prestes a tropeçar; a minha dor está sempre comigo.

    18 Confesso a minha iniqüidade; entristeço-me por causa do meu pecado.

    19 Mas os meus inimigos são cheios de vida e são fortes, e muitos são os que sem causa me odeiam.

    20 Os que tornam o mal pelo bem são meus adversários, porque eu sigo o que é bom.

    21 Não me desampares, ó Senhor; Deus meu, não te alongues de mim.

    22 Apressa-te em meu auxílio, Senhor, minha salvação.

  • Postado por Heitor Neves | 12 de Maio, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 109 – Imprecações contra os Inimigos

    1 ó Deus do meu louvor, não te cales;

    2 pois a boca do ímpio e a boca fraudulenta se abrem contra mim; falam contra mim com uma língua mentirosa.

    3 Eles me cercam com palavras de ódio, e pelejam contra mim sem causa.

    4 Em paga do meu amor são meus adversários; mas eu me dedico à oração.

    5 Retribuem-me o mal pelo bem, e o ódio pelo amor.

    6 Põe sobre ele um ímpio, e esteja à sua direita um acusador.

    7 Quando ele for julgado, saia condenado; e em pecado se lhe torne a sua oração!

    8 Sejam poucos os seus dias, e outro tome o seu ofício!

    9 Fiquem órfãos os seus filhos, e viúva a sua mulher!

    10 Andem errantes os seus filhos, e mendiguem; esmolem longe das suas habitações assoladas.

    11 O credor lance mão de tudo quanto ele tenha, e despojem-no os estranhos do fruto do seu trabalho!

    12 Não haja ninguém que se compadeça dele, nem haja quem tenha pena dos seus órfãos!

    13 Seja extirpada a sua posteridade; o seu nome seja apagado na geração seguinte!

    14 Esteja na memória do Senhor a iniqüidade de seus pais; e não se apague o pecado de sua mãe!

    15 Antes estejam sempre perante o Senhor, para que ele faça desaparecer da terra a memória deles!

    16 Porquanto não se lembrou de usar de benignidade; antes perseguiu o varão aflito e o necessitado, como também o quebrantado de coração, para o matar.

    17 Visto que amou a maldição, que ela lhe sobrevenha! Como não desejou a bênção, que ela se afaste dele!

    18 Assim como se vestiu de maldição como dum vestido, assim penetre ela nas suas entranhas como água, e em seus ossos como azeite!

    19 Seja para ele como o vestido com que ele se cobre, e como o cinto com que sempre anda cingido!

    20 Seja este, da parte do Senhor, o galardão dos meus adversários, e dos que falam mal contra mim!

    21 Mas tu, ó Deus, meu Senhor age em meu favor por amor do teu nome; pois que é boa a tua benignidade, livra-me;

    22 pois sou pobre e necessitado, e dentro de mim está ferido o meu coração.

    23 Eis que me vou como a sombra que declina; sou arrebatado como o gafanhoto.

    24 Os meus joelhos estão enfraquecidos pelo jejum, e a minha carne perde a sua gordura.

    25 Eu sou para eles objeto de opróbrio; ao me verem, meneiam a cabeça.

    26 Ajuda-me, Senhor, Deus meu; salva-me segundo a tua benignidade.

    27 Saibam que nisto está a tua mão, e que tu, Senhor, o fizeste.

    28 Amaldiçoem eles, mas abençoa tu; fiquem confundidos os meus adversários; mas alegre-se o teu servo!

    29 Vistam-se de ignomínia os meus acusadores, e cubram-se da sua própria vergonha como dum manto!

    30 Muitas graças darei ao Senhor com a minha boca;

    31 Pois ele se coloca à direita do poder, para o salvar dos que o condenam.

  • Postado por Heitor Neves | 05 de Maio, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 111 – As obras magníficas de Deus

    1 Louvai ao Senhor. De todo o coração darei graças ao Senhor, no concílio dos retos e na congregação.

    2 Grandes são as obras do Senhor, e para serem estudadas por todos os que nelas se comprazem.

    3 Glória e majestade há em sua obra; e a sua justiça permanece para sempre.

    4 Ele fez memoráveis as suas maravilhas; compassivo e misericordioso é o Senhor.

    5 Dá mantimento aos que o temem; lembra-se sempre do seu pacto.

    6 Mostrou ao seu povo o poder das suas obras, dando-lhe a herança das nações.

    7 As obras das suas mãos são verdade e justiça; fiéis são todos os seus preceitos;

    8 firmados estão para todo o sempre; são feitos em verdade e retidão.

    9 Enviou ao seu povo a redenção; ordenou para sempre o seu pacto; santo e tremendo é o seu nome.

    10 O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; têm bom entendimento todos os que cumprem os seus preceitos; o seu louvor subsiste para sempre.

  • Postado por Heitor Neves | 28 de Abril, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 18 – Vitória e Domínio

    1 Eu te amo, ó Senhor, força minha.

    2 O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador; o meu Deus, o meu rochedo, em quem me refúgio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.

    3 Invoco o Senhor, que é digno de louvor, e sou salvo dos meus inimigos.

    4 Cordas de morte me cercaram, e torrentes de perdição me amedrontaram.

    5 Cordas de Seol me cingiram, laços de morte me surpreenderam.

    6 Na minha angústia invoquei o Senhor, sim, clamei ao meu Deus; do seu templo ouviu ele a minha voz; o clamor que eu lhe fiz chegou aos seus ouvidos.

    7 Então a terra se abalou e tremeu, e os fundamentos dos montes também se moveram e se abalaram, porquanto ele se indignou.

    8 Das suas narinas subiu fumaça, e da sua boca saiu fogo devorador; dele saíram brasas ardentes.

    9 Ele abaixou os céus e desceu; trevas espessas havia debaixo de seus pés.

    10 Montou num querubim, e voou; sim, voou sobre as asas do vento.

    11 Fez das trevas o seu retiro secreto; o pavilhão que o cercava era a escuridão das águas e as espessas nuvens do céu.

    12 Do resplendor da sua presença saíram, pelas suas espessas nuvens, saraiva e brasas de fogo.

    13 O Senhor trovejou a sua voz; e havia saraiva e brasas de fogo.

    14 Despediu as suas setas, e os espalhou; multiplicou raios, e os perturbou.

    15 Então foram vistos os leitos das águas, e foram descobertos os fundamentos do mundo, à tua repreensão, Senhor, ao sopro do vento das tuas narinas.

    16 Do alto estendeu o braço e me tomou; tirou-me das muitas águas.

    17 Livrou-me do meu inimigo forte e daqueles que me odiavam; pois eram mais poderosos do que eu.

    18 Surpreenderam-me eles no dia da minha calamidade, mas o Senhor foi o meu amparo.

    19 Trouxe-me para um lugar espaçoso; livrou-me, porque tinha prazer em mim.

    20 Recompensou-me o Senhor conforme a minha justiça, retribuiu-me conforme a pureza das minhas mãos.

    21 Pois tenho guardado os caminhos do Senhor, e não me apartei impiamente do meu Deus.

    22 Porque todas as suas ordenanças estão diante de mim, e nunca afastei de mim os seus estatutos.

    23 Também fui irrepreensível diante dele, e me guardei da iniqüidade.

    24 Pelo que o Senhor me recompensou conforme a minha justiça, conforme a pureza de minhas mãos perante os seus olhos.

    25 Para com o benigno te mostras benigno, e para com o homem perfeito te mostras perfeito.

    26 Para com o puro te mostras puro, e para com o perverso te mostras contrário.

    27 Porque tu livras o povo aflito, mas os olhos altivos tu os abates.

    28 Sim, tu acendes a minha candeia; o Senhor meu Deus alumia as minhas trevas.

    29 Com o teu auxílio dou numa tropa; com o meu Deus salto uma muralha.

    30 Quanto a Deus, o seu caminho é perfeito; a promessa do Senhor é provada; ele é um escudo para todos os que nele confiam.

    31 Pois, quem é Deus senão o Senhor? e quem é rochedo senão o nosso Deus?

    32 Ele é o Deus que me cinge de força e torna perfeito o meu caminho;

    33 faz os meus pés como os das corças, e me coloca em segurança nos meus lugares altos.

    34 Adestra as minhas mãos para a peleja, de sorte que os meus braços vergam um arco de bronze.

    35 Também me deste o escudo da tua salvação; a tua mão direita me sustém, e a tua clemência me engrandece.

    36 Alargas o caminho diante de mim, e os meus pés não resvalam.

    37 Persigo os meus inimigos, e os alcanço; não volto senão depois de os ter consumido.

    38 Atravesso-os, de modo que nunca mais se podem levantar; caem debaixo dos meus pés.

    39 Pois me cinges de força para a peleja; prostras debaixo de mim aqueles que contra mim se levantam.

    40 Fazes também que os meus inimigos me dêem as costas; aos que me odeiam eu os destruo.

    41 Clamam, porém não há libertador; clamam ao Senhor, mas ele não lhes responde.

    42 Então os esmiuço como o pó diante do vento; lanço-os fora como a lama das ruas.

    43 Livras-me das contendas do povo, e me fazes cabeça das nações; um povo que eu não conhecia se me sujeita.

    44 Ao ouvirem de mim, logo me obedecem; com lisonja os estrangeiros se me submetem.

    45 Os estrangeiros desfalecem e, tremendo, saem dos seus esconderijos.

    46 Vive o Senhor; bendita seja a minha rocha, e exaltado seja o Deus da minha salvação,

    47 o Deus que me dá vingança, e sujeita os povos debaixo de mim,

    48 que me livra de meus inimigos; sim, tu me exaltas sobre os que se levantam contra mim; tu me livras do homem violento.

    49 Pelo que, ó Senhor, te louvarei entre as nações, e entoarei louvores ao teu nome.

    50 Ele dá grande livramento ao seu rei, e usa de benignidade para com o seu ungido, para com Davi e sua posteridade, para sempre..

  • Postado por Heitor Neves | 21 de Abril, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 99 – A santidade de Deus

    1 O Senhor reina, tremam os povos; ele está entronizado sobre os querubins, estremeça a terra.

    2 O Senhor é grande em Sião, e exaltado acima de todos os povos.

    3 Louvem o teu nome, grande e tremendo; pois é santo.

    4 És rei poderoso que amas a justiça; estabeleces a eqüidade, executas juízo e justiça em Jacó.

    5 Exaltai o Senhor nosso Deus, e prostrai-vos diante do escabelo de seus pés; porque ele é santo.

    6 Moisés e Arão entre os seus sacerdotes, e samuel entre os que invocavam o seu nome, clamavam ao Senhor, e ele os ouvia.

    7 Na coluna de nuvem lhes falava; eles guardavam os seus testemunhos, e os estatutos que lhes dera.

    8 Tu os ouviste, Senhor nosso Deus; tu foste para eles um Deus perdoador, embora vingador dos seus atos.

    9 Exaltai o Senhor nosso Deus e adorai-o no seu santo monte, porque o Senhor nosso Deus é santo.

  • Postado por Heitor Neves | 14 de Abril, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 135 – Louvores a Deus

    1 Louvai ao Senhor. Louvai o nome do Senhor; louvai-o, servos do Senhor,

    2 vós que assistis na casa do Senhor, nos átrios da casa do nosso Deus.

    3 Louvai ao Senhor, porque o Senhor é bom; cantai louvores ao seu nome, porque ele é bondoso.

    4 Porque o Senhor escolheu para si a Jacó, e a Israel para seu tesouro peculiar.

    5 Porque eu conheço que o Senhor é grande e que o nosso Senhor está acima de todos os deuses.

    6 Tudo o que o Senhor deseja ele o faz, no céu e na terra, nos mares e em todos os abismos.

    7 Faz subir os vapores das extremidades da terra; faz os relâmpagos para a chuva; tira os ventos dos seus tesouros.

    8 Foi ele que feriu os primogênitos do Egito, desde os homens até os animais;

    9 que operou sinais e prodígios no meio de ti, ó Egito, contra Faraó e contra os seus servos;

    10 que feriu muitas nações, e matou reis poderosos:

    11 a Siom, rei dos amorreus, e a Ogue, rei de Basã, e a todos os reinos de Canaã;

    12 e deu a terra deles em herança, em herança a Israel, seu povo.

    13 O teu nome, ó Senhor, subsiste para sempre; e a tua memória, ó Senhor, por todas as gerações.

    14 Pois o Senhor julgará o seu povo, e se compadecerá dos seus servos.

    15 Os ídolos das nações são prata e ouro, obra das mãos dos homens;

    16 têm boca, mas não falam; têm olhos, mas não vêem;

    17 têm ouvidos, mas não ouvem; nem há sopro algum na sua boca.

    18 Semelhantemente a eles se tornarão os que os fazem, e todos os que neles confiam.

    19 ó casa de Israel, bendizei ao Senhor; ó casa de Arão, bendizei ao Senhor;

    20 ó casa de levi, bendizei ao Senhor; vós, os que temeis ao Senhor, bendizei ao Senhor.

    21 Desde Sião seja bendito o Senhor, que habita em Jerusalém. Louvai ao Senhor.

  • Postado por Heitor Neves | 07 de Abril, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 150 – Cântico de Louvor Final

    1 Louvai ao Senhor! Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento do seu poder!

    2 Louvai-o pelos seus atos poderosos; louvai-o conforme a excelência da sua grandeza!

    3 Louvai-o ao som de trombeta; louvai-o com saltério e com harpa!

    4 Louvai-o com adufe e com danças; louvai-o com instrumentos de cordas e com flauta!

    5 Louvai-o com címbalos sonoros; louvai-o com címbalos altissonantes!

    6 Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor!

  • Postado por Heitor Neves | 31 de Março, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 74 – Lamento por causa da profanação

    1 ó Deus, por que nos rejeitaste para sempre? Por que se acende a tua ira contra o rebanho do teu pasto?

    2 Lembra-te da tua congregação, que compraste desde a antigüidade, que remiste para ser a tribo da tua herança, e do monte Sião, em que tens habitado.

    3 Dirige os teus passos para as perpétuas ruínas, para todo o mal que o inimigo tem feito no santuário.

    4 Os teus inimigos bramam no meio da tua assembléia; põem nela as suas insígnias por sinais.

    5 A entrada superior cortaram com machados a grade de madeira.

    6 Eis que toda obra entalhada, eles a despedaçaram a machados e martelos.

    7 Lançaram fogo ao teu santuário; profanaram, derrubando-a até o chão, a morada do teu nome.

    8 Disseram no seu coração: Despojemo-la duma vez. Queimaram todas as sinagogas de Deus na terra.

    9 Não vemos mais as nossas insígnias, não há mais profeta; nem há entre nós alguém que saiba até quando isto durará.

    10 Até quando, ó Deus, o adversário afrontará? O inimigo ultrajará o teu nome para sempre?

    11 Por que reténs a tua mão, sim, a tua destra? Tira-a do teu seio, e consome-os.

    12 Todavia, Deus é o meu rei desde a antigüidade, operando a salvação no meio da terra.

    13 Tu dividiste o mar pela tua força; esmigalhaste a cabeça dos monstros marinhos sobre as águas.

    14 Tu esmagaste as cabeças do leviatã, e o deste por mantimento aos habitantes do deserto.

    15 Tu abriste fontes e ribeiros; tu secaste os rios perenes.

    16 Teu é o dia e tua é a noite: tu preparaste a luz e o sol.

    17 Tu estabeleceste todos os limites da terra; verão e inverno, tu os fizeste.

    18 Lembra-te disto: que o inimigo te afrontou, ó Senhor, e que um povo insensato ultrajou o teu nome.

    19 Não entregues às feras a alma da tua rola; não te esqueça para sempre da vida dos teus aflitos.

    20 Atenta para o teu pacto, pois os lugares tenebrosos da terra estão cheios das moradas de violência.

    21 Não volte envergonhado o oprimido; louvem o teu nome o aflito e o necessitado.

    22 Levanta-te, ó Deus, pleiteia a tua própria causa; lembra-te da afronta que o insensato te faz continuamente.

    23 Não te esqueças da gritaria dos teus adversários; o tumulto daqueles que se levantam contra ti sobe continuamente.

  • Postado por Heitor Neves | 24 de Março, 2013

    Salmo da Semana : Salmo 95 – Convite a Louvar o Senhor

    1 Vinde, cantemos alegremente ao Senhor, cantemos com júbilo à rocha da nossa salvação.

    2 Apresentemo-nos diante dele com ações de graças, e celebremo-lo com salmos de louvor.

    3 Porque o Senhor é Deus grande, e rei grande acima de todos os deuses.

    4 Nas suas mãos estão as profundezas da terra, e as alturas dos montes são suas.

    5 Seu é o mar, pois ele o fez, e as suas mãos formaram a serra terra seca.

    6 Oh, vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do Senhor, que nos criou.

    7 Porque ele é o nosso Deus, e nós povo do seu pasto e ovelhas que ele conduz. Oxalá que hoje ouvísseis a sua voz:

    8 Não endureçais o vosso coração como em Meribá, como no dia de Massá no deserto,

    9 quando vossos pais me tentaram, me provaram e viram a minha obra.

    10 Durante quarenta anos estive irritado com aquela geração, e disse: É um povo que erra de coração, e não conhece os meus caminhos;

    11 por isso jurei na minha ira: Eles não entrarão no meu descanso.

  • Postado por Heitor Neves | 17 de Março, 2013

    Salmo da Semana: Salmo 132 - Cântico de Romagem

    1 Lembra-te, Senhor, a bem de Davi, de todas as suas aflições;

    2 como jurou ao Senhor, e fez voto ao Poderoso de Jacó, dizendo:

    3 Não entrarei na casa em que habito, nem subirei ao leito em que durmo;

    4 não darei sono aos meus olhos, nem adormecimento às minhas pálpebras,

    5 até que eu ache um lugar para o Senhor uma morada para o Poderoso de Jacó.

    6 Eis que ouvimos falar dela em Efrata, e a achamos no campo de Jaar.

    7 Entremos nos seus tabernáculos; prostremo-nos ante o escabelo de seus pés.

    8 Levanta-te, Senhor, entra no lugar do teu repouso, tu e a arca da tua força.

    9 Vistam-se os teus sacerdotes de justiça, e exultem de júbilo os teus santos.

    10 Por amor de Davi, teu servo, não rejeites a face do teu ungido.

    11 O Senhor jurou a Davi com verdade, e não se desviará dela: Do fruto das tuas entranhas porei sobre o teu trono.

    12 Se os teus filhos guardarem o meu pacto, e os meus testemunhos, que eu lhes hei de ensinar, também os seus filhos se assentarão perpetuamente no teu trono.

    13 Porque o Senhor escolheu a Sião; desejou-a para sua habitação, dizendo:

    14 Este é o lugar do meu repouso para sempre; aqui habitarei, pois o tenho desejado.

    15 Abençoarei abundantemente o seu mantimento; fartarei de pão os seus necessitados.

    16 Vestirei de salvação os seus sacerdotes; e de júbilo os seus santos exultarão

    17 Ali farei brotar a força de Davi; preparei uma lâmpada para o meu ungido.

    18 Vestirei de confusão os seus inimigos; mas sobre ele resplandecerá a sua coroa.

  • Postado por Heitor Neves | 10 de Março, 2013

    Salmo da Semana: Salmo 119 – Excelência da Lei Divina

    1 Bem-aventurados os que trilham com integridade o seu caminho, os que andam na lei do Senhor!

    2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração,

    3 que não praticam iniqüidade, mas andam nos caminhos dele! (...)

    8 Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente!

    9 Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua palavra. (...)

    18 Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei.(...)

    41 Venha também sobre mim a tua benignidade, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra.

    42 Assim terei o que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra. (...)

    54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação. (...)

    64 A terra, ó Senhor, está cheia da tua benignidade; ensina-me os teus estatutos. (...)

    106 Fiz juramento, e o confirmei, de guardar as tuas justas ordenanças.

    107 Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua palavra.

    108 Aceita, Senhor, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca, e ensina-me as tuas ordenanças. (...)

    109 Estou continuamente em perigo de vida; todavia não me esqueço da tua lei. (...)

    165 Muita paz têm os que amam a tua lei, e não há nada que os faça tropeçar. (...)

    175 Que minha alma viva, para que te louve; ajudem-me as tuas ordenanças.

    176 Desgarrei-me como ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueço dos teus mandamentos.

  • Postado por Heitor Neves | 03 de Março, 2013

    Salmo da Semana: Salmo 122 - Vamos à casa do Senhor

    1 Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor.

    2 Os nossos pés estão parados dentro das tuas portas, ó Jerusalém!

    3 Jerusalém, que és edificada como uma cidade compacta,

    4 aonde sobem as tribos, as tribos do Senhor, como testemunho para Israel, a fim de darem graças ao nome do Senhor.

    5 Pois ali estão postos os tronos de julgamento, os tronos da casa de Davi.

    6 Orai pela paz de Jerusalém; prosperem aqueles que te amam.

    7 Haja paz dentro de teus muros, e prosperidade dentro dos teus palácios.

    8 Por causa dos meus irmãos e amigos, direi: Haja paz dentro de ti.

    9 Por causa da casa do Senhor, nosso Deus, buscarei o teu bem.

  • Postado por Heitor Neves | 24 de Fevereiro, 2013

    SALMO DA SEMANA: Salmo 59: Súplica em prol da libertação

    1 Livra-me, Deus meu, dos meus inimigos; protege-me daqueles que se levantam contra mim

    2 Livra-me dos que praticam a iniquidade, e salva-me dos homens sanguinários

    3 Pois eis que armam ciladas à minha alma; os fortes se ajuntam contra mim, não por transgressão minha nem por pecado meu, ó Senhor(...)

    5 Tu, ó Senhor, Deus dos exércitos, Deus de Israel, desperta para punir todas as nações; não tenhas misericórdia de nenhum dos pérfidos que praticam a iniqüidade

    6 Eles voltam à tarde, uivam como cães, e andam rodeando a cidade.

    7 Eis que eles soltam gritos; espadas estão nos seus lábios; porque (pensam eles), quem ouve?

    8 Mas tu, Senhor, te rirás deles; zombarás de todas as nações.

    9 Em ti, força minha, esperarei; pois Deus é o meu alto refúgio

    10 O meu Deus com a sua benignidade virá ao meu encontro; (...)

    11 Não os mates, para que meu povo não se esqueça; espalha-os pelo teu poder, e abate-os ó Senhor, escudo nosso

    12 Pelo pecado da sua boca e pelas palavras dos seus lábios fiquem presos na sua soberba(...)

    13 consome-os na tua indignação; consome-os, de modo que não existem mais; para que saibam que Deus reina sobre Jacó, até os confins da terra.(...)

    15 vagueiam buscando o que comer, e resmungam se não se fartarem.

    16 Eu, porém, cantarei a tua força; pela manhã louvarei com alegria a tua benignidade

    17 A ti, ó força minha, cantarei louvores; porque Deus é a minha fortaleza, é o Deus que me mostra benignidade.

  • Postado por Heitor Neves | 17 de Fevereiro, 2013

    SALMO DA SEMANA: Salmo 111: As obras magníficas de Deus

    Salmo 111: As obras magníficas de Deus

    1 Louvai ao Senhor. De todo o coração darei graças ao Senhor, no concílio dos retos e na congregação.

    2 Grandes são as obras do Senhor, e para serem estudadas por todos os que nelas se comprazem.

    3 Glória e majestade há em sua obra; e a sua justiça permanece para sempre.

    4 Ele fez memoráveis as suas maravilhas; compassivo e misericordioso é o Senhor.

    5 Dá mantimento aos que o temem; lembra-se sempre do seu pacto.

    6 Mostrou ao seu povo o poder das suas obras, dando-lhe a herança das nações.

    7 As obras das suas mãos são verdade e justiça; fiéis são todos os seus preceitos;

    8 firmados estão para todo o sempre; são feitos em verdade e retidão.

    9 Enviou ao seu povo a redenção; ordenou para sempre o seu pacto; santo e tremendo é o seu nome.

    10 O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; têm bom entendimento todos os que cumprem os seus preceitos; o seu louvor subsiste para sempre.

  • Postado por Heitor Neves | 10 de Fevereiro, 2013

    SALMO DA SEMANA: Salmo 79 : O povo pede castigo contra os inimigos

    SALMO 79:O povo pede castigo contra os inimigos

    1 ó Deus, as nações invadiram a tua herança; contaminaram o teu santo templo; reduziram Jerusalém a ruínas.

    2 Deram os cadáveres dos teus servos como pastos às aves dos céus, e a carne dos teus santos aos animais da terra.

    3 Derramaram o sangue deles como água ao redor de Jerusalém, e não houve quem os sepultasse.

    4 Somos feitos o opróbrio dos nossos vizinhos, o escárnio e a zombaria dos que estão em redor de nós.

    5 Até quando, Senhor? Indignar-te-ás para sempre? Arderá o teu zelo como fogo?

    6 Derrama o teu furor sobre as nações que não te conhecem, e sobre os reinos que não invocam o teu nome;

    7 porque eles devoraram a Jacó, e assolaram a sua morada.

    8 Não te lembres contra nós das iniqüidades de nossos pais; venha depressa ao nosso encontro a tua compaixão, pois estamos muito abatidos.

    9 Ajuda-nos, ó Deus da nossa salvação, pela glória do teu nome; livra-nos, e perdoa os nossos pecados, por amor do teu nome.

    10 Por que diriam as nações: Onde está o seu Deus? Torne-se manifesta entre as nações, à nossa vista, a vingança do sangue derramado dos teus servos.

    11 Chegue à tua presença o gemido dos presos; segundo a grandeza do teu braço, preserva aqueles que estão condenados à morte.

    12 E aos nossos vizinhos, deita-lhes no regaço, setuplicadamente, a injúria com que te injuriaram, Senhor.

    13 Assim nós, teu povo ovelhas de teu pasto, te louvaremos eternamente; (...)

  • Postado por Heitor Neves | 03 de Fevereiro, 2013

    SALMO DA SEMANA: Salmo 80 - Restaurações

    SALMO 80: Restaurações

    1 ó pastor de Israel, dá ouvidos; tu, que guias a José como a um rebanho, que estás entronizado sobre os querubins, resplandece.

    2 Perante Efraim, Benjamim e Manassés, desperta o teu poder, e vem salvar-nos.

    3 Reabilita-nos, ó Deus; faze resplandecer o teu rosto, para que sejamos salvos. (...)

    7 Reabilita-nos, ó Deus dos exércitos; faze resplandecer o teu rosto, para que sejamos salvos.

    8 Trouxeste do Egito uma videira; lançaste fora as nações, e a plantaste.

    9 Preparaste-lhe lugar; e ela deitou profundas raízes, e encheu a terra.

    10 Os montes cobriram-se com a sua sombra, e os cedros de Deus com os seus ramos.

    11 Ela estendeu a sua ramagem até o mar, e os seus rebentos até o Rio.

    12 Por que lhe derrubaste as cercas, de modo que a vindimam todos os que passam pelo caminho?

    13 O javali da selva a devasta, e as feras do campo alimentam-se dela.

    14 ó Deus dos exércitos, volta-te, nós te rogamos; atende do céu, e vê, e visita esta videira,

    15 a videira que a tua destra plantou, e o sarmento que fortificaste para ti.

    16 Está queimada pelo fogo, está cortada; eles perecem pela repreensão do teu rosto.

    17 Seja a tua mão sobre o varão da tua destra, sobre o filho do homem que fortificaste para ti

    18 E não nos afastaremos de ti; vivifica-nos, e nós invocaremos o teu nome.

    19 Reabilita-nos, Senhor Deus dos exércitos; faze resplandecer o teu rosto, para que sejamos salvos.

  • Postado por Heitor Neves | 27 de Janeiro, 2013

    SALMO DA SEMANA: Salmo 116 - Ações de Graça

    1 Amo ao Senhor, porque ele ouve a minha voz e a minha súplica.

    2 Porque inclina para mim o seu ouvido, invocá-lo-ei enquanto viver.

    3 Os laços da morte me cercaram; as angústias do Seol se apoderaram de mim; sofri tribulação e tristeza.

    4 Então invoquei o nome do Senhor, dizendo: ç Senhor, eu te rogo, livra-me.

    5 Compassivo é o Senhor, e justo; sim, misericordioso é o nosso Deus.

    6 O Senhor guarda os simples; quando me acho abatido, ele me salva.

    7 Volta, minha alma, ao teu repouso, pois o Senhor te fez bem.

    8 Pois livraste a minha alma da morte, os meus olhos das lágrimas, e os meus pés de tropeçar.

    9 Andarei perante o Senhor, na terra dos viventes.

    10 Cri, por isso falei; estive muito aflito.

    11 Eu dizia na minha precipitação: Todos os homens são mentirosos.

    12 Que darei eu ao Senhor por todos os benefícios que me tem feito?

    13 Tomarei o cálice da salvação, e invocarei o nome do Senhor.

    14 Pagarei os meus votos ao Senhor, na presença de todo o seu povo.

    15 Preciosa é à vista do Senhor a morte dos seus santos.

    16 ó Senhor, deveras sou teu servo; sou teu servo, filho da tua serva; soltaste as minhas cadeias.

    17 Oferecer-te-ei sacrifícios de ação de graças, e invocarei o nome do Senhor.

    18 Pagarei os meus votos ao Senhor, na presença de todo o seu povo,

    19 nos átrios da casa do Senhor, no meio de ti, ó Jerusalém! Louvai ao Senhor.

  • Postado por Heitor Neves Gottberg | 20 de Janeiro, 2013

    SALMO DA SEMANA: SALMO 122

    Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor. (...)

    Pois ali estão postos os tronos de julgamento, os tronos da casa de Davi.

    Orai pela paz de Jerusalém; prosperem

    Orai pela paz de Jerusalém; prosperem aqueles que te amam.

    Haja paz dentro de teus muros, e prosperidade dentro dos teus palácios.

    Por causa dos meus irmãos e amigos, direi: Haja paz dentro de ti.(...)

  • Postado por Heitor Neves | 28 de Outubro, 2012

    O endurecimento do coração humano sempre cede ao amor verdadeiro!

    Texto do ESE Cap. XI, A LEI DE AMOR, Item 9 Para Download o item todo, mas me chamou muito a atenção: "Os efeitos da lei de amor são o melhoramento moral da raça humana e a felicidade durante a vida terrestre. (...) Não acrediteis na esterilidade e no endurecimento do coração humano; ao amor verdadeiro, ele, a seu mau grado, cede.(...)"

Envie sua Mensagem

Login
Para enviar é necessário ter um cadastro no site ou no Facebook.

Infinito Amor © copyright 2012

contato@infinitoamor.org